Realidade Virtual, videogames e robôs viram ferramentas para reabilitação física

Tecnologias originalmente voltadas ao entretenimento, como jogos eletrônicos, sensores de reconhecimento de gestos e óculos de realidade virtual (RV), podem ajudar a tornar as sessões de reabilitação mais divertidas e eficazes, auxiliando pacientes com limitações motoras a recuperar, pelo menos em parte, sua autonomia.

Dois projetos com esse objetivo foram apresentados no final de março durante o 4th BRAINN Congress, organizado na Unicamp pelo Instituto Brasileiro de Neurociência e Neurotecnologia (Brainn), um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) apoiados pela Fapesp.
 

Mais na página da Agência Fapesp