Centro de Memória recebe coleção e agora preserva o maior acervo fotográfico da história de Campinas

O Centro de Memória-Unicamp (CMU) recebeu a coleção do fotógrafo campineiro Gilberto de Biasi, falecido em 2018. Dentre as muitas imagens capturadas por suas lentes, estão as fotos que mostram o início da construção da Unicamp. O conjunto - formado por mais de 300 mil itens entre ampliações fotográficas, negativos, diapositivos, documentos textuais, livros e outros objetos - foi doado por seu filho, o também fotógrafo Roberto de Biasi.

Gilberto de Biasi trabalhou em vários jornais até abrir seu próprio estúdio em 1952. Fotografou aspectos importantes da história de Campinas e região, como a tragédia do Cine Rink (1951), o lançamento da pedra fundamental da PUC-Campinas e da Unicamp, a visita de presidentes norte-americanos e da rainha Elizabeth II. Também registrou inúmeros eventos sociais, como casamentos, festas, bailes e formaturas. O conjunto doado revela as transformações ocorridas na cidade de Campinas na segunda metade do século XX, retratando uma cidade que desaparecia para dar lugar a um espaço mais moderno.

Segundo o diretor do CMU, André Luiz Paulilo, a doação vem formar, ao lado dos conjuntos dos fotógrafos Aristides Pedro da Silva (V8) e Waldemar Padovani, um tripé de grande importância para o fotojornalismo da cidade. A Unicamp passa a salvaguardar o maior acervo fotográfico sobre a história de Campinas.

Confira também a versão em podcast deste conteúdo

No documentário "Primeiras Impressões: O Início do fotojornalismo em Campinas", produzido pela TV Unicamp em 2013, foram reunidos cinco fotojornalistas que marcaram época na imprensa campineira, entre eles, Gilberto de Biasi. Assista: https://youtu.be/CNa-1wbAYCU

 

Vídeo:

Produção e Reportagem: Juliana Franco

Edição de texto: Patrícia Lauretti

SEO YouTube: Marcos Botelho