Edição nº 544

Nesta Edição

1
2
4
5
6
7
8
9
10
11
12

Jornal da Unicamp

Baixar versão em PDF Campinas, 29 de outubro de 2012 a 04 de novembro de 2012 – ANO 2012 – Nº 544

Tecnologia de ponta reforça
áreas estratégicas de pesquisa

Pesquisadores têm acesso a serviços nas áreas
de genômica, proteômica, biologia celular e bioinformática

 

O Laboratório Central de Tecnologias de Alto Desempenho (LaCTAD) já está oferecendo serviços nas áreas de genômica, proteômica, biologia celular e bioinformática aos pesquisadores da Unicamp, informa a Pró-Reitoria de Pesquisa (PRP). Inspirado no conceito de facilities muito comuns no exterior, o laboratório reúne equipamentos de alto custo e complexidade, e conta com um corpo técnico qualificado para disponibilizar tecnologia de ponta a um número maior de pesquisadores. São equipamentos de sequenciamento genômico de alto desempenho, análise de interações proteína-proteína e proteína-ligante, análise de diferentes tipos de células e tecidos, e servidores e computadores com elevado poder de processamento.

“O LaCTAD representa um conceito novo na Universidade. A ideia é oferecer tecnologias modernas e de alto desempenho para toda a Universidade, apoiando áreas  estratégicas de pesquisa.” afirma o professor Ronaldo Aloise Pilli, pró-reitor de Pesquisa. “Ele também será aberto a usuários externos, conforme norma do programa Equipamento Multiusuários da Fapesp, que destinou R$ 4,2 milhões para aquisição dos equipamentos. Vamos fazer isso por etapas: primeiro para a nossa comunidade e depois para instituições do Estado de São Paulo e de outros pontos do país.”

Ronaldo Pilli preocupa-se em esclarecer que o LaCTAD é uma unidade de prestação de serviços e não desenvolve linhas próprias de pesquisa. 
“Isso significa que as análises são realizadas pelo nosso corpo técnico mediante solicitação por via eletrônica. Os usuários poderão realizar o pagamento dos serviços através de transferência de recursos orçamentários ou através de verbas de convênios de pesquisa. O LaCTAD conta com um Conselho Científico Administrativo formado por especialistas da Universidade, responsável pela supervisão geral das atividades do Laboratório. São eles que estabelecem diretrizes e metas e acompanham as atividades.”

Nos moldes de uma facility, o custo das análises cobrirá apenas as despesas com insumos e manutenção dos equipamentos, enquanto os gastos com pessoal e infraestrutura ficarão por conta da Unicamp. “Os interessados poderão utilizar recursos orçamentários ou incluir a previsão de gastos quando da submissão de seus pedidos de  auxílio à pesquisa  às agências de fomento. Quero ressaltar, também, que garantimos total confidencialidade dos dados, que é uma questão sempre delicada para o pesquisador”, explica o pró-reitor.


O LaCTAD está funcionando de forma descentralizada até que seja finalizada a construção do prédio que vai concentrar todos os equipamentos, no primeiro semestre de 2013. “Já temos nosso próprio corpo técnico nas áreas de genômica, biologia celular e bioinformática. A área de proteômica deverá estar disponível  até o final do ano, sendo que por enquanto contamos com a colaboração do Instituto de Química, onde os serviços de espectrometria de massas serão realizados enquanto não contamos com equipamento próprio. Também estamos oferecendo regularmente cursos de bioinformática pois há uma grande demanda por profissionais com esta formação”, observa Ronaldo Pilli.

De acordo com a pesquisadora Sandra Krauchenco, que está gerenciando a implantação do LaCTAD, os interessados encontrarão no site do laboratório todas as informações sobre os equipamentos e serviços disponíveis, bem como as regras e formulários para solicitação de orçamento e submissão de amostras. “Já temos serviços concluídos e estamos recebendo várias consultas em sequenciamento, bioinformática e biologia celular, tanto de instituições de pesquisa como de empresas privadas”, enumera.

O endereço do LaCTAD é http://www.lactad.unicamp.br

 

 

 

DEPOIMENTOS

 

O Conselho Científi co Administrativo do Laboratório Central de Tecnologias de Alto Desempenho (LaCTAD) é constituído pelos professores Gonçalo Amarante Guimarães Pereira e Paulo Arruda, do Instituto de Biologia (IB), Carlos Henrique Inácio Ramos, do Instituto de Química (IQ), Sara Teresinha Olalla Saad, da Faculdade de Ciências Médicas (FCM), e Zanoni Dias, do Instituto de Computação (IC). Pesquisadores de renome nas áreas de genômica, proteômica, biologia celular e bioinformática, eles comentam a importância deste novo conceito de laboratório na Universidade.


