Uso de máscaras

última alteração em 18/03/2022

Uso de máscaras no contexto da pandemia de covid-19 

O uso de máscara facial é fortemente recomendado pelas autoridades sanitárias para toda a população em ambientes coletivos, em especial no transporte público e em eventos e reuniões, como forma de proteção individual, reduzindo o risco potencial de exposição do vírus. 

Use máscaras sempre que sair de casa, ou em casa, se estiver com sintomas ou convivendo com alguém doente. 

O uso da máscara não dispensa as outras medidas não farmacológicas, tais como o distanciamento físico, etiqueta respiratória e a higienização das mãos com água e sabão ou álcool 70%. Mesmo portando máscaras, toda a comunidade universitária deverá seguir as demais normas de biossegurança estabelecidas no plano de retorno. As máscaras devem ser usadas para a proteção de pessoas saudáveis (proteger a si, quando em contato com alguém infectado) e para evitar a propagação da transmissão quando usadas por uma pessoa infectada. 

A gestão das  Unidades deve avaliar a distribuição, em número suficiente, de máscaras descartáveis e instruir quanto ao uso correto.


Existem 02 (dois) tipos principais de máscaras, com nível de proteção crescente de acordo com a sua capacidade de filtrar gotículas menores:  as médicas ou cirúrgicas e as máscaras chamadas de respiradores, do tipo N95, PFF2, PFF3 ou equivalentes.

  1. Máscaras cirúrgicas
    Este tipo de máscara pode proteger as pessoas saudáveis de serem infectadas (prevenção), bem como impedir aqueles que apresentam sintomas de infectar outras pessoas (controle de origem). 
  2. A máscara cirúrgica deve ser constituída em material Tecido-Não-Tecido (TNT) para uso odonto-médico-hospitalar, possuir no mínimo uma camada interna e uma camada externa e obrigatoriamente um elemento filtrante. A camada externa e o elemento filtrante devem ser resistentes à penetração de fluídos transportados pelo ar (repelência a fluídos). Além disso, deve ser constituída de forma a cobrir adequadamente a área do nariz e da boca do usuário, possuir um clipe nasal constituído de material maleável que permita o ajuste adequado do contorno do nariz e das bochechas. E o elemento filtrante deve possuir eficiência de filtragem de partículas (EFP) > 98% e eficiência de filtragem bacteriológica (BFE) > 95%.

QUAL TIPO DE MÁSCARA E QUEM DEVE USAR?
 

Dentro de ambientes fechados da Universidade: será exigido o uso de máscara cirúrgica para todos os alunos e servidores em locais onde não se aplique a utilização de máscaras do tipo respiradores (N95, PFF2, PFF3). Esta exigência se estende ao uso no transporte fretado e ônibus circulares.

CUIDADOS ANTES, DURANTE E APÓS O USO

●    As mãos devem ser limpas com álcool 70% ou água e sabão antes de colocar uma máscara limpa e depois de removê-la;
●    Coloque corretamente: Fixe as tiras ou o elástico no meio da cabeça e no pescoço; ajuste a tira flexível para a ponta do nariz, e ajuste de forma confortável para o rosto, cobrindo o nariz, a boca  e prendendo-a sob o queixo, tentando minimizar os espaços entre o rosto e a máscara;
●    As máscaras não devem ser colocadas em volta do pescoço ou na testa;
●    Evite tocar a máscara durante seu uso; se isto ocorrer, higienize suas mãos.
●    Troque sempre que estiver suja ou úmida; se remover a máscara para comer ou beber.
●    Retire adequadamente: Remova as tiras ou elásticos sem tocar a parte frontal da máscara, pois está contaminada; incline o corpo para frente enquanto retira a máscara; descarte em uma lixeira, de preferência fechada; higienize suas mãos.
●    NUNCA se deve tentar realizar a limpeza da máscara cirúrgica já utilizada com nenhum tipo de produto. As máscaras cirúrgicas são descartáveis e não podem ser limpas ou desinfectadas para uso posterior e quando úmidas, perdem a sua capacidade de filtração.

2. Respiradores - máscaras N95, PFF2, PFF3
Estas máscaras são indicadas para o uso de profissionais de saúde em ambientes onde são realizados procedimentos geradores de aerossóis, como Unidades de Tratamento Intensivo e Semi-Intensivo. 

Considerar o uso também em ambientes onde possa haver grande circulação de pacientes com suspeita de Covid-19 ou doença confirmada, como as Unidades de Emergência e em locais de coleta de RT-PCR.

Os respiradores PFF2 também podem ser usados em algumas atividades de laboratórios que geram aerossóis.

A máscara de proteção respiratória (respirador particulado – máscara N95/PFF2 ou equivalente) deve estar apropriadamente ajustada à face do profissional. A forma de uso, manipulação e armazenamento deve seguir as recomendações do fabricante e nunca deve ser compartilhada entre profissionais.

Os usuários devem inspecionar visualmente a máscara N95/PFF2 ou equivalente, antes de cada uso, para avaliar se sua integridade foi comprometida. Máscaras úmidas, sujas, rasgadas, amassadas ou com vincos, devem ser imediatamente descartadas.

Para remover a máscara, retire-a pelos elásticos, tomando bastante cuidado para nunca tocar na sua superfície interna e a acondicione de forma a mantê-la íntegra, limpa e seca para o próximo uso. Para isso, pode ser utilizado um saco ou envelope de papel, embalagens plásticas ou de outro material, desde que não fiquem hermeticamente fechadas. Os elásticos da máscara deverão ser acondicionados de forma a não serem contaminados e de modo a facilitar a retirada da máscara da embalagem. 

IMPORTANTE: Se no processo de remoção da máscara houver contaminação da parte interna, ela deverá ser descartada imediatamente


ATENÇÃO: 
●    Não relaxe pelo fato de estar usando máscara! 
●    O uso de máscaras deve ser considerado uma medida complementar, e não uma substituição ao cumprimento das demais medidas preventivas estabelecidas, a saber: distanciamento físico mínimo de 1 metro entre as pessoas; etiqueta respiratória; higiene meticulosa das mãos com água e sabão ou álcool 70%; limpeza e desinfeção das superfícies frequentemente tocadas - mesas, maçanetas, interruptores de luz, bancadas, mesas, telefones, teclados, banheiros, torneiras, pias, etc.