Evento Meninas SuperCientistas prossegue até julho

O evento Meninas SuperCientistas retorna em 2021 com uma edição inteiramente online. Serão quatro encontros, com transmissão aberta ao público em geral, via Youtube. O primeiro ocorreu no último sábado, 29 de maio, com palestras das convidadas Nina da Hora (PUC-Rio) e Stela Shitani Silva (Cua/Nasa). O objetivo do evento, que teve sua primeira edição em 2019, é incentivar meninas a seguirem carreiras científicas, especialmente em áreas que ainda têm uma predominância masculina. Confira abaixo a programação completa.  

A idealizadora e uma das organizadoras do evento, Marcela Medicina, estudante do Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica (IMECC) da Unicamp, conta que após a interrupção da edição de 2020 do Meninas SuperCientistas, por conta da pandemia do novo coronavírus, o evento foi adaptado. “Adaptamos a ideia e aproveitamos a oportunidade para chamar mulheres de outros lugares do mundo”, diz. Dessa forma, as 65 meninas que haviam sido selecionadas para participar em 2020 foram chamadas a participar do evento online, mas ele será aberto a todas que se interessem pelos assuntos abordados.

Marcela também lembra que o evento é especialmente voltado a incentivar a participação de mulheres nas carreiras que ainda têm uma subrepresentação feminina. “Desde criança sempre vemos a ciência sendo protagonizada por homens. Então muitas meninas crescem achando que a ciência, principalmente nas áreas de exatas, tecnológicas e matemáticas, não são áreas para mulheres, e a sociedade reforça isso. O evento é para incentivar as meninas, mostrar exemplos para que elas percebam que essa área também é para elas”, diz, lembrando também que a maior parte dos cursos de exatas têm menos de 20% de mulheres como estudantes.

Esforço para incluir a todas

Através de uma pesquisa realizada com as participantes de 2020, as organizadoras do Meninas SuperCientistas mapearam aquelas que teriam dificuldades em participar do evento online por falta de conexão ou equipamentos. Ao identificarem sete estudantes que não possuíam computador e duas que não tinham como acessar a internet, elas se mobilizaram para conseguir doação de equipamentos e de chips, e conseguiram sanar o problema. “Nosso esforço maior foi em tentar incluir a todas, não deixar nenhuma para trás, pois muitas são de regiões de vulnerabilidade. Então fizemos a pesquisa para saber para tentar proporcionar para todas as mesmas condições”, frisa Ana Augusta Xavier, profissional de pesquisa da Unicamp e integrante da organização do Meninas SuperCientistas. 

audiodescrição: fotografia colorida de plateia de jovens estudantes em auditório lotado
Primeiro dia do Evento Meninas SuperCientistas em 2020, que foi interrompido devido à pandemia

Programação 

A programação do evento, que tem patrocínio do Ifood e QuintoAndar, inclui palestrantes que estavam previstas para a edição de 2020 e novas convidadas, pela possibilidade do formato online permitir a participação de cientistas que moram longe. Serão quatro sábados de evento, com periodicidade quinzenal, sempre iniciando às 9h. A transmissão será no canal do Youtube Meninas SuperCientistas. Para as meninas selecionadas em 2020, será enviado um link para participação no Google Meet, onde elas poderão interagir diretamente com as palestrantes. 

O público também ouvirá mulheres cientistas que atuam na Unicamp. Para a pós-graduanda do IMECC Juliana Carolina Baiochi, membro da organização do evento, ouvir as profissionais da Unicamp tem especial importância, já que as jovens estudantes selecionadas em 2020 são em grande maioria da região de Campinas, e saber sobre essas trajetórias pode motivá-las.  “Basicamente o contato que as meninas têm com ciência é com professores da escola, e mostrar o que é feito dentro da cidade delas, mostrar como é a Universidade, é importante. Quando as palestrantes contam sobre a vida delas, há semelhanças que fazem elas pensarem que é possível ter um sonho assim”, reflete.

Confira a programação na íntegra:

29 de maio

9h - Abertura do evento

9h30 - “Por que eu não desisto da área de ciência da computação?”, com  Nina da Hora (PUC-Rio) 

10h50 - “Buscando Novos Mundos: de Belo Horizonte a NASA”, com Stela Shitani Silva (Cua/Nasa), 

12 de junho

9h - “Robôs voadores: isso já existe ou ainda é só ficção?”, com Caroline Chanel (Isae/Supaero) 

10h20 - “Astrobiologia: explorando a vida nos confins da Terra e do universo”, com Amanda Bendia (Instituto Oceanográfico/USP)

26 de junho

9h - “O incrível universo dos Produtos Naturais”, com Taícia Fill (Instituto de Química/Unicamp)

10h20 - “Luz pra quê? Sirius e a ciência e tecnologia brasileiras”, com Ana Zeri* (CNPEM)

10 de julho

9h - “Como é fazer pesquisa em matemática?”, com Anne Bronzi (IMECC/Unicamp)

10h20 - “O fantástico mundo da robótica”, com Esther Colombini (Instituto de Computação/Unicamp)

*A pesquisadora Ana Zeri guiará as participantes em um tour virtual pelo Sirius, o acelerador de partículas que é considerado a maior e mais complexa estrutura científica já construída no país. Ele está localizado no Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), em Campinas.

Mais informações no site do projeto Meninas SuperCientistas.

Imagem de capa

audiodescrição: ilustração colorida de divulgação do evento meninas supercientistas
Evento Meninas SuperCientistas inicia no dia 29 de maio