Unicamp mantém posição em ranking internacional de universidades

Edição de imagem

A Unicamp preservou a sua colocação no maior ranking internacional de desempenho universitário, divulgado nesta quarta-feira (26) pelo Times Higher Education (THE), publicação britânica responsável por avaliações educacionais tanto em âmbito regional quanto global. De acordo com a relação, que considerou a atuação de 1.250 escolas superiores de 86 países, a Universidade está situada no grupo que reúne as posições de 401 a 500, mesmo desempenho das duas últimas edições. Entre as instituições brasileiras, a Unicamp é a segunda colocada, ficando atrás apenas da USP, que está no grupo 251-300. A partir da 200ª posição, a classificação é apresentada em grupos pelo THE. A lista é liderada pela Universidade de Oxford, do Reino Unido.

O resultado da avaliação foi bem recebido pelo reitor Marcelo Knobel. “Mais uma vez, a Unicamp está muito bem posicionada no ranking do Times Higher Education (THE). Junto com a USP, estamos entre as melhores universidades do Brasil e da América Latina. Consideramos este resultado muito positivo, muito interessante. É bom lembrar, porém, que existem críticas ao fato de os rankings não medirem completamente a importância das universidades, principalmente as públicas, para a sociedade, para o país e para a humanidade em geral. Temos a preocupação de manter esse posicionamento para os próximos anos, mas sabendo que os rankings não são capazes de medir tudo o que fazemos em prol da sociedade”.

Além de Unicamp e USP, também estão presentes no ranking outras 34 universidades brasileiras. Aparecem na terceira, quarta e quinta posições, respectivamente, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). O número de instituições nacionais consideradas na relação é significativamente superior ao da edição anterior, quando foram elencadas somente 21 escolas superiores do Brasil.

O World University Rankings avalia as universidades a partir de quatro eixos: ensino, pesquisa, transferência de conhecimento e grau de internacionalização. O THE adota 13 indicadores de desempenho, que são calibrados para fornecer comparações mais abrangentes e equilibradas. São considerados, entre outros, quesitos como qualidade do ensino, número de professores com doutorado, volume de publicações científicas, citações em artigos científicos, projeção internacional e troca de conhecimento com outras instituições.

América Latina
No ranking específico para a América Latina e Caribe, também organizado pelo THE, a Unicamp foi considerada a melhor da região nas duas últimas edições. Em 2018, o Times Higher Education Latin America classificou 129 universidades de dez países. Os critérios de avaliação foram os mesmos aplicados no THE World University Rankings, mas com modificações para refletir melhor as características das escolas superiores da região.

Clique aqui para ver o resultado do ranking em detalhes

Imagem de capa
Ranking universitário é elaborado pelo Times Higher Education (THE)

twitter_icofacebook_ico

Atualidades

Obra reúne acervo de Rogério Cerqueira Leite; edição estará disponível para venda em breve nos sites das editoras

O papel do rap e da educação na busca pela superação do racismo e da violência foi um dos temas debatidos

Foram aprovados os itens: “Prêmio Tese Destaque", a prorrogação da licença paternidade para servidores e recursos adicionais para o desenvolvimento de dois projetos no âmbito do Plano Plurianual de Investimentos (PPI)

Cultura & Sociedade

O evento foi organizado pela Proec e reuniu mais de 700 participantes, de oito estados, com a apresentação de 189 trabalhos; confira a reportagem completa sobre as palestras e entrevistas com os convidados 

Fruto de parceria com jovens indígenas do país, obra “Still I Rise” traz relatos de experiências de impacto para o empoderamento de povos originários