Unicamp anuncia plano para retomada de atividades presenciais com data a ser definida

A Unicamp publicou nesta semana uma resolução que estabelece as diretrizes e protocolos para a retomada gradual das atividades presenciais de professores, funcionários e alunos. O plano não estabelece datas para o início da volta, que serão condicionadas à evolução da pandemia nas regiões de Campinas e Piracicaba no Plano São Paulo. Também prevê uma série de cuidados sanitários, como a aplicação de testes RT-PCR em toda a comunidade universitária, treinamento e formação dos profissionais e estudantes e monitoramento diário da saúde dos que precisarem retornar ao campus. 

Retorno prudente e em fases

Seguindo as recomendações feitas pela Força Tarefa Unicamp contra a Covid-19 e baseados nos estudos feitos pelos 11 Grupos de Trabalho (GTs), o plano de retomada será composto por três fases subsequentes, com sete períodos que variam de duas a quatro semanas cada. Nestes períodos, as atividades técnico-administrativas e acadêmicas voltarão a ser feitas presencialmente de forma gradual. O plano completo e orientações importantes de conduta, saúde e higiene, visando o convívio seguro no campus, foram reunidos numa "cartilha eletrônica", com informações direcionadas aos diversos públicos da comunidade acadêmica e  para a sociedade em geral. A página está disponível neste link.

A retomada gradual terá início apenas se as regiões de Campinas, Limeira e Piracicaba, cidades onde a Unicamp mantém seus campi, permanecerem na fase amarela ou verde do Plano São Paulo por pelo menos 28 dias consecutivos. Só após esses 28 dias, será estabelecida uma data para o início do retorno presencial. A primeira etapa do retorno prevê a volta apenas de atividades administrativas e de suporte, contando com até 20% dos trabalhadores de cada unidade ou órgão, preferencialmente em regime de rodízio. 

O aumento gradual no número de funcionários deve ocorrer com o intervalo de duas semanas entre cada período. Funcionários que integram grupos de risco ou com situação familiar que impeçam a retomada (convívio com idosos ou crianças, por exemplo) voltarão nas fases posteriores. A capacidade dos Restaurantes Universitários (RU), transporte fretado e transporte interno no campus vai acompanhar o aumento de forma proporcional, resguardados todos os cuidados sanitários recomendados.

Preparação que faz a diferença

Enquanto a primeira fase não tem início, as unidades e órgãos da Unicamp ficarão responsáveis por estabelecer seus protocolos de higiene e saúde, respeitando as características de cada local, e de definir o cronograma seus funcionários e suas escalas de rodízio. Antes da volta ao campus, todos deverão cumprir um programa de formação sobre o retorno seguro por meio de videoaulas e outros recursos digitais. Também serão realizados testes do tipo RT-PRC, que detectam a presença do coronavírus no organismo, em todos que forem retornar. O regresso do funcionário, professor ou aluno só vai ocorrer mediante o resultado negativo do exame. 

foto mostra o reitor marcelo knobel sentado à mesa de escritório
Marcelo Knobel: "Estamos tomando todos os cuidados para essa retomada, quando ela puder acontecer"

Todos essas medidas e cuidados prévios para início da retomada serão tomados ao longo dos 28 dias nos quais as regiões devem permanecer na fase amarela. Caso as cidades regridam no Plano São Paulo, o retorno será suspenso. "O pré-requisito mínimo para iniciar o que a gente chama de 'fase zero', que é a preparação para o retorno, é o recomendado no Plano São Paulo, com pelo menos 28 dias em fase amarela. Isso é para que a gente tenha condições de iniciar a preparação, um trabalho preliminar importante antes de determinarmos a data de retorno. Ela só acontecerá quando houver plena certeza de que não estamos colocando em risco nossa comunidade", explica Marcelo Knobel, reitor da Unicamp. 

