Quem precisa mais de quem? Ataques à China interrompem tradição diplomática e podem isolar o Brasil

A China é o primeiro parceiro comercial do Brasil, seguida pelos Estados Unidos e Argentina. De tudo que o Brasil vende para fora, um terço vai para a China. Mas o país vem sendo alvo de declarações infelizes, muitas vezes por parte de agentes do governo federal. Neste programa, o diretor associado do Instituto de Economia da Unicamp, Celio Hiratuka, coordenador do Grupo de Estudos Brasil-China, comenta sobre os impactos da recente crise diplomática para as relações comerciais entre os dois países e para as relações internacionais. Pesquisador do Núcleo de Economia Industrial e Tecnologia do IE, ele também fala da tradição chinesa de pensar sempre no longo prazo, e como o país se baseou em inovação, ciência e tecnologia, para chegar onde chegou. Saiba mais sobre as pesquisas do Grupo de Estudos Brasil-China.