Educação Infantil

última alteração em 09/09/2021

Recomendações para o cuidado e a proteção da saúde no retorno das atividades presenciais na DEdIC

Os profissionais das unidades DEdIC serão treinados para minimizar a insegurança, a dúvida, a angústia e outras questões pertinentes. A comunicação, acolhimento emocional e formação dos profissionais de cada unidade serão ferramentas essenciais a serem utilizadas na organização das rotinas e nas ações a serem desenvolvidas. 

Cartazes informativos devem ser colocados nas unidades, em lugares bem visíveis: lavagem das mãos, uso e manuseio de máscaras, distanciamento físico e área de higienização. 

Demarcações de distanciamento também deverão ser usadas. 

Todas as ações reforçam a intensificação da higiene (lavagem das mãos de adultos e crianças, etiqueta respiratória e ambiental), prevenção de contato (uso de máscaras, distanciamento social, não tocar face, boca e nariz) e o enfoque na educação em saúde.

 

1. Entrada dos profissionais da unidade, fornecedores e manutenção 

  • Uso obrigatório de máscara no ambiente de trabalho;
  • Entrada para os profissionais deve ser exclusiva, evitando aglomerações e com distanciamentos de 1,0m entre pessoas; 
  • Deve ser instalada área de higienização na entrada dos edifícios, com totem de acionamento por pedal para álcool em gel 70% e cartazes com instruções sobre o uso da máscara facial, os sintomas do COVID-19 e a higienização das mãos;
  • Uso dos banheiros e vestiários sem aglomeração e com distanciamento de 1,50m;
  • A preferência é que se lavem as mãos com água e sabão. O álcool 70% deve ser colocado em lugares seguros fora do alcance de crianças; 

 

1a. Fornecedores e pessoal externo

  • É obrigatório o uso de máscaras;
  • Deve haver uma entrada diferenciada para fornecedores, sem passar pelo ambiente das crianças; 
  • Deve haver álcool (gel)70% acessível para higienização das mãos e compartilhamento de objetos; 
  • Caso o fornecedor precise entrar no prédio, deve higienizar os sapatos, lavar as mãos, higienizar o carrinho de transporte do produto (borrifar desinfetante nas rodas e carrinho).

 

2. Entrada e Saída das crianças

  • A cada recepção da criança, o adulto deve higienizar as mãos (álcool 70%); 
  • Deve haver distanciamento da pessoa que recebe a criança e o responsável. O diálogo deve ser breve; 
  • A criança que apresentar indisposição ou alteração do quadro geral na entrada ou que tenha tido febre em casa não será recebida. Ela deve permanecer em casa sob observação com avaliação médica; 
  • Lençol, toalha, cobertor, paninhos devem estar em sacos individualizados e deverão voltar diariamente; 
  • As mochilas das crianças devem ter um distanciamento; 
  • A amamentação do bebê deve ser feita antes da entrada, em algumas situações de visitas e preferencialmente nas áreas externas com devido distanciamento; 
  • Adultos e crianças maiores devem ter suas garrafas de água individualizadas – higienizar e voltar diariamente; 
  • Não será permitida a entrada com roupa hospitalar.

 

3. Atividade em sala

  • Devem ser priorizadas as atividades em ambientes externos; 
  • Ambiente interno deve estar com a porta e as janelas abertas;
  • Recomenda-se o uso de ventilação natural. Caso seja necessário o uso de equipamento de ar condicionado, deve ficar aberta uma fresta de 15cm de janela ou porta para garantir a troca de ar.
  • Brinquedo deve ser individual e higienizado após o uso, sem compartilhamento; 
  • Os livros devem ser manipulados pelo adulto com a lavagem das mãos antes e após o uso e os livros também devem ser separados e higienizados pelos profissionais e mesmo crianças; 
  • Evitar o acúmulo de materiais dentro da sala para não dificultar a limpeza;
  • A lavagem das mãos das crianças deve ser feita com água e sabão ante e após as atividades. Apenas na impossibilidade da água e sabão utilizar álcool 70%.

