Unicamp promove workshop para apoiar demandas de organizações da sociedade civil

O Observatório de Direitos Humanos da Unicamp promove na próxima quarta-feira (28/2) um workshop com integrantes do Mecanismo Independente de Consulta e Investigação (MICI). Trata de um segmento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), cuja função consiste em atender às reclamações de pessoas afetadas pelos impactos ambientais e sociais de projetos de desenvolvimento financiados por instituições multilaterais, como o caso do Grupo BID. O objetivo do evento é abrir um espaço de discussões para as organizações da sociedade civil locais que trabalham com comunidades que estão em locais potencialmente afetadas pelos projetos.

Segundo o professor Luís Renato Vedovato, da Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA) da Unicamp e integrante do Observatório, a ideia não será analisar casos específicos, mas demandas gerais, pois boa parte das Organizações de Direitos Humanos no Brasil estarão representadas e falarão de acordo com os temas apresentados pelo MICI.

Pela manhã, essas entidades, convidadas especialmente para o workshop, terão acesso às informações sobre o funcionamento do Mecanismo Independente de Prestação de Contas e como uma comunidade pode recorrer a ele e quais resultados esperar. Além disso, será apresentado o Sistema de Alerta Prévio do International Accountability Project (IAP), também voltado para proteção dos Direitos Humanos.

No período da tarde, a partir das 14h30, na Sala Multiuso do EA2, serão realizadas rodas de conversas com o objetivo de compartilhar experiências e oportunidades entre as organizações da sociedade civil e acadêmicos. O tema central será “Desenvolvimento com Envolvimento”.

Entre as apresentações das organizações e discussões abertas, o evento terá basicamente três tópicos a serem abordados: Desenvolvimento pró-ativo e reativo; Como reforçar o desenvolvimento comunitário e A questão da segurança quando existe reação ao “desenvolvimento” imposto ou quando se tenta implementar planos de desenvolvimento comunitário. “Ao final da tarde, a expectativa é realizar uma ata de demandas e preocupações gerais para que sejam guiados os próximos editais do BID”, acrescenta Vedovato.


Programação – das 14h30 às 18h30

1 – Desenvolvimento pró-ativo e reativo – Como trabalha sua organização? De maneira reativa e/ou estimulando planos de desenvolvimento comunitário?
Organização Conectas – lógica de projetos de instituições financeiras
Instituto Maíra – exemplo de planejamento comunitário

2 – Como reforçar o desenvolvimento comunitário? Quais são as ferramentas disponíveis para esse trabalho? 
Organização Rebrip – exemplo de metodologia de reforço a desenvolvimento comunitário
Instituto Socioambiental – exemplo de metodologia e ferramentas disponíveis

3 – A questão da segurança quando existe reação ao “desenvolvimento” imposto ou quando tenta-se implementar planos de desenvolvimento comunitário. Quais são as oportunidade de cooperação, prevenção e proteção?
Organização BHRRC – Fechamento de espaço da sociedade civil

 

Imagem de capa

O professor Luís Renato Vedovato
O professor Luís Renato Vedovato