Refugiados: Unicamp consolida ações para a garantia de direitos

Há vinte anos, o dia 20 de junho foi instituído como o Dia Mundial do Refugiado. A ideia da data não é celebrar, mas sim conscientizar a população sobre a situação dramática vivida pelo enorme número de pessoas forçadas a buscar asilo em outros países.

Neste vídeo, a pesquisadora Rosana Baeninger, do Núcleo de Estudos de População “Elza Berquó” (Nepo Unicamp), explica como a pandemia do coronavírus vem dificultando ainda mais a vida das pessoas em situação de refúgio no Brasil. Nós também conversamos com a pesquisadora Ana Carolina de Moura Delfim Maciel, que preside a Cátedra Sérgio Vieira de Mello da Unicamp, iniciativa da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) em cooperação com centros universitários brasileiros, que tem como objetivo fortalecer ações de ensino, pesquisa e extensão nessa área.

Uma das seis frentes de atuação da Diretoria Executiva de Direitos Humanos da Unicamp, a Cátedra atua também para consolidação de políticas institucionais para acolhimento de estudantes refugiados, iniciativas que são motivo de orgulho para o novo reitor da Unicamp, professor Antônio José de Almeida Meirelles.

A Unicamp promove dois eventos sobre o tema do refúgio nesta sexta-feira (18): às 15 horas, o Sarau que será transmitido pelo canal do Memorial da América Latina; e às 17 horas, uma live sobre os 70 anos da Convenção de 1951, que será transmitida no canal do Museu da ImigraçãoMais informações sobre os eventos, na Agenda do Portal Unicamp.

Saiba mais sobre a Cátedra e as ações da Diretoria de Direitos Humanos da Unicamp: www.direitoshumanos.unicamp.br

Conheça as publicações e pesquisas do Observatório das Migrações em São Paulo: www.nepo.unicamp.br

Confira essa reportagem também em podcast: https://bit.ly/3zBoYM9