Tecnologia desenvolvida na Unicamp impacta mercado internacional de microscópios

Invento desenvolvido no Instituto de Física foi licenciado por empresa norte-americana. Acessório para microscópios será produzido na fábrica da RHK Technology, em Michigan

Por Carolina Goetten*

Um equipamento inovador em microscopia desenvolvido na Unicamp conquistou destaque internacional ao explorar novas fronteiras na nanociência. O invento, um acessório acoplado a um Microscópio de Varredura de Tunelamento, tem como diferencial sua capacidade otimizada de captação de luz. O equipamento foi lançado no mercado mundial pela empresa norte-americana RHK Technology com a marca PanScan Lumin-SLT.

Os experimentos foram conduzidos pelo professor Luiz Zagonel, do Instituto de Física, em parceria com os pesquisadores Ricardo Roman e Yves Auad. Com clara aplicação industrial, o produto foi protegido e licenciado com apoio da Agência de Inovação Inova Unicamp. A RHK promoveu seu lançamento internacional em março de 2022, menos de um ano após a formalização do contrato de transferência de tecnologia com a Unicamp. 

O desenvolvimento tecnológico realizado na Unicamp viabilizou um desempenho sem precedentes em espectroscopia e ciências de superfície, explica Zagonel.

“Anteriormente, a coleta de luz dos microscópios desse tipo era limitada a uma pequena fração emitida pela amostra, em torno de 5%. Nessa invenção, o acessório viabiliza máxima captação da luz, com eficiência em torno de 72%”.

Impacto do novo produto na prática científica

Os Microscópios de Varredura de Tunelamento são equipamentos de imagem usados em diversos experimentos que demandam análise de amostras. “Esse tipo de microscópio é um equipamento poderoso, capaz obter imagens com resolução atômica, aplicáveis a vários tipos de amostras de interesse científico e tecnológico”, explica Zagonel.

Segundo o docente, a capacidade de captar mais luz alcançada nos experimentos irá permitir investigações mais aprofundadas, relevantes para diversas áreas do conhecimento, permitindo compreender de forma mais ágil os materiais nano-estruturados, semicondutores, nanoestruturas metálicas, pontos quânticos, entre outros. Zagonel utiliza o invento, por exemplo, no estudo de materiais com potencial para serem elementos chave nas próximas gerações de LEDs e células fotovoltaicas.

“As taxas de coleta permitem estudar amostras de forma mais ágil e com mais atenção aos detalhes. A presença de uma mesa óptica e a alta abertura numérica do espelho utilizado permitem que, além da eficiente coleção da luz, qualquer outro experimento de natureza óptica possa ser realizado, como espectroscopia Raman”, comenta.

Da perspectiva da RHK Technology, a inovação na taxa de captura de luz foi considerada revolucionária para a prática científica, já que a eficiência de coleta de luz de 72% ajuda a superar uma série de limitações.

“A RHK se orgulha da parceria com a Unicamp para desenvolver um sistema de coleta de luz de alta eficiência. O trabalho da equipe do professor Zagonel acrescenta uma propriedade significativa à medição. O Lumin-SLT permitirá avanços na pesquisa de ponta em espectroscopia óptica. Sua eficiência é 20 vezes maior do que a metodologia anterior", afirma o presidente da RHK Technology, Adam Kollin.

O dispositivo conquistou destaque em alguns periódicos científicos. Os resultados podem ser conferidos nas revistas Nanoscale, 2D Materials e na Review of Scientific Instruments, que descreve o funcionamento da invenção,

Para a diretora de parceria da Inova Unicamp, Iara Ferreira, o acordo de licenciamento internacional facilitado pela Inova é um exemplo da capacidade da Agência de Inovação da Unicamp na condução de negociações internacionais que permitirão o compartilhamento de conhecimentos e tecnologias desenvolvidas na universidade.

"Em um mundo globalizado, é fundamental conhecer as regras e práticas do mercado internacional do licenciamento de tecnologias para a geração de novos negócios e para a consolidação de parceiros. Seguimos na busca de parcerias brasileiras e internacionais que promovam inovação aberta para que mais tecnologias da Unicamp sejam licenciadas e absorvidas pelo mercado", diz a diretora.

O projeto de pesquisa e inovação foi apoiado pela FAPESP dentro do programa Jovem Pesquisador, que estimula a criação de oportunidades de trabalho no país para fixação de pesquisadores com grande potencial. Está sendo apoiado também em nova fase de estudos que busca consolidar um grupo de pesquisa dedicado ao estudo das propriedades ópticas e eletrônicas de materiais nanoestruturados opticamente ativos.

INVENTORES PREMIADOS NESTE LICENCIAMENTO

Prof. Luiz Fernando Zagonel (IFGW Unicamp), Ricardo Javier Peña Roman e Yves Maia Auad foram premiados na categoria Propriedade Intelectual Licenciada no Prêmio Inventores 2022.

PROGRAMAÇÃO DE HOMENAGENS

Essa matéria faz parte da série de reportagens produzida pela Inova Unicamp sobre algumas das tecnologias licenciadas. Elas podem ser lidas pelo site da Inova e também em formato e-book na Revista Prêmio Inventores com lançamento previsto para junho. Está também agendado um webinar com conteúdo sobre propriedade intelectual e transferência de tecnologia para 8 de junho, com inscrições abertas ao público em geral.

Confira todos os premiados no site do Prêmio Inventores da Unicamp.

Os patrocinadores do Prêmio Inventores 2022 são ClarkeModet, 3M; e Neger Telecom


*Carolina Goetten é graduada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, mestre em Linguagem e Tecnologia e bolsista Mídia e Ciência (Fapesp).


Matéria original publicada no site da Agência de Inovação Inova da Unicamp

https://www.inova.unicamp.br/2022/04/tecnologia-desenvolvida-na-unicamp-impacta-mercado-internacional-de-microscopios/

 

Imagem de capa JU-online

Novo microscópio permitirá compreender de forma mais ágil os materiais nano-estruturados, semicondutores, nanoestruturas metálicas, pontos quânticos