Luiz Carlos Zeferino é o novo diretor da Faculdade de Ciências Médicas

Na foto Marcelo Knobel passa para Zeferino o termo de posse para que seja assinado. Ambos vestem roupas formais e estão concentrados.
Luiz Carlos Zeferino e o reitor Marcelo Knobel assinam o termo de posse

O professor Luiz Carlos Zeferino foi empossado diretor da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp para o quadriênio 2018-2022. Ele substitui o professor Ivan Contrera Toro. A solenidade foi presidida pelo reitor Marcelo Knobel e realizada na quarta-feira, 4, no auditório principal da FCM. Também foi empossado o diretor associado Claudio Saddy Rodrigues Coy, em substituição a Roberto Teixeira Mendes.

Zeferino venceu a consulta à comunidade da FCM para a escolha do novo diretor com 64,8% dos votos válidos. No discurso de posse ele agradeceu o expressivo apoio e falou sobre os desafios que deve enfrentar em sua gestão. O professor destacou a questão do financiamento da área da saúde.

De acordo com o novo diretor, outro desafio é o fato do Hospital de Clínicas da Unicamp, com 409 leitos, ser a principal referência entre os hospitais da macrorregião de Campinas, com seis milhões de habitantes. O professor comparou a situação com o HC de Ribeirão Preto, vinculado à Universidade de São Paulo (USP) que, com 900 leitos, é referência para quatro milhões de habitantes. “A macrorregião de Campinas precisaria de pelo menos mais um hospital de referência”.

Ao mesmo tempo Zeferino afirmou ter clareza de que qualquer expansão na área da saúde dependerá de recursos externos e foi enfático na questão de buscar o título de filantropia para as unidades vinculadas a área da saúde. A economia gerada, com a isenção de tributos, giraria em torno de 30 milhões de reais/ano, de acordo com os cálculos do novo diretor.

O reitor Marcelo Knobel complementou a questão em sua fala. Ele afirmou que o modelo de financiamento da área está esgotado e que o momento de incertezas na política e na economia dificulta ainda mais a busca de alternativas.

Imagem aberta mostra o auditório cheio e a mesa diretora da solenidade no momento em que fala o reitor Marcelo Knobel
Auditório cheio para a solenidade: gestão empossada vai até 2022

Se despedindo da gestão, Ivan Toro agradeceu muito o apoio do diretor associado Roberto Teixeira Mendes e de todos os coordenadores da sua gestão. Destacou ainda uma série de conquistas da equipe. Afirmou que hoje o curso de medicina ocupa a primeira posição entre as melhores escolas de medicina do país.

Sobre a situação financeira, o professor disse que entregou o caixa da FCM com saldo positivo e deixou como um desafio para a próxima gestão cuidar da Fundação da Área da Saúde de Campinas – FASCAMP.

Durante a solenidade houve um protesto dos trabalhadores em greve da Unicamp. Eles levantaram cartazes em frente a plateia do auditório. A sessão solene foi interrompida para que três funcionários usassem o microfone. Uma pauta de reivindicações específica da área da saúde foi entregue ao diretor empossado da FCM.

Mesa diretora da solenidade com os diretores antigos e os empossados, além do reitor Marcelo Knobel
Mesa diretora da solenidade; da esquerda para a direita: Cláudio Coy, Luiz Carlos Zeferino, Marcelo Knobel, Ivan Toro e Roberto Teixeira Mendes