Iniciativa de estudantes, Campanha Por Vidas leva solidariedade a todo o país

foto mostra pessoa vestindo máscara carregando uma cesta básica
Primeira etapa da campanha, em Florianópolis, arrecadou 340 cestas básicas a famílias carentes

A pandemia do coronavírus agravou os problemas sociais enfrentados por muitos brasileiros. Pensando em reduzir o sofrimento de famílias espalhadas pelo Brasil, um grupo de estudantes da Unicamp realiza a Campanha Por Vidas. Organizada em etapas, cada uma concentrada em uma das cinco regiões do país, a ação colabora com o trabalho de ONGs que se dedicam a diferentes causas. Depois de contribuir com a subsistência de famílias de Florianópolis (SC) e com a educação de crianças da Rocinha, no Rio de Janeiro (RJ), a campanha agora busca recursos para fortalecer um grupo que promove o empoderamento feminino em Natal (RN). 

A iniciativa da campanha partiu de Eduardo Moura e Lidiamara Bettete, estudantes de Engenharia de Manufatura e de Administração Pública da Unicamp, respectivamente. Ambos trabalham com negócios de impacto socioambiental e organizavam uma viagem à capital catarinense quando foram surpreendidos pela pandemia do coronavírus. Pensando em algo que contribuísse com a realidade de famílias da cidade, eles deram início à campanha ajudando à ONG Mais União. De uma ação concentrada na cidade, a ideia se converteu no desejo de fazer a diferença em todas as regiões do país. 

"O Brasil é um país muito complexo, tem muita diversidade e muitas realidades. O que acontece aqui no Estado de São Paulo não é o que acontece no Norte, nem no Sul. Os desafios então são múltiplos e nós queríamos ter esse aprendizado e dar apoio a essas diversas realidades que existem no Brasil", relata Eduardo Moura. Além dele e de Lidiamara, participam também da organização da campanha os alunos Gabriel Pastrelo e Willian Fujii (Eng. de Manufatura), Luana Moretti (Adm. de Empresas) e Isabela Lima (Eng. de Alimentos). 

Em Florianópolis, a campanha arrecadou um total de R$ 19.930, o que possibilitou a compra de 340 cestas básicas que foram distribuídas a famílias carentes atendidas pela ONG. Além de contribuírem com o combate à fome, a campanha na cidade também serviu de apoio ao comércio local. Isso porque os itens que compunham as cestas foram comprados de pequenos comerciantes, que mais sofreram impactos negativos pela pandemia. Depois da arrecadação no Sul, a Por Vidas beneficiou a ONG A Rocinha Resiste, que trabalha pela transformação social dos moradores da comunidade da Rocinha, no Rio de Janeiro. Na segunda etapa, a arrecadação de R$ 13.130 serviu para a compra de 44 tablets para as crianças da comunidade poderem continuar seus estudos. 

Agora, a campanha tem como foco beneficiar o Gami - Grupo Afirmativo de Mulheres Independentes, organização de Natal (RN) que trabalha com o empoderamento de mulheres lésbicas e bissexuais da periferia da cidade. O objetivo é arrecadar recursos para que elas possam adquirir equipamentos de som para seu grupo musical, o "Batuque das Mulheres". Por meio dele, elas promovem o ensino de música, a geração de renda, a autoestima e o empoderamento das mulheres. 

Eduardo explica que a ONG foi selecionada a partir do desejo de ajudarem uma organização que trabalhasse com o empoderamento feminino. Segundo ele, o grupo musical depende do aluguel de equipamentos, o que limita sua atuação cultural. "Elas também me relataram que, por mais que elas alugassem os equipamentos de homens, pois a maioria das pessoas que alugam isso são homens, elas seriam zombadas, ouviriam piadas machistas, lesbofóbicas, então elas não se sentem estimuladas a procurar equipamentos de terceiros. Ter equipamentos próprios é um sinal de independência e de liberdade para que elas possam levar o projeto para frente", comenta Eduardo. 

