Edição nº 544

Nesta Edição

1
2
4
5
6
7
8
9
10
11
12

Jornal da Unicamp

Baixar versão em PDF Campinas, 29 de outubro de 2012 a 04 de novembro de 2012 – ANO 2012 – Nº 544

Ações inovadoras
produzem conhecimento

Medidas diminuem evasão e valorizam
a articulação das atividades de ensino, pesquisa e extensão

 

A Pró-Reitoria de Graduação (PRG) vem marcando sua atuação com um conjunto de ações inovadoras e expressivas, que se somam a outras propostas da Unicamp no sentido de proporcionar excelência na educação global de seu aluno de graduação. Nesse relevante esforço pelo aprimoramento da formação oferecida ao corpo discente, evidenciam-se os projetos que, no âmbito da PRG, colaboram para elevar continuamente o patamar da qualidade das atividades acadêmicas. Exemplos são as iniciativas que buscam contribuir para a diminuição da evasão e para a promoção do sucesso acadêmico, valorizando a articulação das atividades de ensino, pesquisa e extensão; que incentivam o desenvolvimento de metodologias de ensino capazes de despertar o interesse dos estudantes e de favorecer a aprendizagem; e que promovem a inovação tecnológica como recurso para compartilhar com a comunidade a produção didática da Universidade, respondendo às demandas de uma sociedade caracterizada por rápidas transformações quanto à forma de produzir e trabalhar o conhecimento.

O emprego de tecnologias na instituição com o propósito de transferir para a sociedade conteúdos gerados a partir de suas disciplinas de graduação e de fomentar, desse modo, a geração de novos conhecimentos, está muito bem caracterizado no projeto OpenCourseWare (OCW) Unicamp. Inspirado em um consórcio internacional que congrega mais de cem instituições de ensino superior em todo o mundo, o OCW Unicamp é um portal que hospeda conteúdos originários de disciplinas de cursos de graduação (na forma de textos, vídeos, animações, imagens, apresentações ou outros formatos) e os disponibiliza gratuitamente à comunidade. O acesso aos materiais é realizado de forma livre e sem custo ou necessidade de inscrição, porém o OCW não emite certificados ou diplomas, nem oferece suporte ou assistência dos autores aos usuários.

Lançado há pouco mais de um ano e disponibilizando atualmente conteúdos de quase três dezenas de disciplinas, com média mensal entre 2.000 e 2.500 acessos, o OCW foi concebido pela PRG em conjunto com o Grupo Gestor de Tecnologias Educacionais (GGTE) – órgão subordinado às pró-reitorias de Pós-Graduação e de Graduação, criado em 2009 para dar suporte ao oferecimento de cursos de educação a distância com os diferenciais de credibilidade presentes nos cursos presenciais da Unicamp. Segundo a coordenadora adjunta do Grupo, a professora Vera Solferini, o GGTE veio consolidar ações no uso de tecnologias educacionais desenvolvidas pioneiramente e com muito sucesso na Unicamp desde a década de 1980. A expertise acumulada tem resultado em projetos, desenvolvimento e implementação de metodologias e materiais diferenciados, para aplicação em cursos tanto presenciais quanto na modalidade a distância.

Fisicamente instalado no Centro de Computação (CCUEC), o GGTE vem cumprindo o papel de facilitador do uso de ferramentas computacionais nas atividades educacionais na Unicamp, nos níveis de graduação, pós-graduação e extensão. Conforme lembra Vera, a equipe do GGTE não centraliza a execução das ações, mas atua no sentido de auxiliar os interessados na elaboração do projeto pedagógico, assessorando na formatação, na adequação dos materiais e estratégias didáticas e na transição do uso mais convencional desses recursos para outras plataformas de ensino e aprendizagem.

Inovações curriculares

A adaptação do ensino tradicional à nova realidade da sociedade, caracterizada pelo uso intenso de tecnologias, também pauta os debates promovidos pelos Seminários Inovações em Atividades Curriculares, organizados pela PRG com o propósito de socializar as várias atividades de inovação no trabalho formativo do estudante universitário que se processam nos diferentes cursos da Unicamp. O “I Seminário Inovações em Atividades Curriculares” aconteceu no ano de 2007, sob coordenação da Faculdade de Educação, tendo como objetivo socializar as várias atividades de inovação no trabalho formativo do estudante universitário que se processavam nos diferentes cursos da Unicamp.

