Aplicativo para Vigilância em Saúde da Unicamp - EducaSaúde

A ferramenta “EducaSaúde” visa complementar as medidas de vigilância epidemiológica da COVID-19 nos campi da Unicamp, monitorando em tempo real a ocorrência de casos novos e de surtos entre os membros da comunidade universitária. Para isso, apresenta as seguintes funções:

- identificar precocemente, através de inquérito sintomatológico diário, a ocorrência de casos suspeitos, para afastamento imediato, testagem e acompanhamento adequado;

- orientar o usuário quanto à necessidade de buscar assistência médica e quanto à urgência, ou não, dessa necessidade;

- possibilitar o rastreamento e a identificação precoce de outros casos positivos de COVID-19 que possam ter-se originado de contatos do usuário do aplicativo com outras pessoas, adotando-se estratégias adequadas para evitar sua disseminação nos campi e fora deles.

O uso do aplicativo, em conjunto com a testagem em massa e com as medidas sanitárias recomendadas para a prevenção da COVID-19, constitui estratégia crucial para reduzir a transmissão do coronavírus no ambiente universitário.

FAQ - DÚVIDAS FREQUENTES

1 - O preenchimento do questionário do “EducaSaúde” é obrigatório?
R - Não, mas é parte da responsabilidade de cada um a colaboração com as autoridades sanitárias nas ações de prevenção de surtos e contágios. Nesse sentido, o acesso diário ao “EducaSaúde” é fortemente recomendado.

2 - Quem deve preencher o “EducaSaúde”?
R - Todos os estudantes, funcionários, docentes, terceirizados e demais profissionais que estiverem exercendo atividades presenciais na Unicamp.

3 - Devo preencher o questionário todos os dias?
R - O preenchimento é recomendado diariamente, mesmo na ausência de sintomas, para que cada pessoa mantenha o hábito de monitorar seu estado de saúde e reagir prontamente à presença de sintomas sugestivos de COVID-19.

4 - Desde o início da pandemia me mantive em atividade presencial. Devo preencher o aplicativo diariamente?
R - Sim. Esta ferramenta foi criada para melhorar a vigilância da COVID-19 dentro dos campi da Unicamp: sua contribuição é essencial para que isto aconteça.

5 - Como acessar o aplicativo “EducaSaúde”?
R - Siga os seguintes passos:      

a. Se você for acessá-lo usando o telefone celular:          

  •  Baixe o aplicativo “Unicamp Serviços” em sua loja de aplicativos. Se você já fez isso, baixe novamente para atualizá-lo. Há nele um novo botão chamado “EducaSaúde”.
  • Clique no botão “EducaSaúde”.     

b. Se você for usar seu computador, acesse          https://www.educasaude.unicamp.br      

c. Em qualquer dos casos acima, aparecerá uma tela com um espaço para que você digite seu “login” e senha da Unicamp (do SiSe), a mesma que você já utiliza para a maioria dos serviços online na Universidade.      

d. Preencha o questionário de sintomas e outras informações.      

e. Clique no botão “Enviar”. Aparecerá então uma tela com instruções sobre o que fazer em seguida. Essas instruções variam conforme os sintomas que você informou no questionário.

6 - Estou com um sintoma que consta no aplicativo como indicativo de COVID-19. O que devo fazer?
R - O inquérito do aplicativo tem como objetivo informar aos usuários a ocorrência de sintomas suspeitos de COVID-19 e conscientizá-los sobre a necessidade de procurar o serviço médico, para descartar ou confirmar a suspeita. O serviço de saúde escolhido pelo usuário irá indicar o retorno ao trabalho ou estudo, ou afastá-lo através de atestado médico.

7 - Quando o usuário informa no aplicativo “EducaSaúde” que está com algum sintoma, o CECOM entra em contato com a pessoa ou é ela quem deve procurar o CECOM?
R - A comunidade da Unicamp está orientada sobre a necessidade de procurar um serviço médico ao apresentar sintomas. Na cartilha com orientações para o convívio seguro, na seção "Diagnóstico e Acompanhamento", encontra-se a seguinte orientação: "Assim que apresentar algum sintoma, afaste-se do seu local de trabalho ou estudo e procure algum serviço médico, como o CECOM". Veja: https://www.unicamp.br/unicamp/cartilha-covid-19/diagnostico-e-acompanhamento O aplicativo “EducaSaúde” tem entre seus objetivos alertar o usuário com sintomas suspeitos de COVID-19 sobre a importância de adotar esta atitude.

8 - Quando uma pessoa está com suspeita de COVID-19 e faz o teste para diagnóstico, ela já deve avisar as pessoas com quem teve contato?
R - Sim, convém que a pessoa com suspeita de COVID-19 comunique essa possibilidade a seus contatos próximos, para que eles sejam ainda mais cuidadosos quanto às orientações de usar máscara, manter o distanciamento social e de higiene das mãos e superfícies, não sendo necessário, no entanto,  adotar o isolamento. O RT-PCR coletado pelo CECOM é analisado pelo laboratório credenciado na Unicamp, com a liberação do resultado variando entre 24 e 48 horas.

9 - No caso de resultado positivo, qual o procedimento do CECOM para rastreamento de contatos?
R - Assim que tiver em mãos o resultado positivo (ou "detectado para SARS-CoV-2") de algum usuário, a equipe de vigilância epidemiológica do CECOM entrará em contato por telefone e e-mail. Além de comunicar o resultado, dará orientações iniciais a partir das dúvidas que possam surgir  e fará o rastreamento dos contatos da pessoa que testou positivo. Este rastreamento poderá, em alguns casos, ser auxiliado pela chefia imediata ou pelo RH da Unidade, se for funcionário, ou pelas coordenadorias de cursos, se for aluno. De posse dos nomes, a própria equipe do CECOM abordará esses contatos e os orientará quanto à conduta mais adequada (isolamento, consulta médica e/ou coleta de RT-PCR).

10 - O que as Unidades devem fazer ao receber o aviso de que algum de seus colaboradores está com suspeita ou teve confirmado o diagnóstico da COVID-19? Quais as atribuições previstas para elas?
R - Caberá à Unidade estimular o colaborador a cumprir as condutas orientadas pela Universidade frente a esta situação: adotar o isolamento; procurar o mais breve possível um serviço médico de sua escolha (como o CECOM) para avaliar a necessidade de testagem e afastamento; e preencher corretamente o inquérito sintomatológico disponível no aplicativo “EducaSaúde”. Outras medidas ficarão a cargo da equipe de vigilância epidemiológica do CECOM, que estará à disposição das Unidades para quaisquer dúvidas pertinentes.