Escolha de ONGs segue critérios

Ao decidirem beneficiar diferentes regiões do país, os organizadores da campanha escolheram dedicar cada ação a uma causa específica. Assim, a mobilização na região Sul foi em prol do combate à fome, no Sudeste foi voltada à educação e agora no Nordeste a causa será o empoderamento feminino. Para as próximas etapas, que serão realizadas até o fim deste ano nas regiões Norte e Centro-Oeste, os temas ainda não foram selecionados, mas eles já dão o indicativo de que a causa ambiental deve ser uma boa escolha. "Eu gostaria muito de trabalharmos com a causa ambiental, ainda mais pensando no Pantanal, na Amazônia. Não sabemos como vai estar essa situação até o fim do ano, mas acredito que vamos trabalhar nessa linha mais ambiental", reflete Eduardo. 

A seleção das ONGs beneficiadas pela campanha não é feita de forma aleatória. Após definirem o tema da ação em determinada região, eles pesquisam por grupos e organizações que trabalhem na área selecionada, verificam informações disponíveis em sites e redes sociais e enviam o convite a elas para se inscreverem em uma espécie de processo seletivo. Nele, elas preenchem um formulário em que dão detalhes de seu trabalho, impactos que a pandemia trouxe a suas atividades intenções com a colaboração oferecida pela campanha, além de uma entrevista por videochamada. Todo esse processo é feito de forma a garantir a destinação correta dos recursos arrecadados pela campanha, que conta também com prestação de contas detalhada. 

foto mostra mulheres membros do gami sentadas em roda
Etapa Nordeste da campanha vai beneficiar grupo de Natal (RN) que trabalha o empoderamento feminino

Para fortalecer a ação da campanha, eles também contam com uma rede de embaixadores, apoiadores que auxiliam na divulgação das ações e conquista de novos doadores e parceiros. "Temos bastante orgulho dos nossos embaixadores, acabou se tornando um movimento. Como temos contato com organizações estudantis, ao fazermos contato em diferentes regiões, buscamos projetos como Enactus, empresas juniores, o que envolve estudantes, que gostam muito de projetos sociais. Por isso tornou-se um movimento e conseguimos ter tantos embaixadores", destaca Gabriel Pastrelo. 

Todas as informações sobre as etapas anteriores e o link para contribuir com a etapa atual do Nordeste estão disponíveis na página da Campanha Por Vidas no Facebook
 

foto mostra voluntários da campanha
Primeira etapa da campanha arrecadou 340 cestas básicas em Florianópolis (SC)
foto mostra porta malas de carro aberto com cestas básicas dentro
Primeira etapa da campanha arrecadou 340 cestas básicas em Florianópolis (SC)
foto mostra cestas básicas doadas em florianópolis
Primeira etapa da campanha arrecadou 340 cestas básicas em Florianópolis (SC)
foto mostra voluntários da rocinha resiste em uma escadaria da comunidade
Na segunda etapa, 44 tablets foram comprados a crianças da Rocinha
foto mostra voluntária da rocinha resiste entregando panfleto à moradora
Na segunda etapa, 44 tablets foram comprados a crianças da Rocinha
foto mostra mulheres do grupo de percussão do gami
Etapa Nordeste vai ajudar grupo de percussão do Gami, de Natal (RN)
foto mostra time de futebol feminino do gami ajoelhadas fazendo oração
Etapa Nordeste vai ajudar grupo de percussão do Gami, de Natal (RN)

Imagem de capa

foto mostra voluntárias do grupo rocinha resiste em uma ação. elas estão sorrindo e vestem a camiseta da ong
Cestas básicas e tablets já foram doados a ONGs de Florianópolis (SC) e do Rio de Janeiro (RJ). Atual etapa vai beneficiar grupo de mulheres de Natal (RN)