Vestibular 2018: contextualização marca as provas do segundo dia

A Unicamp aplicou, nessa segunda-feira (15/1), as provas de História, Geografia e Matemática, em mais um dia da segunda fase do Vestibular 2018. As provas foram marcadas por questões contextualizadas e por temas associados ao universo dos estudantes. 13.628 candidatos fizeram as provas e a Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) registrou um índice de abstenção de 11,9%. No domingo, a abstenção foi de 11,3%.

Na prova de Matemática, por exemplo, uma questão pedia que os candidatos fizessem cálculos percentuais, a partir de um assunto cotidiano: os valores das mensalidades de escolas particulares e os gastos familiares com educação. Além de porcentagem, a prova de Matemática cobrou os temas clássicos como análise de funções, progressão aritmética, matrizes e análise de sistemas lineares.

De acordo com a Comvest, as questões das provas de História e Geografia demandaram relações entre os processos sociais e culturais e a visão de mundo dos estudantes. A prova de História trouxe uma questão que discute como a noção de arte foi degenerada durante o nazismo, ao abordar o projeto estético do nazismo e as formas de violência do regime. A partir de um enunciado que apresentava a campanha nazista contra a arte moderna, com a cassação de curadores e artistas como Vincent van Gogh e Pablo Picasso, a questão solicitava aos candidatos explicar o projeto estético do nazismo.

José Alves de Freitas Neto, coordenador executivo da Comvest, comentou sobre os assuntos abordados nas provas dessa segunda-feira. “Ao apresentar temas como a gentrificação, o papel da mulher nas sociedades coloniais, as questões sobre o clima e o uso dos sapatos pelos negros após a abolição da escravidão no Brasil fica evidenciado o compromisso das bancas elaboradoras na articulação entre grandes temas contemporâneos e os programas das disciplinas de humanas”, afirmou o coordenador.

Análise de imagens, gráficos, charges e mapas foram alguns dos recursos cobrados nas provas de História, Geografia e Matemática da Unicamp. As queimadas e a alteração de biomas no cerrado e os hábitos alimentares durante a Idade Média foram outros assuntos abordados pelas questões.

“A Unicamp preserva a característica de buscar candidatos que sejam bons leitores, que saibam interpretar um texto, mobilizar referências da trajetória escolar e redigir com clareza suas respostas. A escrita é uma prática de organização de raciocínio e de informações. E, no caso de Matemática, que demonstrem conhecer as bases do raciocínio e do cálculo, considerando-se que quase a metade das vagas ofertadas são na área de exatas e tecnológicas”, ressaltou Freitas Neto.

Na terça-feira, 16 de janeiro, os candidatos terão o último dia da segunda fase, com as provas de Biologia, Química e Física. Os candidatos disputam 3.340 vagas, em 70 cursos de graduação da Unicamp.

Provas da segunda fase

Índice de abstenção da segunda fase

Formulário de alteração de dados

 

 

Ciclo Básico da Unicamp, em Campinas. Imagem do primeiro dia das provas, no domingo
Ciclo Básico da Unicamp, em Campinas. Imagem do primeiro dia das provas, no domingo


 

Imagem de capa

Ciclo Básico da Unicamp, em Campinas. Imagem do primeiro dia das provas, no domingo
Ciclo Básico da Unicamp, em Campinas. Imagem do primeiro dia das provas, no domingo