Patricio Letelier, falecido em 2011, é homenageado com nome de asteroide

O professor Patricio Letelier (1943-2011), um dos mais profícuos cientistas da área de relatividade geral que o Brasil já teve e ex-professor do Instituto de Matemática, Estatística e Computação Cientifica (Imecc) da Unicamp, foi homenageado com o nome de um asteroide. O tributo foi aprovado em fevereiro por uma comissão da União Astronômica Internacional (IAU na sigla em inglês) e anunciado durante a II Escola Patricio Letelier de Física Matemática, realizada no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação da USP,  em São Carlos, recentemente.

Gráfico com a localização e órbita do asteroide (109879) Letelier = 2001 SL
Gráfico com a localização e órbita do asteroide (109879) Letelier = 2001 SL

O asteroide (109879) Letelier = 2001 SL foi descoberto no dia 16 de setembro de 2001 pelos astrônomos amadores Paulo Holvorcem, ex-aluno do doutorado do Imecc e ex-professor do instituto, e Charles W. Juels. O corpo celeste, confirmado como asteroide em 2011, está localizado no cinturão de asteroides, região entre as órbitas de Marte e Júpiter, possuindo um diâmetro estimado entre 1,4 e 4,3 km e tendo um período orbital de cerca de 3,93 anos. Ex-orientando de Patricio Letelier, Paulo Holvorcem teve a iniciativa de homenagear o professor, num processo junto à IAU que durou quase um ano.

“O protocolo para nomeação de asteroide envolve levantar se a pessoa que será homenageada tem boa reputação, com uma comissão que analise quem está pedindo para dar nome a quem”, explica o professor Samuel Rocha de Oliveira, do Departamento de Matemática Aplicada do Imecc, um dos responsáveis pela II Escola Patricio Letelier. “Quando estávamos preparando a II Escola contatei o Paulo para avisar sobre o evento, e dai surgiu a ideia da homenagem”.

A aprovação da nomeação de um asteroide pela IAU é comunicada aos astrônomos por meio de mensagem circular. A partir de sua publicação o corpo recebe o nome posteriormente ao seu número de designação técnica.

Samuel Rocha de Oliveira, do Imecc
Samuel Rocha de Oliveira, do Imecc

Samuel Rocha explica que a grande maioria dos asteroides é descoberta a partir de observações de astrônomos amadores. Após o cruzamento de dados e a realização de outras observações, que podem durar anos, a sua existência, localização aproximada e orbita podem enfim ser confirmada. “É um trabalho que necessita de expertise em matemática e computação”. Após a identificação do asteroide, o acompanhamento de sua orbita acaba sendo feito por astrônomos dedicados ao tema, com a preocupação em identificar objetos que possam ser potencialmente perigosos para a Terra.

O (109879) Letelier = 2001 SL é o terceiro asteroide batizado a partir de iniciativas ligadas à Unicamp. No Grande Desafio 2007 do Museu Exploratório de Ciências da Unicamp a equipe vencedora, formada por estudantes de uma escola de Ourinhos, pode batizar com o nome de sua cidade o asteroide (12367), descoberto em 1994 pelo astrofísico venezuelano Orlando Naranjo.

Já na edição de 2010 do Grande Desafio, os estudantes da Escola Municipal Maria Pavanati Favaro, em Campinas, tiveram como prêmio o batismo do asteroide (15453), também descoberto por Orlando Naranjo em 1998, com o nome Brasileirinhos. Assim como o (109879) Letelier, esses dois asteroides estão localizados entre as órbitas de Marte e Júpiter.

Modelo de asteroide
Modelo de asteroide 

Patricio Anibal Letelier Sotomayor faleceu em 2011 aos 67 anos de idade. Nascido no Chile, Patricio Letelier era referencia na área de relatividade geral no continente. Formou-se pela Universidade do Chile e obteve o doutorado na Universidade de Boston, até se firmar em definitivo no Brasil. Em 1978 assumiu o cargo de professor no Departamento de Física da Universidade de Brasília. Em 1988 se transferiu para a Unicamp, vindo trabalhar no Departamento de Matemática Aplicada do Imecc.

As pesquisas de Patricio Letelier sobre a teoria da relatividade geral contribuíram para estudos de buracos negros, caos, defeitos topológicos e soluções exatas das equações de Einstein. “Sua produção era de alto nível, e seus resultados geraram novas pesquisas que até hoje são referencias”, declara Samuel Rocha de Oliveira. “Ele criou uma escola que vê as equações de Albert Einsten como olhar físico-matemática com muito rigor, mas com intuição física muito forte. Nós temos uma tradição em relatividade geral muitas vezes abstrata, e ele trouxe um olhar mais equilibrado entre física e matemática”.

Patricio Letelier (1943-2011)
Patricio Letelier (1943-2011)

Em sua homenagem, cientistas de diversas universidades organizaram as duas edições da Escola Patricio Letelier de Física-Matemática, a primeira em 2016 na Universidade Federal do Espírito Santo, tratando de aspectos de física e matemática da teoria quântica de campos em espaços curvos. Já a segunda edição foi realizada em fevereiro de 2018 na USP de São Carlos, abordando as ferramentas matemáticas voltadas para tratar dos vários problemas da física.

“A grande contribuição de Einstein foi mostrar que a matemática pode ser o carro-chefe da física no sentido de mostrar que as estruturas matemáticas estão dizendo alguma coisa da natureza. Entender um pouco da estrutura matemática significa compreender a estrutura da natureza e do universo”, explica Samuel Rocha de Oliveira. A próxima edição da Escola Patricio Letelier está prevista para ser realizada em 2020, na Unicamp.

Saiba Mais
Os dados sobre o asteroide (109879) Letelier = 2001 SL podem ser consultados no site Minor Planet Center, mantido pela União Astronômica Internacional.