Unicamp implantará sistema de telefonia digital em seus campi

A Unicamp implantará, a partir de março, um sistema de telefonia de padrão digital em todos os seus campi. O trabalho será executado progressivamente, e terá início pelo Centro de Computação (CCUEC), órgão responsável pelo acompanhamento do processo. “O novo sistema oferecerá uma série de funcionalidades para os usuários, o que deverá trazer impactos positivos para as rotinas cumpridas por eles”, afirma o superintendente do CCUEC, professor Sandro Rigo. A iniciativa faz parte do Planejamento Estratégico (Planes) da Universidade.

De acordo com ele, a Universidade conta atualmente com cerca de 8 mil ramais. “A tendência é que esse número seja reduzido, em razão da aposentadoria de funcionários e da própria racionalização que o novo sistema permitirá”, infere. Rigo explica que o contrato com a empresa vencedora da licitação já foi assinado. A implantação do sistema será realizada paulatinamente. “Vamos começar pelo próprio CCUEC, que servirá de projeto piloto. Depois, partiremos para os demais órgãos e unidades de ensino e pesquisa”, informa Rigo.

Foto Scarpa
O professor Sandro Rigo (centro), ladeado por Fernando Mendonça (esq) e Luís Roberto Silva (dir)

Fernando Moreno Mendonça, superintendente associado do CCUEC, explica que, durante certo período, a tecnologia analógica conviverá com a digital, dado o grande número de ramais existentes. “Seria impossível fazer a migração de um sistema para o outro de uma única vez. Nossa meta é que a telefonia digital esteja totalmente implementada na Unicamp até o final do contrato com a empresa fornecedora, que tem duração de cinco anos”, acrescenta Luís Roberto Ribeiro da Silva, diretor de Infraestrutura do CCUEC.

A chegada do novo sistema de telefonia, observa Rigo, trará uma série de vantagens para a Universidade. Uma delas é que, ao contrário do que ocorre atualmente, o padrão digital terá um custo de operação mais barato que o analógico. Além disso, os usuários terão acesso a diversas funcionalidades que hoje não estão disponíveis. “Um dos recursos possíveis é instalar o ramal no notebook ou no desktop. Isso permitirá, por exemplo, o envio de mensagens de texto e voz, similar ao que é feito através do WhatsApp, ou a realização de videoconferência, como no Skype”, adianta Mendonça.

Por meio de aplicativo específico, continua Silva, também será possível instalar o ramal do smartphone. “Ou seja, o ramal passará a ser móvel, o que permitirá que a pessoa atenda a uma ligação importante mesmo não estando em seu posto de trabalho”, diz. Segundo os dirigentes do CCUEC, o trabalho de implantação da telefonia digital não deverá ser muito complexo porque a Universidade já conta com boa infraestrutura, notadamente no que toca ao cabeamento da rede de dados.

Rigo pontua, porém, que a migração de um padrão tecnológico para outro precisará do engajamento dos profissionais de Tecnologia da Informação (TI) das unidades e órgãos, que cumprirão papel importante nessa tarefa. “Na próxima semana, nós faremos uma reunião com os profissionais de TI das dez primeiras unidades e órgãos selecionados para informá-los sobre os procedimentos que serão adotados”, adianta o superintendente do CCUEC, que considera que, dada a semelhança com os aplicativos de smartphones que já são populares, a maioria dos usuários não terá dificuldade em se familiarizar com a nova tecnologia.