Formandos do Instituto de Artes apresentam peça "O Sonho" no CIS-Guanabara

Espetáculo O Sonho tem montagem de formandos do Instituto de Artes da Unicamp. Entrada franca (Fotos: Juliana Eiras)
Espetáculo O Sonho tem montagem de formandos do Instituto de Artes da Unicamp. Entrada franca (Fotos: Juliana Eiras)

Como vivem os homens? É essa pergunta que impulsiona Inês, filha do deus Indra, a retornar para a terra com o propósito de viver entre os humanos e descobrir se são justos os seus lamentos. Esse é o mote de espetáculo teatral O Sonho, de August Strindberg, que será apresentado de 29 a 31 de março e nos dias 3 e 4 de abril, no CIS-Guanabara. A peça é uma montagem da Cia Panelinha de Teatro, composta por formandos de Artes Cênicas do Instituto de Artes da Unicamp. Oficina, debates e mesa redonda integram a programação. A entrada é franca.

A peça dialoga com o movimento expressionista do final do século XIX e início do século XX e aborda temas como luta de classe, crueldade humana, insignificância da vida e rotina familiar, criando atmosferas de sonho, realidade e memória. “Aparentemente, as angústias de Strindberg, de mais de cem anos, continuam fazendo sentido nos dias de hoje. Cabe a nós, artistas, colocá-las em cena à nossa maneira”, afirma a diretora da peça e professora do IA-Unicamp, Verônica Fabrini. A partir dos estudos, direcionados pela docente, que resultaram na montagem dessa peça, o grupo deseja compartilhar e ampliar os seus estudos com a cidade de Campinas, pois acredita que essa dramaturgia traz temas latentes na sociedade atual.

A Mesa Redonda "Saúde mental e a luta manicomial: de perto ninguém é normal?" contará com a presença do psiquiatra Paulo Dalgalarrondo e do ator Marcelo Pinta, integrante da equipe do Centro de Convivência e Cooperativa Toninha, do Serviço Cândido Ferreira. Essa ação é parte da mini temporada da obra de August Strindberg, autor considerado louco pelo psiquiatra e filósofo alemão Karl Jasper. O objetivo é propor uma discussão sobre os retrocessos nas politicas públicas do país na área da saúde mental. A oficina de teatro será ministrada pelas atrizes Gabriela Davoli e
Mavi Royer, sob a orientação de Verônica Fabrini.

No CIS-Guanabara, o evento, com a coordenação da agente cultural Silvana Di Blasio, tem o apoio da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (PROEC), da Unicamp. O CIS fica à Rua Mário Siqueira, 829, Botafogo, Campinas (estacionamento gratuito no local).

Ficha técnica:

Elenco: Flora Rossi, Gabriela Davoli, Gabriel Pestana, Julia Cruz, Mariana Sonati, Mavi Royer, Pedro Viana e Raíssa Bueno. Direção: Verônica Fabrini. Dramaturgia: August Strindberg. Orientação: Gabriel Fernandez Tolgyesi. Preparação Corporal: Melina MayaLila. Preparação vocal: Marcelo Onofri. Identidade visual: Caio Sanfelice, Helô Cardoso, Isabella Carvalho, Walquiria Sonati, Barbara Melo e grupo. Concepção e operação de luz: Julia Lacerda. Criação e edição de vídeos: Marcelo Favaretto e Elisa Lino.

Programação

Espetáculos: Dias 29 e 30 de março, às 20h00. Dia 31, às 18h00. Dias 3 e 4 de abril, às 20h00
Oficina: Dia 30 de março, das 10 às 13h00.
Mesa Redonda: Dia 30 de março, das 15 às 18h00.
Debates: Dias 3 e 4 de abril, após os espetáculos.