Seminário reúne alunos e egressos do Programa de Pós-Graduação Multiunidades em Ensino de Ciências e Matemática

Edição de imagem

O Programa de Pós-Graduação Multiunidades em Ensino de Ciências e Matemática (Pecim) promoveu, no final de setembro, seu XI seminário anual, que tem por objetivo discutir os projetos de pesquisa dos estudantes ingressantes, para ajudá-los a sistematizar as pesquisas e para permitir a integração entre alunos e professores. O evento, que ocorreu no auditório Milton Santos do Instituto de Geociências, reuniu os ingressantes de 2021 e 2022, além de egressos e docentes.

O Pecim é composto por quatro unidades acadêmicas da Unicamp: a Faculdade de Educação (FE), o Instituto de Geociências (IG), o Instituto de Física “Gleb Wataghin” (IFGW) e o Instituto de Química (IQ). Seu foco é a produção de conhecimento na educação em ciências – compreendendo aspectos integrados das ciências da natureza e de suas áreas específicas – e no campo da educação em matemática. Uma atenção especial é dada ao desenvolvimento de conhecimentos que possam contribuir para a melhoria da formação dos professores nos diversos níveis de escolarização e para a melhoria da educação.

##
Mesa de abertura do XI Seminário; o Pecim é composto pela Faculdade de Educação e institutos de Geociências, de Física “Gleb Wataghin” e de Química

Participaram da mesa de abertura do XI Seminário a coordenadora do Pecim, Maria Inês de Freitas Petrucci dos Santos Rosa; o diretor do IG, Márcio Cataia; o diretor do IQ, Cláudio Francisco Tormena, e o diretor associado do IFGW, Marcos Cesar de Oliveira. O docente do IG Roberto Greco foi quem coordenou os trabalhos internos do seminário. De acordo com Maria Inês, no projeto político pedagógico do Programa já constava inicialmente a realização de seminários internos anuais, que são obrigatórios para todos os alunos. “A importância do seminário é criar um espaço para que os pós-graduandos possam apresentar seus projetos de pesquisa em andamento para bancas abertas em um espaço de debate e discussão”, disse.

O evento configura-se como um momento de troca de experiências e conhecimentos entre ingressantes, pós-graduandos que estão na fase final de seus trabalhos e egressos. “O seminário é sempre muito celebrado porque tem a característica de trazer mestres e doutores já formados pelo Programa para conversar com aqueles que estão em processo de pós-graduação”, aponta Maria Inês.

Além das quatro unidades que integram o Pecim, o Programa conta ainda com a participação de docentes do Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica (IMECC), do Instituto de Biologia (IB), da Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA), da Faculdade de Tecnologia (FT) e do Núcleo Informática Educacional (NIED). “O Pecim tem uma importância bastante significativa para a Unicamp porque é uma experiência exitosa no sentido de congregar unidades com características diferentes, mas que convergem na preocupação sobre o ensino de ciências e a com a integração com as licenciaturas. Esse é um ganho muito grande para a Universidade, sem dúvida, porque traz um espectro de formação desde a graduação até a pós-graduação nessa área de ensino de ciências”, finaliza a docente.

twitter_icofacebook_ico

Atualidades

Obra reúne acervo de Rogério Cerqueira Leite; edição estará disponível para venda em breve nos sites das editoras

O papel do rap e da educação na busca pela superação do racismo e da violência foi um dos temas debatidos

Foram aprovados os itens: “Prêmio Tese Destaque", a prorrogação da licença paternidade para servidores e recursos adicionais para o desenvolvimento de dois projetos no âmbito do Plano Plurianual de Investimentos (PPI)

Cultura & Sociedade

O evento foi organizado pela Proec e reuniu mais de 700 participantes, de oito estados, com a apresentação de 189 trabalhos; confira a reportagem completa sobre as palestras e entrevistas com os convidados 

Fruto de parceria com jovens indígenas do país, obra “Still I Rise” traz relatos de experiências de impacto para o empoderamento de povos originários