 O projeto nasceu da constatação de que muitas ações inovadoras em termos curriculares realizadas nesses cursos, geralmente por iniciativa dos próprios docentes, ficavam restritas à própria unidade, sem que houvesse discussão sobre a implementação e os alcances dessas atividades.

“O evento permite aos professores entrar em contato com inovações curriculares que estão sendo implementadas por colegas de diferentes áreas do conhecimento. Essas experiências podem resultar em novas formas de ensino ou na adaptação desses métodos de ensino em outras disciplinas, propagando a inovação curricular pela Universidade”, afirma a professora Gabriela Celani, assessora da PRG.

Os Seminários de Inovações Curriculares começaram como um encontro exclusivo para os docentes da Unicamp, mas em 2011 o evento abriu as portas para a participação também de professores de outras instituições públicas paulistas. Pretende-se, nos próximos anos, ampliar ainda mais o público alvo, aumentando a diversidade de experiências relatadas e contribuindo para a propagação das inovações para todo o Brasil. Um e-book com trabalhos selecionados do Seminário de 2011 pode ser baixado gratuitamente do link http://www.prg.unicamp.br/inovacoes/2011/

Dentre as experiências apresentadas, uma parcela importante aborda justamente os desafios da educação, e em especial do ensino superior, que requerem novas posturas pedagógicas perante as alterações estruturais da cultura, da sociedade e da dinâmica do conhecimento. “Não há uma maneira única de resolver isso. A oportunidade de discutir diferentes formas de lidar com esse problema é fundamental para que se possa avançar na melhora da interação com nossos alunos”, salienta Gabriela.

Apoio consolidado

A interação dos docentes com os alunos da Unicamp encontra respaldo em um dos mais tradicionais programas sob responsabilidade da PRG, o Programa de Apoio Didático (PAD). Concebido inicialmente para atender disciplinas com grande número de alunos matriculados e alto índice de reprovação, o programa, hoje, visa ao aprimoramento do ensino de graduação através de monitoria exercida por estudantes regularmente matriculados em cursos de graduação da Unicamp e que recebem bolsas para assessorar os docentes na condição de auxiliares didáticos. Como reflexo de sua importância, apenas no primeiro semestre deste ano o PAD contou com a participação de 358 bolsistas e 125 voluntários.

“É uma atividade que traz como consequência, para o monitor, o aprimoramento de seus conhecimentos na área, e, para os alunos matriculados nos diferentes cursos de graduação, a oportunidade de contar com a assistência de um interlocutor mais próximo deles, para auxiliá-los em suas dúvidas no conteúdo das disciplinas e na execução de exercícios e trabalhos acadêmicos solicitados pelos professores”, lembra o professor Gilberto Sobrinho, assessor da PRG.

De acordo com ele, sob o impacto do PAD, a monitoria consolidou-se como um lugar estratégico, tanto para a comunicação dos alunos com os professores quanto para o melhor aproveitamento da disciplina por parte dos estudantes assistidos, o que tem resultado em benefícios para a qualidade do processo de ensino e aprendizagem como um todo.

“O desempenho dos alunos melhorou e a evasão diminuiu naquelas disciplinas que passaram a contar sistematicamente com a presença de um monitor. Eu destacaria ainda em nossas avaliações a influência do programa na própria experiência didática do professor”, observa Sobrinho.

Ele enfatiza que, mais recentemente, com a criação do Programa de Formação Interdisciplinar Superior (ProFIS) – outra inovadora ação da Unicamp vinculada à PRG, para o oferecimento de vagas na Universidade a jovens oriundos do ensino médio em escolas públicas de Campinas e selecionados pela nota obtida no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) – o PAD tem proporcionado aos monitores a rica experiência de atuar com alunos de uma realidade diferente daquela dos ingressantes por meio do vestibular.

