A redação no Vestibular Unicamp é tema do Café com conversa de outubro

Por Everaldo Rodrigues (Editora da Unicamp / Especial para o JU)

Está no ar o programa “Café com conversa” gravado no dia 16 de outubro de 2019, produzido pela TV Unicamp, em parceria com a Editora da Unicamp e a CPV-Funcamp. O tema do debate foi “A redação no Vestibular Unicamp”, com a participação de Cynthia A. B. Neves, doutora em Linguística Aplicada pela Unicamp, membro da Câmara Deliberativa do Vestibular e coorganizadora do livro A redação no Vestibular Unicamp: O que e como se avalia; e Sérgio Paganim, formado em Letras pela USP e coordenador de linguagens do Anglo Vestibulares.

Professoras Cynthia A. B. Neves e Márcia Mendonça em sessão de autógrafos durante recente lançamento
As organizados do livro Luciana Amgarten Quitzau, Cynthia A. B. Neves, Márcia Mendonça e Patrícia Aquino em sessão de autógrafos durante lançamento da Editora da Unicamp

O programa teve como foco o citado A redação no Vestibular Unicamp: O que e como se avalia, livro organizado por Márcia Mendonça e Cynthia A. B. Neves. O lançamento da Editora da Unicamp reúne textos escritos por membros da própria Comvest, que detalham o método de avaliação e correção das redações, expondo as tabelas, os dados e as grades analíticas utilizadas nesse processo. A proposta do livro é expor a filosofia da Comvest para a elaboração do tema da redação e os critérios utilizados, posteriormente, para sua correção. Ao considerar que a produção textual seja o resultado das práticas desenvolvidas ao longo da escolarização, o livro busca contribuir para a formação dos estudantes, colaborando com o ensino básico e com o desenvolvimento de uma habilidade de escrita que cumpra os requisitos exigidos.

Para o professor Sérgio Paganim, o livro A redação no Vestibular Unicamp vem para evitar equívocos e manter uma relação de transparência entre instituição e docentes. “Criam-se mitos a respeito da redação da Unicamp, que tem um caráter muito especial de gêneros textuais, diferente de outros exames importantes, portanto, a transparência é um critério fundamental para a Unicamp se explicar e para que os professores possam trabalhar de uma maneira muito mais afinada com a banca, sem mitos, sem invenções.” O livro oferece muitas possibilidades para o trabalho em sala de aula, sendo possível, como afirma Paganim, até mesmo a preparação de um curso baseado na obra.

“A transparência na Universidade pública se faz necessária. Ser transparente a respeito da nossa grade de correção é parte de várias outras políticas públicas e outros processos que a Unicamp abriu, inaugurou, nesses últimos anos”, complementa Cynthia Neves, coorganizadora do livro. Todos os critérios de avaliação do texto possuem base teórica e, para Neves, é importantíssimo que a instituição possa mostrar de onde vieram esses critérios e quais são os seus fundamentos.

Assista ao programa.