Mozart Ramos participa de ciclo na Unicamp para discutir “A Crise da Educação”

A terceira conferência do ciclo “A Crise Brasileira” receberá o educador Mozart Neves Ramos, diretor de Articulação e Inovação do Instituto Ayrton Senna e membro do Conselho Nacional de Educação (CNE), para discutir o tema “A Crise da Educação”. O evento organizado pelo Instituto de Estudos Avançados (IdEA) da Unicamp acontecerá no Auditório da Faculdade de Ciências Médicas (FCM), em 23 de outubro.

Recém-titulado professor emérito da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), onde foi docente entre 1977 e 2013 e reitor em duas gestões (1996-1999 e 2000-2003), Mozart Ramos vai abordar em sua palestra a necessidade de criação de uma agenda positiva e de se buscar alternativas como forma de superar a crise. “Temos que fazer como o espadachim que esgrima com os dois braços, um para se defender da crise e com outro para fazer com que a universidade não pare”, diz Mozart.

Segundo ele, a crise exige novos mecanismos que aproximem mais a sociedade brasileira da academia. O professor emérito da UFPE afirma que ciência, tecnologia e inovação não devem mais ser consideradas como “ponto de chegada” das universidades, mas apenas como “ponto de partida” para objetivos mais ousados, como a contribuição concreta para a melhora da qualidade da educação básica.

Para Mozart, é importante que a universidade coloque numa posição de destaque, no seu plano de desenvolvimento, o enfrentamento da qualidade da educação básica no Brasil, especialmente no que se refere a qualidade da formação inicial e continuada dos professores. “A formação básica é, em geral, muito precária, distante da prática escolar, e há uma fragmentação muito grande dentro da própria universidade.”

Entre os problemas que destaca hoje na educação brasileira, o ex-reitor da UFPE cita a dificuldade de se cumprir a meta 12 do Plano Nacional de Educação (PNE), que determina diretrizes, metas e estratégias para a política educacional entre 2014 e 2024. Essa meta especificamente prevê elevar a taxa líquida de matrícula na educação superior para 33% da população de 18 a 24 anos. Atualmente, apenas 18% desses jovens estão matriculados no ensino superior.

Graduado em Engenharia Química pela UFPE, Mozart Ramos presidiu a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) entre 2002 e 2003. Também foi secretário de Educação de Pernambuco (2003-2006), presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (2006) e presidente executivo do Todos Pela Educação (2007-2010). Atualmente é membro do Conselho Nacional de Educação, posição que também ocupou entre 2005 e 2014.

Ciclo de Conferências “A Crise Brasileira”
Conferencista: Mozart Neves Ramos
Tema: “A Crise da Educação”
Data: 23 de outubro de 2019
Horário: 10h
Local: Auditório da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp
Endereço: Rua Tessália Vieira de Camargo, 126, Cidade Universitária, Campinas
Realização: Instituto de Estudos Avançados (IdEA) da Unicamp
Inscrições: http://www.idea.unicamp.br/eventos/educador-mozart-ramos-discute-crise-da-educacao-em-23-de-outubro

 

Imagem de capa

Mozart Neves Ramos, diretor de Articulação e Inovação do Instituto Ayrton Senna e membro do Conselho Nacional de Educação (CNE)
Mozart Neves Ramos, diretor de Articulação e Inovação do Instituto Ayrton Senna e membro do Conselho Nacional de Educação (CNE)