Experiências extramuros

O contato com realidades diferentes daquelas vivenciadas dentro da Universidade, por sinal, é um aspecto da formação do aluno da Unicamp enfatizado pelos programas de Educação Tutorial (PET) e Novos Talentos, ambos também coordenados pela PRG.

Por meio das atividades desenvolvidas nos programas, o aluno de graduação vivencia a prática de sua futura profissão sob a orientação do corpo docente da Universidade e também consegue responder às necessidades da comunidade.

“São uma ponte da Unicamp com o mundo exterior e um estímulo a que o aluno saia do campo teórico e tenha uma atuação mais próxima da aplicação prática daquilo que está aprendendo na Universidade. Essa oportunidade de interagir com o mundo lá fora faz com que ele cresça e até faça uma reflexão diferenciada a respeito do próprio curso”, argumenta a professora Eliana Amaral. “O foco é qualificar o aluno que está aqui dentro sob tutoria, contribuindo fortemente para a formação dele ao mesmo tempo em que ele contribuiu com o mundo lá fora”, sintetiza a assessora da PRG.

O projeto PET (Projeto de Educação Tutorial) é um projeto do Ministério da Educação, desenvolvido por um grupo de estudantes de graduação bolsistas, com tutoria de um docente, com atividades que devem integrar ensino, pesquisa e extensão. A Unicamp retomou sua participação neste programa com projetos iniciados em 2011 por dois grupos PET – Faculdade de Educação Física (FEF) e Faculdade de Engenharia Química (FEQ). No momento, a PRG está enviando proposta ao Edital 2012, com seis novos grupos.

O PET/FEF, da Faculdade de Educação Física, envolve sete alunos da unidade, um aluno de Medicina e um aluno da Faculdade de Educação, com duas vagas a serem preenchidas com aluno de Ciência da Computação e de Artes Cênicas.  Os projetos do grupo em desenvolvimento são: “Farra nas Férias na FEF”, programado para 2013, a ser desenvolvido com 80 crianças, cuja temática será alimentação saudável e educação nutricional; “Descobrindo os profissionais de Educação Física, Medicina, Pedagogia e de Ciências Biológicas”, com palestras para alunos do ensino médio de escolas públicas estaduais de Campinas e região; “Vida Boa na Lagoa”, previsto para 2013, junto com a Secretaria de Saúde Municipal, para apoio de alunos aos usuários do Parque Portugal na orientação de atividades físicas; e “Intervenções na Educação Infantil”. Já o PET-FEQ é um grupo composto por oito alunos e um tutor, que tem realizado um conjunto de atividades multidisciplinares, modernizando as metodologias de ensino, ampliando as linhas pesquisa, promovendo a extensão universitária e a inserção social.

A participação da Unicamp no Programa Novos Talentos, da Capes, também foi iniciada em 2011, com cinco subprojetos. Visa à realização de atividades extracurriculares para alunos e professores das escolas da rede pública de educação básica, valorizando espaços inovadores, como as dependências das universidades, laboratórios e centros avançados de estudos e pesquisas, museus e outras instituições. Os projetos envolvem a graduação e a pós-graduação, oferecendo perspectivas educacionais, científicas, culturais, sociais ou econômicas inovadoras que contribuem com a formação de alunos e docentes da educação básica.

Os subprojetos são: Química em Ação (composto pelas atividades Química em Ação na Universidade para Alunos; Química em Ação na Universidade para Professores; e Química em Ação na Escola); Programa Multidisciplinar de Formação para alunos e professores do Ensino Médio; e Germinar-Brotar-Frutificar (constituído das atividades Como surge o broto? E, depois dele, outro?; Meu Habitat; e Feijão no Algodão).

Como forma de divulgar para a Unicamp e comunidade externa as atividades desenvolvidas e possibilitar a troca de experiências e a discussão de futuras ações – além de estimular a adesão de novos participantes –, a PRG e a Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (Preac) promovem mostras de trabalhos desenvolvidos em ambos os programas. A primeira foi realizada em 2011 e a próxima acontecerá dia 8 de novembro deste ano, juntamente com um seminário para a apresentação de vivências, experiências e para debates sobre os programas, que contará com a participação de especialistas da Unicamp e convidados.