O ingresso na Fase 2 do plano ocorre depois de quatro semanas na Fase 1. Nesse momento, começa o retorno gradual dos alunos de Graduação e Pós-Graduação, ainda na quantidade de apenas 25% dos alunos e respeitando medidas de distanciamento social, cuidados sanitários e ocupação máxima de salas de aula, laboratórios e bibliotecas. Entretanto, a maior parte das atividades acadêmicas previstas para este semestre deverão ocorrer de forma não presencial. "Há um estímulo para que as atividades remotas sejam predominantes, que elas se mantenham, e que seja uma excepcionalidade o aluno estar no campus. Vão estar no campus, com cuidadosa programação, os alunos com disciplinas muito específicas, laboratoriais, práticas ou estágios que não podem ser feitos de forma remota, com prioridade para alunos em fim de curso, na iminência de se formar. É esperado que a gente tenha no campus uma quantidade bem menor de alunos durante este ano", analisa José Antonio Gontijo, chefe de gabinete da Reitoria. 

Nesta fase, também é previsto o retorno gradual das crianças atendidas pela Divisão de Educação Infantil e Complementar (DEdIC). Toda a Fase 2 do plano deve levar 12 semanas, permitindo que o retorno gradual ocorra. A Fase 3, última do plano, compreenderá um estado de pandemia controlada na Universidade, com manutenção de campanhas educativas e medidas de higiene e distanciamento social e continuidade dos estudos realizados pela Força Tarefa. A progressão nas fases poderá ser reavaliada e, dependendo da evolução da pandemia, a Universidade poderá retroceder à fase anterior. 

Monitoramento diário da saúde

Além dos cuidados anteriores à retomada, os membros da Universidade que retornarem ao campus terão a saúde acompanhada diariamente. Para isso, será disponibilizado um aplicativo onde todos deverão responder a um questionário se apresentam ou não algum dos sintomas da Covid-19. Isso deverá ser feito todos os dias, antes do início das atividades. Caso alguém venha a apresentar algum dos sintomas, o aplicativo dará orientações para atendimento médico no Cecom e continuará permitindo o acompanhamento das condições de saúde.

foto mostra o professor Gonjito, chefe de gabinete da unicamp
José Antonio Gontijo, chefe de gabinete da Reitoria, coordena os trabalhos dos GTs que preparam retorno gradual

"Isso vai ser muito bom. Diariamente, será necessário ele informar se tem algum dos sintomas, como tosse, coriza, febre, e dependendo disso, vai ser encaminhado para atendimento de saúde. Dá segurança inclusive para a comunicação com a unidade e com a equipe do Cecom", analisa Gontijo. Cada unidade ou órgão será responsável por acompanhar o preenchimento do questionário por suas equipes. Quem não aderir, ficará impedido de exercer suas atividades presenciais. 

Atividades dos GTs continuam

Para que o plano de retomada fosse desenvolvido, mais de 100 pessoas foram mobilizadas na Unicamp desde o início da pandemia e da suspensão das atividades presenciais. No total, 11 Grupos de Trabalho foram estabelecidos, cada um responsável por promover as adequações necessárias nos diferentes espaços da Universidade e executar as tarefas necessárias. "Os grupos de trabalho estudaram os diferentes aspectos da Universidade e os cuidados sanitários. Vamos usar esses 28 dias da fase zero para, efetivamente, deixar pronta a Universidade para a retomada em um dia ainda a ser estabelecido", afirma o chefe de gabinete. 

Gontijo também explica que o trabalho dos grupos continua e se intensifica com a retomada das atividades presenciais, já que novas demandas devem surgir. "Há um grupo, por exemplo, que pensa a Universidade pós-covid, qual poderá ser a rotina da Universidade, como será a vida acadêmica no pós-covid", detalha. 

Para Marcelo Knobel, o período vai exigir a colaboração de todos, mas tudo está sendo feito no tempo adequado e com as precauções necessárias para um retorno seguro. "Voltar é muito mais difícil do que parar, é muito mais complexo. A Unicamp está de parabéns porque estamos tomando todos os cuidados para essa retomada, quando ela puder acontecer", avalia o reitor. 

Todos os protocolos do plano de retomada estão disponíveis no site https://www.unicamp.br/unicamp/cartilha-covid-19. Dúvidas podem ser enviadas ao e-mail retomada.covid19@unicamp.br. 

Imagem de capa

foto mostra uma vista aérea noturna do campus da Unicamp de campinas
Etapas de planejamento para retorno gradual incluem testagem de toda a comunidade e treinamentos (foto: Lucas Moura e Heitor Raymundo / LRDrone)