Estudantes avançam à fase final em competição da NASA

Uma equipe composta cinco estudantes da Faculdade de Tecnologia (FT) da Unicamp, campus Limeira, e um estudante da Faculdade Claretiano passou da fase regional e recebeu a nominação global na competição Space App Challenge, promovida pela NASA, a Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço dos Estados Unidos. No desafio, eles formularam um jogo de educação e conscientização ambiental, que concorre com cerca de 400 projetos na avaliação final.

audiodescrição: ilustração colorida contendo fotos dos seis estudantes da equipe
A equipe responsável pelo desenvolvimento da aplicação

O grupo é composto pelos estudantes Lucas Barreto de Jesus (Engenharia de Telecomunicações - FT); Cibele Naomi (Engenharia Ambiental - FT); Lucas Tadeu (Engenharia de Telecomunicações - FT); Danilo Nogueira (Engenharia de Telecomunicações -FT); Vitor Kogawa (Sistemas de informação - FT) e Davi Beraldo (Análise e Desenvolvimento de Sistemas - Claretiano). A competição envolveu usar dados brutos da Nasa e de outras agências e desenvolver uma aplicação em 48 horas. Na etapa inicial, a Nasa informou 20 desafios, dentre os quais cada equipe escolheu um para embasar a trabalho.

“Eles propõem 20 desafios, cada equipe escolhe um desafio e precisa criar uma solução inovadora para ele. Apesar da competição chamar Space Apps, não é necessariamente aplicativo de celular. O nosso projeto é um jogo voltado para a área de sustentabilidade e de conscientização”, explica Lucas Barreto. 

O jogo, designado One Choice One Future, foi desenhado para ser acessado em dispositivos eletrônicos, como celular, computador e tablet. Nele, são colocadas perguntas sobre hábitos de consumo. Cruzando com os dados sobre a cidade em que o usuário reside, ele dá pontuações que ajudam no entendimento de como os hábitos individuais impactam na cidade. Confira o vídeo do jogo avaliado pela equipe da Nasa e que  rendeu a nominação global:

“O jogo é voltado para o público infantil e jovens adolescentes e se baseia em escolhas. O usuário tem que fazer uma escolha, por exemplo a respeito do consumo de carne. Com base nas perguntas e na base de dados, por exemplo qual é a média de temperatura e de CO2 da sua região, vão aparecendo os impactos no planeta”, observa Cibele Naomi.

O objetivo, contam os estudantes, é impactar as crianças e jovens adolescentes para que levem essas informações para sua a família. “É um jogo que conscientiza e que incentive ela a melhorar hábitos. Se o resultado for ruim, a criança vai ver o que ‘errou’ e no que pode melhor. São os pontos que incentivam a fazer coisas corretas que ajudam o planeta”, diz Danilo Nogueira. Além das pontuações, o jogo também exibe mensagens informativas sobre os impactos ambientais.

Para a formulação da aplicação, a equipe utilizou a técnica de programação Progressive Web Apps (PWA), em que se cria um código adaptável a qualquer dispositivo, sem que haja necessidade de desenvolver mais de uma vez. A experiência de uma equipe interdisciplinar, que trouxe ideias de diferentes pontos de vista na solução dos problemas, foi fundamental para que obtivessem um bom resultado, avaliam os estudantes. Com a nominação para a fase global, os estudantes ganharam cursos e consultorias e poderão, futuramente, aperfeiçoar o jogo.

O resultado da fase final da competição deverá ser divulgado no início de 2021. Mas, para a equipe, só a experiência de ter participado já foi compensadora. O trabalho em equipe, para Lucas Tadeu, é avaliado como um aprendizado. “Tendo integração, ajuda a facilitar o processo. Isso foi uma das melhores armas que nos facilitou a desenvolver a aplicação. Sempre estávamos na sala, conversando, cada um trabalhando naquilo que conseguia desenvolver melhor, mas o grupo como um todo levando sua bagagem de resolver problemas. Para mim, é uma experiência inigualável”, diz.

Imagem de capa

audiodescrição: ilustração colorida mostra três imagens de celulares e nelas há imagens de como o aplicativo funciona
Aplicativo One Choice One Future está na fase final da competição