Pesquisadores da Unicamp constatam manipulação das contas que embasam Reforma da Previdência

Um grupo de pesquisadores do Centro de Estudos de Conjuntura e Política Econômica (Cecon), do Instituto de Economia da Unicamp, argumenta que as contas que embasaram a proposta de Reforma da Previdência, atualmente em tramitação no Senado, foram manipuladas e falsificadas pelo governo para, segundo eles, simular um quadro de déficit no Regime Geral de Previdência Social que, na verdade, não existiria.

Esse estudo foi divulgado em primeira mão pela revista Carta Capital no último dia 18 de setembro, em reportagem que teve como base uma nota técnica do Cecon intitulada “A falsificação nas contas oficiais da Reforma da Previdência: o caso do Regime Geral de Previdência Social”, de autoria de Pedro Paulo Zahluth Bastos, Ricardo Knudsen, André Luiz Passos Santos e Henrique Sá Earp.

Tudo começou em abril, quando o jornal Folha de São Paulo descobriu que os cálculos e os dados utilizados pelo governo na elaboração da Reforma estavam sob sigilo. Isso gerou além de muita desconfiança, diversas críticas no meio político e na imprensa, uma vez que os resultados desses cálculos são a base das mudanças que estão sendo propostas na Previdência Social, e que afetam diretamente a população brasileira.

Em entrevista à Rádio Unicamp, o coordenador desse estudo, Pedro Bastos, explicou como eles chegaram à conclusão de que o governo manipulou as contas que embasaram a Nova Previdência (PEC 06/2019).

Ouça a entrevista na íntegra no seu agregador de podcasts favorito, ou então, no site da RTV Unicamp:

https://www.rtv.unicamp.br/?audio_listing=pesquisadores-da-unicamp-constatam-manipulacao-das-contas-da-reforma-da-previdencia-pelo-governo

Link encurtado: http://bit.ly/fraude-previdencia

Imagem de capa

Pesquisadores da Unicamp constatam manipulação das contas que embasam Reforma da Previdência
Pesquisadores da Unicamp constatam manipulação das contas que embasam Reforma da Previdência