Íntegra do curso “O Cinema e a Criação de Ugo Giorgetti” está disponível na internet

O Instituto de Estudos Avançados (IdEA) e a Secretaria Executiva de Comunicação (SEC) da Unicamp disponibilizaram na internet a íntegra do curso livre “O Cinema e a Criação de Ugo Giorgetti”, realizado entre agosto e novembro de 2018. Os vídeos dos 13 encontros na Unicamp com o diretor, roteirista, produtor e cronista podem ser vistos na página do IdEA no YouTube.

A proposta do curso oferecido por Giorgetti durante sua temporada como convidado do Programa “Hilda Hilst” do Artista Residente, do IdEA, foi abordar tópicos da prática cinematográfica a partir da experiência profissional e artística do próprio cineasta, que soma mais de 40 anos de carreira no cinema e na publicidade. Nascido e criado na zona norte paulistana, Giorgetti tem no currículo filmes como “Festa” (1988) – vencedor do Festival de Gramado –, “Boleiros” (1998), “Sábado” (1995), “Cara ou Coroa” (2011), “Quebrando a Cara” (1986) e “Edifício Martinelli” (1975).

Entre os temas abordados na série estavam o trabalho do diretor, a equipe de filmagem, o papel do Estado no fomento do cinema brasileiro, o humor frio presente em seus filmes e como construir um roteiro. Professores, alunos e funcionários de universidades, profissionais da comunidade cinematográfica e diletantes de formações diversas compuseram a turma de 40 alunos que completou o curso.

Ao fim das atividades, Giorgetti se disse surpreso com o interesse e a participação assídua dos alunos, elogiando a organização e a proposta de interação na universidade. Apesar de nunca ter lecionado, o cineasta se sentiu muito à vontade durante as aulas, cativando o público com sua desenvoltura e humor. “Eu encontrei aqui um ambiente muito aberto e propício. Eu mesmo fui aluno de universidade, mas minha cabeça não é de um acadêmico. Eu sou um profissional, quase um técnico de roteiro e direção, algo desse tipo. Mas acho fundamental que haja o acadêmico.”

A residência artística contou também com outra atividade, a mostra “São Paulo segundo Ugo Giorgetti”, que reuniu toda sua filmografia na Casa do Lago. Em 13 semanas foram exibidos 19 longas, médias e curtas-metragens, documentários e filmes para televisão, sempre seguidos de debates em que o público pôde fazer perguntas e interagir com o diretor, dissecando os bastidores e sua forma de pensar o cinema.

Em agosto de 2019, Giorgetti voltou à Unicamp para uma série de três encontros intitulada “Dora e Gabriel: a realização do filme”. O objetivo é mostrar como um projeto sai do papel, esboçado em um roteiro, e se concretiza na forma de um filme finalizado e quais são os percalços técnicos enfrentados no decorrer do trabalho.

As atividades são abertas à comunidade da Unicamp e também ao público externo, mediante inscrição no site do IdEA. Depois dos dois primeiros encontros, em agosto e setembro, está previsto uma última atividade, em 31 de outubro, quando o diretor apresentará o filme “Dora e Gabriel” já mixado, com som pronto e sincronizado com a imagem.

Ainda em fase de finalização, “Dora e Gabriel” narra a história de uma mulher e um homem que não se conhecem e são sequestrados por criminosos no porta-malas de um carro na cidade de São Paulo. A inusitada ação, cujo cenário principal é o próprio porta-malas, tem como protagonistas os atores Natalia Gonsales e Ary França.

Leia mais:

Curso livre “O Cinema e a Criação de Ugo Giorgetti” 

Ugo Giorgetti abre série de encontros para discutir novo longa-metragem

Cineasta Ugo Giorgetti volta à Unicamp para detalhar produção de novo filme 

Giorgetti encerra residência artística no IdEA com contribuições para novo filme

Imagem de capa

Ugo Giorgetti
Ugo Giorgetti