Brasil e Alemanha pensam juntos em retrofit

maquete dentro do tunel de vento

A readequação de edifícios para novos usos ou para melhorias em iluminação, ventilação e eficiência energética, conhecido entre arquitetos e engenheiros como retrofit, foi o tema da Training school 2017, sediada pela Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC) da Unicamp. O evento, que começou na segunda-feira (5), incluiu palestras sobre tópicos como sustentabilidade, tecnologias verdes e sistemas de iluminação. Hoje (7) e amanhã (8), os estudantes devem colocar em prática os aprendizados teóricos montando um projeto de retrofit para um edifício. O encontro é parte de um projeto de colaboração bilateral entre a Unicamp e a Hafencity University, de Hamburgo, financiado pela Capes, e contou com a participação de estudantes, pesquisadores e professores alemães e brasileiros. “Um edifício existente que esteja precisando de readequações do ponto de vista da iluminação natural, da eficiência energética ou do conforto ambiental, passa por um processo de retrofit”, explica a professora Lucila Chebel Labaki, do grupo Conforto no ambiente construído: avaliação de desempenho e eficiência energética da FEC, que coordena a colaboração.

professora dá entrevista
Professora Lucila Chebel Labaki

Frank Wellershoff, que articula a parceria pelo lado alemão, destacou as congruências entre as pesquisas desenvolvidas nas duas universidades. “O campo de pesquisa é o mesmo: avaliação de performance dos edifícios, térmica e energética. O desafio é aprender, a partir das perspectivas de outros países, como desenvolver os edifícios, como operá-los, como ventilá-los, como gerar e armazenar energia. E percebemos que, apesar de termos backgrounds totalmente diferentes, temos estratégias semelhantes”, afirmou.

professor alemao dá entrevista
Frank Wellershoff, que articula a parceria pelo lado alemão

Algumas diferenças culturais chamaram a atenção dos participantes. “Aqui, quando está muito quente de manhã, as pessoas tendem a abrir as janelas. Isso é errado, porque o calor que está fora vai entrar. Para os alemães isso está claro. Por outro lado, as pessoas da limpeza lá tem o hábito de fechar as janelas para não entrar sujeira, mesmo se estiver quente dentro e uma brisa gostosa do lado de fora”, conta Felipe da Silva Duarte Lopes, aluno de doutorado da FEC. Um dos desafios para os participantes da Training school foi adaptar as estratégias desenvolvidas por um país para a realidade do outro.

estudantes ao pordo sol

Segundo a professora Luciana Oliveira Fernandes, uma das organizadoras do evento, entender como o usuário opera o edifício é fundamental para desenvolver um projeto de eficiência energética. “Não adianta adotar estratégias de ultima geração, se as pessoas não souberem utilizar. Os usuários têm que fazer parte do processo”, afirmou.

Túnel de vento

tunel de vento

Uma das estrelas da colaboração entre a Unicamp e a Hafencity University foi o Túnel de Vento, equipamento da FEC que simula a ventilação de um ambiente e pode ser utilizado para testar janelas de tamanho real e maquetes. “É brilhante podermos utilizar o túnel e aquirir o conhecimento para operá-lo”, afirmou Wellershoff.

Segundo Luciana, o túnel tem um papel importante nos estudos de retrofit, por trazer dados mais precisos sobre o desempenho de janelas, por exemplo. “Para fazer um estudo de retrofit é preciso saber o que se passa no edifício. Com o túnel obtemos dados que podem ser inseridos em uma simulação computacional que estima o comportamento desse edifício”, explicou Luciana.

professora dá entrevista
Professora Luciana Oliveira Fernandes