 

4. Alimentação

  • Devem ser afixados cartazes sobre o procedimento correto da higienização das mãos em pias exclusivas para este fim nos refeitórios, cozinha, banheiros e vestiários; 
  • A higienização das mãos deve ser realizada antes e após as refeições dos adultos e crianças; 
  • Distanciamento de 1,0m entre as crianças e adultos em posição diagonal; 
  • Horários diferentes para o uso do refeitório entre os grupos;
  • A refeição deve ser servida por apenas um adulto; 
  • Caso necessário a higienização de secreção nasal ou outros, o adulto deve higienizar as mãos após o ato;

4a. Na produção e consumação de alimentos

  • Todo o quadro de funcionários envolvidos na manipulação de alimentos (cozinheiras, copeiras, almoxarifes, técnicos em nutrição e nutricionistas) deve utilizar máscara nasobucal; 
  • Todo o quadro de funcionários envolvidos na manipulação de alimentos deve higienizar as mãos sempre que necessário e, especialmente, ao chegar ao trabalho, utilizar os sanitários, tossir, espirrar ou assoar o nariz, usar esfregões, panos ou materiais de limpeza, recolher lixo e outros resíduos, tocar em sacarias, caixas, garrafas e sapatos, tocar em alimentos não higienizados ou crus, houver interrupção do serviço e iniciar outro, pegar em dinheiro; 
  • Ao manipular alimentos é vetado falar, cantar, assobiar, mascar goma, chupar bala, comer ou experimentar alimentos com as mãos, tocar objetos estranhos à atividade, como aparelhos celulares e afins, manipular dinheiro e praticar quaisquer atos que possam contaminar os alimentos; 
  • O uso de luvas descartáveis é obrigatório na manipulação de alimentos prontos para o consumo que sofreram tratamento térmico ou que não serão submetidos a tratamento térmico, bem como na manipulação de frutas, legumes e verduras já higienizadas. Tais luvas devem ser trocadas e descartadas sempre que houver interrupção do procedimento, ou quando produtos e superfícies não higienizados forem tocados com as mesmas; 
  • Os uniformes do quadro de funcionários envolvidos na manipulação de alimentos devem ser utilizados somente nas dependências da cozinha, refeitório ou área escolar, devendo ter troca diária e ser higienizado fora das dependências do trabalho; 
  • O recebimento de matérias primas, ingredientes e alimentos, deve ser realizado em área estratégica e por funcionário que não esteja manipulando alimentos no momento. O entregador de alimentos deve estar em uso de máscara nasobucal e não deve adentrar as dependências da cozinha. Os produtos a serem entregues devem chegar até a porta de recepção, ser entregues ao funcionário da cozinha e, após feita a conferência dos produtos e quantidades, os mesmos devem ser higienizados com álcool 70 e panos descartáveis, um a um: frutas, legumes, embalagens, sacarias, entre outros; 
  • A área de consumação deve ser limpa antes e após de cada uso, sendo vedado varrer o local a seco. Álcool 70 deve ser borrifado sobre bancadas, mesas e cadeiras antes e após cada uso. 

5. Atividades externas nas unidades

  • Organizar os grupos para o uso dos espaços externos com números restritos de crianças e adultos;
  • Após as atividades as crianças devem lavar as mãos. 

6. Salas de uso comum (bebeteca, cricri, vídeo...)

  • Após qualquer contato com objetos, estes necessitam ser higienizados; 
  • Brinquedos, almofadas, piscina de bolinhas, pula-pula, devem ser evitados ou higienizados a cada uso individual.
  • Recomenda-se o uso de ventilação natural. Caso seja necessário o uso de equipamento de ar condicionado, deve ficar aberta uma fresta de 15cm de janela ou porta para garantir a troca de ar.

 

7. Sala dos Professores e Copa dos funcionários

  • Evitar aglomerações, salas devem estar ventiladas – manter sempre porta e janelas abertas. Todo objeto de contato deve ser higienizado após o seu uso, ex: teclado, mouse, mesa, braço e cabeceira da cadeira, etc. Usar caneta própria.
  • Recomenda-se o uso de ventilação natural. Caso seja necessário o uso de equipamento de ar condicionado, deve ficar aberta uma fresta de 15cm de janela ou porta para garantir a troca de ar.
  • Escalonamento para uso da Copa evitando aglomeração e respeitando o distanciamento de 1,50m, não se esquecendo da higienização das mãos antes e após; higienização dos objetos tocados coletivos (geladeira, micro-ondas, cadeiras, mesa, etc.) ou higienização das mãos e lembrando-se de não tocar o rosto, a boca ou olhos até o término da refeição.