Retorno de alunos da pós-graduação ficará a critério de cada unidade

Dentro do cronograma previsto pelo Plano de Retorno Parcial e Gradual de atividades presenciais da Unicamp, a partir de 16 de novembro será permitido o retorno aos campi de até 25% de estudantes dos cursos de graduação e pós-graduação. Mesmo com essa possibilidade, as atividades que puderem continuar na modalidade remota sem que isso prejudique de seus desenvolvimentos serão mantidas assim. Confira na reportagem como será o processo de retomada na pós-graduação.

Unidades vão definir casos prioritários

Segundo a pró-reitora de Pós-Graduação da Unicamp, Nancy Lopes Garcia, cada unidade será responsável por definir os estudantes que poderão retornar para desenvolver atividades presenciais nos campi. Isso será discutido pelos diretores das faculdades e institutos, coordenadores dos programas de pós-graduação, orientadores e membros dos comitês de crise covid-19 de cada unidade. A prioridade será dada às atividades que não possam ter continuidade de forma remota, tanto no que diz respeito a aulas de disciplinas, quanto nos trabalhos laboratoriais. 

Nancy explica que, mesmo com a interrupção das atividades presenciais, parte das pesquisas em desenvolvimento que dependem do uso de laboratórios foram mantidas na Universidade. "Pesquisas que sofrem algum dano de serem interrompidas, como as que trabalham com espécies animais, continuam sendo feitas. A Resolução GR 80/2020 permite que, aquelas que apresentam algum risco de comprometimento, sejam analisadas pelo comitê de crise da unidade e aprovadas. Então parte das pesquisas já estão cobertas por essa resolução", esclarece. De acordo com a resolução, cada caso é avaliado de forma individual pelas unidades e, tendo sua continuidade aprovada, são estabelecidos todos os cuidados de higiene e de distanciamento social necessários. 

foto mostra a professora nancy garcia, pró-reitora de pós-graduação
Nancy Lopes Garcia, pró-reitora de Pós-Graduação, aconselha estudantes a manterem diálogo com orientadores

Os pós-graduandos que forem selecionados para o retorno presencial deverão passar pelos mesmos procedimentos que funcionários, professores e estudantes de graduação: todos deverão fazer o teste de detecção do coronavírus no Cecom, cumprir a formação em videoaulas sobre convívio seguro e responder diariamente ao Aplicativo de Vigilância em Saúde da Unicamp (AVISU). Além disso, todos os cuidados com higiene e medidas de distanciamento serão adotados nos espaços que receberão os estudantes, como salas de aula e laboratórios. 

"Um fator positivo na pós-graduação é que as turmas tendem a ser menores. Portanto, se elas forem consideradas prioritárias, é mais fácil atender às exigências sanitárias e de distanciamento social. No caso dos laboratórios, só vamos poder determinar quantos alunos podem retornar dependendo da capacidade de cada laboratório. Só quem pode apontar isso é o responsável pelo laboratório, ele pode dizer quantos alunos podem estar juntos ao mesmo tempo e por quanto tempo em cada local. Então é algo muito específico", salienta a pró-reitora.

Programas adaptam processos seletivos

Previstos para o segundo semestre, boa parte dos programas de pós-graduação da Unicamp seguirão com seus calendários de processos seletivos. Assim como as demais atividades, a orientação é que as seleções sejam adaptadas e os programas encontrem maneiras de cumprir as etapas de forma também remota. Devido à variedade de normas e exigências entre os programas, Nancy pontua que há casos ainda em análise das melhores opções a serem tomadas: "Por exemplo, o Programa de Economia conta com um exame nacional de entrada para os programas de pós-graduação. A forma de aplicação deste exame tem sido um desafio para o Instituto de Economia, porque a Unicamp é um dos polos de aplicação do exame.”

Ela também ressalta que ainda não é possível traçar perspectivas concretas de como deverá ser o primeiro semestre de 2021, já que isso depende da evolução da pandemia no país e do desenvolvimento de uma vacina ou outra forma eficiente de controle da covid-19. "Eu espero que, no primeiro semestre de 2021, já haja algum retorno à normalidade. Acredito que parte das atividades remotas continuem, até porque elas facilitaram muitas coisas. É o caso de alunos que já deixaram a residência em Campinas e agora continuam produzindo suas teses. Eles vão continuar fazendo isso remotamente junto ao orientador. Mas ainda não é possível fazer previsões", reflete a pró-reitora. 

Nancy informa que, devido aos contratempos que os pós-graduandos venham a ter sofrido por conta da pandemia, a Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PRPG) está concedendo a extensão de prazos para a integralização de créditos para os estudantes que fizerem a solicitação. Isso deve ser feito juntamente aos orientadores, que encaminharão os pedidos à PRPG. Ela também orienta aos pós-graduandos que todos os casos específicos envolvendo a necessidade de presença nos campi, andamento de pesquisas, prazos e demais questões, sejam discutidos diretamente com os orientadores, que farão a ponte com as instâncias superiores dos programas e da Universidade. "O caminho é sempre procurar o orientador", finaliza. 

Todas as orientações detalhadas sobre o retorno parcial e gradual da atividades presenciais da Unicamp para os pós-graduandos estão disponíveis na Cartilha sobre o Convívio Seguro disponível em https://www.unicamp.br/unicamp/cartilha-covid-19/estudantes

Acesse também o plano completo em https://www.unicamp.br/unicamp/cartilha-covid-19/plano-de-retorno-unicamp

Dúvidas podem ser enviadas ao e-mail retomada.covid19@unicamp.br
 

Imagem de capa

foto mostra pesquisadora colocando em gotas um líquido dentro de outro recipiente em um laboratório
Prioridade será de pesquisas que não podem ser feitas de forma remota. Orientação é de que processos seletivos dos programas também sejam à distância