Faleceu o professor aposentado de Filosofia Marcos Lutz Müller

Faleceu nesta terça-feira (15/09) Marcos Lutz Müller, docente aposentado do Departamento de Filosofia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp. O professor deixa a esposa, a filósofa Jeanne Marie Gagnebin, duas filhas e uma neta.

Nascido em 9 de janeiro de 1943, Marcos Lutz Müller formou-se em direito e filosofia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul em 1965. Três anos depois ingressou no doutorado em filosofia da Universidade de Heidelberg Ruprecht Karl, na então Alemanha Ocidental. Com bolsa do Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD), produziu e defendeu em 1975 a tese A Teoria da Negação de Sartre, sob orientação do professor Ernst Tugendhat.

De volta ao Brasil, Marcos Lutz Müller ingressou na Unicamp em dezembro de 1975. Ao longo de sua carreira no IFCH, ministrou disciplinas como Epistemologia da Economia, Filosofia da História, Ética, História da Filosofia Moderna e Introdução à Filosofia, entre outras. Também realizou pesquisas de pós-doutorado em diferentes momentos na École de Hautes Études en Sciences Sociales e Collège International de Philosophie na França, Universidade Livre de Berlim e Universidade Ruhr-Bochum na Alemanha, e na Universidade de Urbino "Carlo Bo” na Itália.

Entre 1980 e 1982 foi chefe do Departamento de Filosofia, e em 1995 foi Coordenador do Programa de Pós-Graduação do instituto. Aposentou-se no final de 2009, passando a atua como professor colaborador do instituto.

Ao longo de sua carreira como pesquisador, Marcos Lutz Müller realizou uma importante contribuição no estudo da dialética hegeliana, com artigos, trabalhos apresentados e atuando na formação de dezenas de pesquisadores ao longo de mais de 40 anos. Também se dedicou ao longo de anos na tradução crítica de “Linhas Fundamentais da Filosofia do Direito ou Direito Natural e Ciência do Estado em Compêndio” de Georg Wilhelm Friedrich Hegel.

Repercussão

Alvaro Bianchi, diretor do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp

É com pesar que comunicamos o falecimento no dia de ontem do professor Marcos Lutz Müller. Grande intérprete e tradutor da obra de Hegel, a morte do Prof. Müller representa uma perda insubstituível para os estudos de Filosofia no Brasil. O enterro ocorrerá hoje, no Cemitério Flamboyant, e será reservado aos familiares por conta da pandemia.À família enlutada, a Direção do IFCH irmana-se em seu sentimento de perda e dor, e decreta luto oficial no dia de hoje no Instituto sem suspensão das atividades remotas.

 

Taisa Palhares, chefe do Departamento de Filosofia do IFCH Unicamp

Em nome do Departamento de Filosofia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp, comunico com profundo pesar o falecimento do Prof. Marcos Lutz Müller na data de hoje. Reconhecido pela excelência do seu trabalho como intérprete e tradutor da obra de Hegel, a morte do Prof. Müller representa uma perda irreparável para os estudos de filosofia no Brasil. Professor livre-docente aposentado do Departamento de Filosofia, e atualmente colaborador do Programa de Pós-Graduação, ele formou diversas gerações de alunos e pesquisadores com enorme rigor e dedicação. O Departamento manifesta suas condolências aos familiares e amigos.

 

Oswaldo Giacoia Junior, professor do Departamento de Filosofia do IFCH Unicamp

É com profundo pesar que colegas e amigos do Departamento de Filosofia do IFCH/Unicamp comunicam o falecimento, às 17,00 hs do dia 15 de setembro de 2020, de nosso colega Prof. Dr. Marcos Lutz-Müller. Pessoa dotada de rara sensibilidade, extraordinária competência, erudição filosófica e humildade, Marcos Müller dedicou grande parte de sua vida à consolidação do Departamento de Filosofia do IFCH/Unicamp como uma instituição de excelência acadêmica, tendo para tanto empenhado seu incansável esforço e prestígio intelectual, unanimemente reconhecido como liderança nos campos da docência, pesquisa e extensão, para criar um espaço privilegiado de formação, produção qualificada de conhecimentos e convívio respeitoso. Inspirado em sólidos princípios éticos e comprometido com valores de justiça, liberdade e dignidade pessoal, Marcos Lutz-Müller dignificou o exercício do magistério na universidade pública brasileira, devotando a ela, com extrema generosidade, o esmerado talento de uma das mentes mais lúcidas e brilhantes no campo da filosofia no Brasil. Neste momento de pesar e sofrimento, seus e suas colegas expressam sua gratidão e reconhecimento, bem como a confiança em que o legado espiritual de Marcos Müller, como filósofo, mestre e amigo, nos servirá sempre de inspiração e diretriz. Deixo condolências à Jeanne Marie e filhas do Marcos Müller.

 

Vladimir Safatle, professor da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo

É com muita tristeza que chega a notícia do falecimento do professor Marcos Lutz Müller, do Departamento de Filosofia da Unicamp. Marcos foi responsável pela formação de gerações de hegelianos de espírito crítico e rigoroso. Autor de reflexões maiores sobre a tradição dialética e leitor arguto, tive a honra de tê-lo em minha banca de livre-docência. A filosofia feita entre nós tem uma enorme perda.

 

Departamento de Filosofia da FFLCH USP

O Departamento comunica, com grande pesar, o falecimento de Marcos Lutz Müller, professor livre-docente do Departamento de Filosofia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). A contribuição de Marcos Müller para a reflexão filosófica no Brasil é ímpar e decisiva, em especial no que concerne ao estudo da dialética hegeliana. Desde cedo, seus textos ganharam destaque na cena acadêmica, rapidamente alcançando reconhecimento nacional e internacional. Ele formou dezenas de pesquisadores, dos quais muitos se tornaram professores das melhores universidades do país. A condução séria e dedicada dos assuntos acadêmicos sempre causou admiração entre seus pares e estudantes. Sua aguardada tradução crítica da Filosofia do Direito de Hegel, trabalho de uma vida inteira, deverá sair em breve pela editora 34 Letras. Desde o começo dos anos 1990, o público pôde acompanhar o desenvolvimento desse labor paciente por meio da divulgação sequenciada de partes da exposição hegeliana. O esmero e o rigor com que ele empreendeu essa tarefa, sob as maiores expectativas, é um exemplo raro de valorização do texto filosófico, transformando o exercício da tradução em uma atividade que alia precisão e engenho.Em particular, o Departamento presta condolências à esposa, Profa. Jeanne Marie Gagnebin, às filhas Rafaela e Christina e à neta Helena.

Matéria original publicada no site do IFCH da Unicamp.