Diagnóstico e acompanhamento

última alteração em 10/09/2021

Protocolo para acompanhamento médico e epidemiológico, e de testagem da comunidade durante a pandemia da Covid-19

  1. TRANSMISSÃO 

O SARS-CoV-2, vírus responsável por causar a doença Covid-19, é transmitido principalmente pelo contato próximo com pessoas que apresentam sintomas, através da inalação de gotículas respiratórias infectadas que a pessoa doente elimina ao tossir, espirrar, falar, cantar, ou ainda ao tocar superfícies contaminadas com estas gotículas e passar a mãos nos olhos, nariz ou boca. 

Outra forma de transmissão, “aérea”, é comum em Unidades de Saúde, ocorrendo em geral durante procedimentos geradores de aerossóis.

  1. DESCOBRINDO A COVID-19

O diagnóstico de COVID-19 pode ser feito através de informações clínicas (sinais e sintomas) e epidemiológicas (história de exposição a pessoas com a doença); por testes laboratoriais específicos para a detecção do SARS-CoV-2; ou por exames de imagem, em especial a tomografia computadorizada de tórax.

Se você foi infectado, podem levar de 2 a 14 dias (média de 5 dias) para começar a apresentar algum sintoma. Algumas vezes, poderá nem vir a tê-los. 

SINTOMAS - os mais comuns são febre (≥37,8ºC) ou calafrios, tosse, falta de ar ou dificuldade em respirar, fadiga ou cansaço, dores musculares ou corporais, nova perda de paladar ou olfato, dor de cabeça, dor de garganta, congestão nasal ou coriza, náuseas, vômitos e diarreia. Pessoas idosas e imunossuprimidas, entretanto, podem apresentar sonolência e delirium, e não apresentar febre. A presença de alguns sintomas pode já fechar o diagnóstico de COVID-19.

ATENÇÃO! Assim que apresentar algum sintoma se afaste do seu local de trabalho ou estudo e procure serviço médico, como o CECOM.

CHEGANDO AO CECOM você irá passar por uma avaliação de risco, e, na sequência, em consulta médica. Após avaliação, o médico irá decidir se seu caso é leve, moderado ou grave, e aplicar as condutas (testagem, solicitação de exames complementares, tratamento) e encaminhamentos necessários (afastamento para casa ou encaminhamento para Unidades de urgência, como a UER-HC).

TESTES DIAGNÓSTICOS - O teste recomendado para fazer o diagnóstico de pessoas com sintomas é o RT-PCR, através da coleta de swabda região  oro- faríngea feita do 1º ao 8º dia do início dos sintomas. Este tipo de teste também é indicado se você teve contato com alguém doente. Os testes sorológicos, que podem ser feitos por coleta de sangue ou pela ponta do dedo (testes rápidos) são os preferidos para o diagnóstico quando já se passaram mais de 8 dias do início dos sintomas, ou para investigar a situação epidemiológica de algum local (ver quantos já tiveram, ou quantos ainda não tiveram contato com o vírus).

Após a realização do teste, aguarde que o resultado será comunicado para você assim que estiver pronto.

AFASTAMENTO E ISOLAMENTO DOMICILIARapós a consulta e, se for o caso, a testagem, vá para sua casa, e cumpra as medidas de isolamento domiciliar, conforme a recomendação do médico e só retorne à Universidade se estiver há pelo menos 24 horas sem febre, e os seus sintomas estiverem bem melhores. Retorno antes do período determinado de afastamento poderá ocorrer quando exame laboratorial descartar a COVID-19 E houver remissão dos sintomas.

MONITORAMENTO REMOTO - se você passou em consulta no CECOM, e teve dignóstico de COVID-19  uma equipe multiprofissional entrará em contato com você com frequência por telefone - até a véspera da data provável de retorno do seu afastamento para saber como você está, e se há necessidade de que retorne ao CECOM para uma reavaliação médica (por exemplo, se não houver melhora dos sintomas).

  1. DEU POSITIVO: E AGORA?

Permaneça em casa cumprindo as medidas de isolamento domiciliar. Tente ficar tranquilo; afinal, 80% dos casos tomarão a forma leve ou moderada da doença. Durante este tempo procure alimentar-se de maneira saudável, fazer repouso e se hidratar bem. Meça e anote diariamente sua temperatura corporal, e tente observar se seus sintomas estão melhorando aos poucos, iguais, ou piorando. Relate isto quando profissionais do CECOM ligarem para você.

Você deve se preocupar, e procurar rapidamente serviço médico de urgência (UER-HC, por exemplo), se surgir dificuldade para respirar ou dor/desconforto no peito; se fizer oximetria de pulso e a saturação de oxigênio estiver <95% ou se sua pressão cair para menos de 90 por 60mmHg. A persistência de febre após 3 dias, ou seu retorno após 48 horas de período afebril, também é um sinal de alerta.

  1. PREOCUPADOS COM A PREVENÇÃO

Em meio à pandemia por COVID-19, a responsabilidade pelo próprio comportamento é uma questão ética fundamental. Sendo assim, a Universidade chama sua comunidade ao cumprimento de algumas medidas individuais de prevenção à disseminação desta doença no campus:

  •  Higiene das mãos - recomenda-se adotar a higiene frequente das mãos (com água corrente e sabão, ou com álcool 70%) como parte das práticas do dia-a-dia: antes de comer, depois de usar o banheiro, depois de assoar o nariz, tossir ou espirrar, antes e depois dos turnos de trabalho, depois de tocar em superfícies frequentemente tocadas, como maçanetas, corrimãos e bebedouros, manusear lixo ou objetos compartilhados, e depois de colocar, tocar ou remover as máscaras faciais;
  • Evite tocar em seus olhos, nariz e boca - caso necessário, higienize previamente suas mãos; 
  • Evite contato físico com terceiros - tais como através de beijos, abraços e aperto de mão;
  • Use máscaras - sempre que sair de casa, ou em casa, se estiver com sintomas ou convivendo com alguém doente. Utilize geralmente máscaras de tecido, ou máscaras cirúrgicas e respiradores em casos especiais (por ex., profissionais de saúde e algumas atividades em laboratório).
  • Mantenha seu cabelo preso, e evite o uso de acessórios como brincos, anéis e relógios;
  • Etiqueta Respiratória - ao tossir e espirrar, cubra sua boca com um lenço descartável ou use a parte interna do seu cotovelo. Os lenços usados ​​devem ser jogados no lixo imediatamente após seu uso, e as mãos higienizadas com água e sabão por pelo menos 40 a 60 segundos  ou álcool em gel 70% por pelo menos 20 a 30 segundos.
  • Distanciamento - mantenha-se sempre a pelo menos 1,5 m (um metro e meio) de outras pessoas. O uso de máscara não dispensa esta importante medida;
  • Evite estar em aglomerações;
  • Higiene de superfícies - mantenha limpos e higienizados objetos de uso pessoal (celulares, notebooks) e superfícies que tocará com frequência - como teclados, mesas de trabalho e estudo, telefones, maçanetas, etc.
  • Ventilação - evite ao máximo a permanência em lugares fechados; se isto não for possível, permaneça neles o mínimo de tempo exigido. Procure estar em ambientes amplos e arejados, com portas e janelas abertas, ou ao ar livre; e
  • Evite entrar e permanecer em locais com grande circulação de pessoas, como supermercados e farmácias, pois lá certamente foram exaladas muitas gotículas respiratórias infectadas.