Professor do Instituto de Biologia é premiado em conferência internacional

Edição de imagem

Daniel Martins-de-Souza, professor de Bioquímica do Instituto de Biologia (IB) da Unicamp e afiliado da Academia Brasileira de Ciências (ABC), foi um dos selecionados para receber a Medalha BrMASS Manuel Riveros, concedida pela Sociedade Brasileira de Espectrometria de Massas (BrMASS). O prêmio será entregue durante a 3ª Conferência Ibero-Americana de Espectrometria de Massas – evento que reunirá pesquisadores do mundo todo entre 10 e 15 de dezembro no Rio de Janeiro.

A ideia da premiação é homenagear pesquisadores brasileiros que se destacam no ramo da Espectrometria de Massas, um método de análise usado para identificar compostos em amostras. “A Espectrometria de Massas é uma técnica centenária que nos permite analisar basicamente qualquer tipo de molécula”, explica Martins-de-Souza, que realiza pesquisas nessa área desde 2000. “Com ela, podemos estudar compostos em diferentes abundâncias e tamanhos e até entender a composição de misturas”, destaca o docente.

Entre 2010 e 2012, o biólogo chefiou o grupo dedicado à Espectrometria de Massas técnica no Centro de Pesquisa Neuropsiquiátrica de Cambridge (CCNR), da Universidade de Cambridge, no Reino Unido. Ainda, entre 2012 e 2014, foi chefe de um grupo de pesquisa sobre o tema, na Universidade de Munique (LMU), na Alemanha. “Essas experiências só foram possíveis por conta da minha formação. Eu aprendi a trabalhar com Espectrometria de Massas ainda durante a graduação, por volta dos anos 2000, na Unicamp”, relembra. "Fiz iniciação científica em proteômica. Durante o doutorado, testemunhei um grande avanço na área e recebi o treinamento necessário na Unicamp e no Instituto Max Planck, na Alemanha, para que, depois, pudesse assumir essa função em Cambridge e em seguida na LMU”, conta o pesquisador.

Atualmente, Daniel faz parte do conselho acadêmico da BrMASS, é vinculado à ABC, coordena o Laboratório de Neuroproteômica na Unicamp e aplica os conhecimentos obtidos para estudar o sistema nervoso humano e as bases neurológicas de transtornos psiquiátricos, como a esquizofrenia e a depressão.

A Medalha BrMASS Manuel Riveros é um reconhecimento pelas quase duas décadas dedicadas à pesquisa e à academia. Nesse período, o cientista também desenvolveu trabalhos relacionados à covid-19, ao vírus zika e a doenças neurodegenerativas, entre outros campos de estudo. “Sempre admirei muito os pesquisadores dessa área e estudei muito para entender um pouco sobre essa técnica. Receber essa homenagem é uma conquista muito importante e eu me sinto humildemente honrado”, destaca Martins-de-Souza”. “Isso me dá uma sensação de que o esforço tem valido a pena e é algo que me motiva a trabalhar cada vez mais e querer contribuir cada vez mais”, complementa.

Além das homenagens e premiações, a 3ª Conferência Ibero-Americana de Espectrometria de Massas contará com palestras, cursos e workshops sobre temas relacionados à Espectrometria de Massas, abrangendo as teorias fundamentais e as aplicações da técnica. 

A programação completa pode ser conferida no site do evento.

Imagem de capa
Prêmio será entregue durante a 3ª Conferência Ibero-Americana de Espectrometria de Massas, evento que reunirá pesquisadores do mundo todo entre 10 e 15 de dezembro no Rio de Janeiro

twitter_icofacebook_ico

Atualidades

Obra reúne acervo de Rogério Cerqueira Leite; edição estará disponível para venda em breve nos sites das editoras

O papel do rap e da educação na busca pela superação do racismo e da violência foi um dos temas debatidos

Foram aprovados os itens: “Prêmio Tese Destaque", a prorrogação da licença paternidade para servidores e recursos adicionais para o desenvolvimento de dois projetos no âmbito do Plano Plurianual de Investimentos (PPI)

Cultura & Sociedade

Fruto de parceria com jovens indígenas do país, obra “Still I Rise” traz relatos de experiências de impacto para o empoderamento de povos originários

O Instituto de Geociências recebeu 175 finalistas, distribuídos em 58 equipes; a Olimpíada Brasileira de Geografia e a Olimpíada Brasileira de Ciências da Terra contemplou 17 estudantes cada uma