Equipe SPE Unicamp de Petrobowl segue rumo ao prêmio mundial

A equipe de Petrobowl do Capítulo Estudantil da Society of Petroleum Engineers (SPE) da Unicamp está de malas prontas para embarcar para Dallas, nos Estados Unidos. O grupo formado por alunos de mestrado e doutorado da Área de Ciências e Engenharia de Petróleo conseguiu uma das cinco vagas para disputar o prêmio mundial da competição que acontece no dia 24 de setembro. O Petrobowl consiste em acertar um número considerável de questões relacionadas à indústria do petróleo, tanto de natureza histórica quanto técnica.

Em geral, o jogo acontece durante todo o dia e cada equipe responde a, pelo menos, cem perguntas. “É uma competição bastante concorrida e precisa de um treinamento intenso. Para nós foi uma alegria alcançar as melhores posições na disputa que une estudantes da área e profissionais da indústria”, afirma Rafael Menezes Santos, um dos integrantes da equipe.

Estudantes de pós-graduação alcançaram terceira colocação
Estudantes de pós-graduação alcançaram terceira colocação em etapa nacional, no Rio de Janeiro. 

Além de Rafael, os pós-graduandos André do Carmo Pereira, Henrique M Santos Guimarães, Beethoven dos Santos Costa, Laura Louise Demarch compõem a equipe contemplada, além de Oscar Julian Peña Piraneque, o capitão e Kildare George Ramos Gurjão, o treinador. O Capítulo Estudantil SPE Unicamp é uma associação sem fins lucrativos.

Rafael Santos conta que a competição de Petrobowl existe desde 2002 e sempre foi organizado pela SPE Brasil. “É a primeira vez que uma equipe da Unicamp chega a disputar o prêmio mundial”, comemora. Quando os estudantes ficaram sabendo da primeira etapa do evento em maio de 2018, no Rio de Janeiro, decidiram participar para ganhar experiência. “Ficamos em terceiro lugar e percebemos que tínhamos chance de alcançar bons resultados”, lembra.

A colocação deu o direito de participarem da etapa regional que aconteceu, em junho, em Trinidad Tobago. Desta vez, no entanto, seriam necessários recursos financeiros para que toda a equipe embarcasse para o país caribenho. Receberam apoio da Reitoria da Unicamp, do Faepex, do Centro de Estudos do Petróleo (Cepetro) e da Diretoria da Faculdade de Engenharia Mecânica.  

Segundo o competidor, todo apoio que receberam motivou a equipe a prosseguir no objetivo. O próximo desafio, no momento, é completar o valor total necessário para seguir competindo nos Estados Unidos. “Estamos animados, pois no exterior a repercussão deste tipo de competição é bem maior, assim como a visibilidade dos ganhadores”, conclui.

Imagem de capa

Equipe SPE Unicamp de Petrobowl
Equipe SPE Unicamp de Petrobowl