Instituto de Economia oferece curso de educação financeira a servidores

O Instituto de Economia (IE) da Unicamp inicia em maio um programa de educação e orientação financeira voltado a servidores. Criado por um grupo de alunos do IE sob orientação do professor Rodrigo Lanna, o Serviço de Educação Financeira (SEF), em seu “Programa de Educação e Orientação Financeira", tem como objetivo apresentar conceitos e estratégias que contribuam com a educação financeira da comunidade, com vistas ao aumento de seu bem-estar.

Um dos pilares do programa é o curso de educação financeira. Entre maio e julho, os funcionários inscritos irão receber orientações sobre consumo e planejamento financeiro. De acordo com o professor Rodrigo Lanna, o foco do curso é o orçamento familiar, fornecendo ferramentas que permitam gerenciar as receitas e as despesas da família.

Segundo dados da Confederação Nacional do Comércio (CNC), o percentual de famílias brasileiras que relataram dívidas a vencer alcançou 77,7%  em abril. Essa é a maior proporção da série histórica da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), iniciada em 2010. Em abril de 2021, esse percentual era de 67,5%.

Ainda de acordo com o levantamento da CNC, a parcela da população com dívidas ou contas em atraso também alcançou seu maior patamar histórico, atingindo 28,6% das famílias. Levantamento divulgado nesta quarta-feira (11) pela ACIC (Associação Comercial e Industrial de Campinas) mostra que, no acumulado do 1º trimestre, foram gerados, em Campinas, 56.223 carnês que não foram pagos, o que corresponde a uma dívida global de R$ 40,3 milhões.

Na Região Metropolitana de Campinas são 133.864 boletos não pagos, uma dívida equivalente a R$ 96,4 milhões.

Lanna lembra que a inadimplência é um problema crônico, mas que ele foi agravado pelo aumento da inflação, da taxa de juros e da taxa de desemprego. O Brasil tem hoje cerca de 12 milhões de desempregados e inflação acima de 10%.

O professor diz que o curso contará com uma carga horária de 14 horas, distribuídas em nove aulas. Serão apresentadas noções sobre a formação dos juros, os vários tipos de crédito, além de discutir hábitos de consumo e refletir sobre decisões financeiras. Na parte final, o curso irá abordar investimentos, tratando de temas como perfil de risco e as possibilidades de diversificação.

Lanna diz que, nesse primeiro momento, o curso atenderá apenas a servidores da Unicamp, mas a ideia é incorporá-lo como um programa regular do Instituto de Economia, estendendo-o a novos grupos.

Imagem de capa

O foco do curso é o orçamento familiar, fornecendo ferramentas que permitam gerenciar as receitas e as despesas da família
O foco do curso é o orçamento familiar, fornecendo ferramentas que permitam gerenciar as receitas e as despesas da família