Sinfônica apresenta Panorama da Música Brasileira com percussionista Ney Rosauro

Ney Rosauro
Ney Rosauro

Em apresentação única, o público terá oportunidade de conferir a performance de Ney Rosauro, um dos mais expressivos percussionistas e compositores brasileiros. O músico faz a estreia mundial de sua obra Concerto nº 2 para Vibrafone e Orquestra com a Orquestra Sinfônica da Unicamp (OSU), na próxima quarta, 10 de maio, às 20 horas, no Teatro Castro Mendes. Esta obra integra a programação do I Congresso Brasileiro de Percussão, organizado por Fernando Hashimoto, que acontece de 9 a 12 de maio, na Unicamp.

Outro destaque do concerto no Castro Mendes é o solista Mário Marques (clarone),  selecionado no Projeto Performance 2017, da Unicamp – neste projeto, a Sinfônica da Unicamp, em sua missão de orquestra universitária, atua como um laboratório de pesquisa em música - composição, performance instrumental, vocal, cênica, multimeios, educação musical e regência. Marques mostra as possibilidades timbrísticas do clarone na obra Bitterweet Brazil, de Francisco Zimmermann Aranha, peça que destaca o estilo regional brasileiro. Na regência, Cinthia Alireti.

Referência na sua área, Ney Rosauro é compositor de mais de 100 peças e métodos didáticos para instrumentos de percussão editados no Brasil, Alemanha e Estados Unidos. Suas composições já foram gravadas em álbuns e vídeos por renomados artistas internacionais. Seu concerto para Marimba e Orquestra foi amplamente tocado pelo mundo. 

Como pedagogo e solista, possui carreira internacional tendo ministrado cursos, participado de importantes festivais de percussão e apresentado concertos solo (ou com orquestra). 

Rosauro atuou como timpanista e chefe do naipe de percussão da Orquestra do Teatro Nacional de Brasília. Coordenou o Laboratório de Percussão e foi diretor do Grupo de Percussão na Universidade Federal de Santa Maria (RS). Orientou estudos de percussão e foi diretor do Grupo de Percussão e de cursos de pós-graduação na University of Miami. 

Solo de clarone

Clarinetista e claronista na Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, Mário Marques apresentou-se junto à Orquestra Bachiana Filarmônica, regida pelo Maestro João Carlos Martins, no Carnegie Hall, em Nova York, nos Estados Unidos. Com a Banda Jazz Sinfônica de Diadema participou do Festival de Jazz de Montreux na Suíça. 

Clarinetista Mário Marques
Clarinetista Mário Marques

Integra o Quinteto de Clarinetas Madeira de Vento, com quem gravou os álbuns Chovendo Canivetes (2002) e Assanhado (2009). Participou de festivais internacionais de clarineta nas cidades de Nanning (China), Assisi (Itália), Atlanta (Estados Unidos) e Vancouver (Canadá). 

Como claronista, junto a compositores brasileiros, dedica-se a fomentar repertório inédito para o instrumento. Participou das três primeiras edições do Encontro Brasileiro de Claronistas, do I Summer Courses (2015), em Camerino (Itália). Estreou a obra Bittersweet Brazil de Frederico Zimmermann Aranha na Orquestra Sinfônica Municipal de Campo Grande. 

Serviço

Orquestra Sinfônica da Unicamp - 

Panorama da Música Brasileira

Solistas convidados:

Ney Rosauro, vibrafone

Mário Marques, clarone

Cinthia Alireti, regência

Quando: Quarta-feira, 10 de maio, 20 horas

Onde: Teatro Castro Mendes (Praça Correa de Lemos, s/n. Vila Industrial. Campinas). Telefone: 19 3272-9359.

Ingressos: R$20 (inteira), R$10 (meia) e R$5 (comunidade Unicamp)