Unicamp tem sua 1ª travesti doutora

Local de Publicação

O LIBERAL

Data de Publicação

Resumo

Primeira travesti a defender doutorado na Unicamp com seu nome social, Amara Moira, de 33 anos, vê o feito como um passo significativo na longa caminhada contra o preconceito. Ser reconhecida dentro do ambiente acadêmico é uma batalha vencida em meio a “guerra” que pessoas trans travam diariamente com a sociedade. “Foi um indício que a universidade aprendeu a se transformar para que pessoas como eu caibam ali.”