Pesquisadoras da Unicamp desenvolvem aplicativo para auxiliar o tratamento da incontinência urinária feminina

A incontinência urinária é considerada um problema de saúde pública. Estima-se que, no mundo todo, cerca de 50 milhões de pessoas sofram com o problema, sobretudo mulheres. No Brasil, embora a incontinência seja pouco relatada, calcula-se que entre 11 e 23% das mulheres sejam incontinentes, proporção que pode atingir os 40% após a menopausa.

Cássia Juliato, Andrea Marques, Camila Araújo e Adriana Barea, pesquisadoras da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp e do Caism,  já celebram o desenvolvimento do aplicativo, caso de notório sucesso no gigantesco desafio de integrar áreas do conhecimento tão distintas: medicina, fisioterapia, computação e artes. Sim, artes, já que o “Diário Saúde” incorpora a trilha musical desenvolvida por Adriana Barea, bacharel e mestranda em música pela Unicamp, além das animações desenvolvidas pelo Instituto Eldorado.

A formalização do convênio entre a Universidade e o Instituto Eldorado foi apoiada pela INOVA, a Agência de Inovação da Unicamp. Embora o aplicativo ainda não esteja disponível para o público em geral, sua versão mais recente foi apresentada no último “Inova Campinas”, promovido no Centro de Convenções do Shopping Dom Pedro na última quarta-feira, 25 de outubro. O sucesso do aplicativo no evento indica que o futuro do “Diário Saúde” é promissor.
 

Mais na página do Caism