Um pleito antigo

“A criação de um laboratório com facilidades na área biológica é uma necessidade antiga, pleiteada pelos pesquisadores da Unicamp há pelo menos 12 anos. Porém, só nesta gestão o professor Fernando Costa e o professor Pilli se empenharam na concretização da ideia, que é hoje uma realidade. Impossível se fazer pesquisa competitiva atualmente sem um laboratório de apoio, com serviços como os propostos no LaCTAD. É assim que funciona nos Estados Unidos e Europa. Laboratórios deste tipo concentram equipamentos e pessoal com treinamento especifi co para desenvolvimento de expertises técnicas de alta complexidade. Ou seja, o pesquisador tem mais tempo de pensar e desenhar um projeto e analisar seus resultados, ao invés de se desgastar com treinamento de técnicos e alunos e aquisição de infraestrutura para implantação de uma técnica que pode ter duração efêmera em seu laboratório ou para um determinado projeto. Além disso, a efemeridade da utilização da técnica impede seu completo conhecimento.”

Sara Ollala Saad

 

A serviço da área de biológicas

“O LaCTAD é uma iniciativa importante que permitirá acesso a tecnologias de ponta para um grande número de pesquisadores, seja da Unicamp ou de fora dela, proporcionando avanços nas pesquisas em biologia, medicina, bioquímica e biofísica. Mais especificamente na minha área de atuação, o LaCTAD proverá serviços de bioinformática – como montagem e comparação de genomas – que será de grande ajuda para os pesquisadores das áreas biológicas.”

Zanoni Dias

 

Autonomia ao país

“Esta facility traz para o Brasil uma autonomia em relação aos serviços de alto desempenho. E o fato de a Unicamp poder oferecer isso aos pesquisadores brasileiros é motivo de enorme satisfação. Para a nossa área de pesquisa, o LaCTAD é fundamental: se entendermos o genoma como um grande livro, esta facility é o que faz a leitura. São equipamentos de primeira geração em sequenciamento de alto volume, tanto sequências maiores como pequenas (que fazemos em maior número). E a combinação dessas técnicas permite desvendar genomas de grande complexidade.”

Gonçalo Pereira

 

Como as melhores ‘facilities’

“O LaCTAD vem suprir uma necessidade premente para as instituições de pesquisa do país, oferecendo a oportunidade para pesquisadores terem acesso a tecnologias que envolvem grandes volumes de dados como a genômica e a proteômica, e também oferecendo serviço de bioinformática de alta qualidade. Projetado para operar nos moldes das melhores facilities comuns nas universidades no exterior, o LaCTAD tem como objetivo oferecer serviços de qualidade e auxiliar os pesquisadores no processamento e interpretação dos resultados. Com isso, o Laboratório espera dar uma grande contribuição para a melhoria da qualidade das publicações dos pesquisadores da Unicamp e de outras instituições interessadas em nossos serviços.”

Paulo Arruda

 

O desafio de atender bem

“Eu considero de extrema importância para a ciência o planejamento, construção e manutenção de laboratórios multiusuários que possam abrigar equipamentos de grande porte para prestação de serviços. Apesar de tais equipamentos serem de valor muito elevado e exigirem manutenção rotineira e especializada, são vitais para os casos em que se investigam sistemas muito complexos ou onde se exige a geração de dados em larga escala. Desta maneira, laboratórios multiusuários nos moldes do LaCTAD têm o potencial de gerar um grande impacto positivo nas pesquisas realizadas na Unicamp ou em outras instituições de  esquisa, uma vez que tornam acessível o uso de tecnologias de ponta que difi cilmente seriam adquiridas por apenas um grupo ou grupos pequenos de pesquisa. O nosso maior desafio será atender bem os  ossos usuários: os grupos de pesquisa. Minha experiência em outras instituições e laboratórios multiusuários aponta que este desafi o não será fácil de ser vencido, uma vez que muitas vezes vai exigir uma maior compreensão do problema que o usuário está estudando. Ainda não estamos muito acostumados com este tipo de relação no nosso sistema de pesquisa. Portanto, torna-se primordial que tenhamos no LaCTAD pessoal altamente qualifi cado e bem treinado para se relacionar com o usuário. As pessoas envolvidas com o LaCTAD vêm fazendo grandes esforços neste sentido e acho que estamos sendo bem sucedidos. Aprimorar cada vez mais o atendimento ao usuário torna-se, então, a meta a ser buscada.”

Carlos Ramos

 

 

Comentários

Comentário: 

O Prof. Pilli está fazendo um excelente trabalho como Pró-Reitor de Pesquisa. Parabéns, professor!