Colaboração e multidisciplinaridade que propagam a Cultura da Propriedade Intelectual

Instituto de Química é premiado pela quinta vez como Unidade Destaque na Proteção à Propriedade Intelectual

Um corpo docente habituado a trabalhar em parceria, não só com outros setores da Universidade, mas também com os melhores centros de pesquisa do mundo. A colaboração natural é um dos principais ingredientes para tornar o Instituto de Química da Unicamp (IQ) referência não somente por sua produção científica, mas também por sua forte cultura de proteção à propriedade intelectual. O IQ recebe, em 2021, o título de Unidade Destaque na Proteção à Propriedade Intelectual pela quinta vez em treze anos de Prêmio Inventores.

Mesmo em meio à pandemia, docentes do IQ estiveram envolvidos em 20 dos 64 depósitos de patentes da Unicamp em 2020, bem como em 24 das 110 patentes concedidas à Universidade pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). Ao todo, a comunidade do IQ esteve envolvido em 419 patentes desde 1997, sendo que atualmente 279 estão vigentes, ou seja, foram concedidas ou aguardam pelo exame do INPI.

De acordo com o diretor do IQ, professor Marco Zezzi, colaboração e multidisciplinaridade ocorrem de forma natural no IQ, contribuindo para o ciclo positivo de inventividade. “Nossa tradição é baseada na diversidade de pesquisas realizadas e na competência do corpo docente. A premiação nos mostra que estamos no caminho certo”, comemora Zezzi. A colaboração interna – entre docentes, pesquisadores e funcionários do IQ –, no apoio ao ensino, pesquisa e extensão também é celebrada pelo diretor como um dos diferenciais da Unidade que a alavancam em resultados em prol da inovação.

Leia matéria na íntegra publicada no site da Agência de Inovação. 

Imagem de capa JU-online

Instituto de Química é premiado pela quinta vez como Unidade Destaque na Proteção à Propriedade Intelectual