IBGE: Campinas cresce menos do que vizinhas

Local de Publicação

Metro

Data de Publicação

Resumo

Esse cenário, de acordo com Natália Belmonte Demétrio, pesquisadora do NEPO (Núcleo cie Estudos de População “Elza Berquó”) da Unicamp, tem relação com questões econômicas, como o preço da terra. “É uma tendência que se repete em várias regiões: um crescimento menor do núcleo e maior das cidades na periferia. Entre 1,183 milhões de habitantes têm Campinas, segundo estudo de população 2017 do IBGE os motivos está o mercado de terras e da especulação imobiliária em grandes cidades, que faz o preço da terra subir muito, e o mercado de trabalho mais qualificado na metrópole. Por outro lado, o interior tem acompanhado a expansão agroindustrial, que emprega muita gente”, comenta.