XIV Encontro Nacional de História Oral

Cartaz do XIV Encontro Nacional de História Oral, com data e local, além de imagem da gravação de uma cena de filme

A Associação Brasileira de História Oral (ABHO) realiza, entre os dias 2 e 4 de maio de 2018, no campus sede da Unicamp, em Campinas, o XIV Encontro Nacional de História Oral.

Em torno do tema Testemunhar por imagens: História Oral e o registro audiovisual, o evento buscar reunir contribuições provenientes das distintas disciplinas que fazem uso da História Oral, em especial reflexões sobre o processo de gravação de entrevistas em mídias audiovisuais e seus diferentes usos.

“História Oral, História Audiovisual, História Textual. Independentemente do suporte, estamos diante de narrativas e de suas respectivas formas de comunicação. Com a atual proliferação e até mesmo banalização do uso da imagem em pesquisas, é fundamental que a ABHO propicie um espaço para uma discussão aprofundada sobre questões que envolvem as relações entre imagem em movimento e a História Oral”, explica a presidenta da Associação, Dra. Ana Carolina de Moura Delfim Maciel, que coordena do Laboratório de História Oral do Centro de Memória e também a Coordenadoria de Centros e Núcleos Interdisciplinares de Pesquisa (Cocen/Unicamp). Segundo ela, o encontro enfatiza a prática de captação de depoimentos filmados para fins historiográficos. “Embora nos dias atuais o ‘oral’ esteja migrando para o audiovisual, é preciso reiterar que são meios e resultantes completamente distintos, ou seja, em captações de vídeo, a imagem se impõe como mediadora e como resultante final, uma vez que é crescente o número de trabalhos apresentados em mídia digital”, comenta.

Destaques da programação

A comissão organizadora do Encontro confirmou, na conferência de abertura do evento, a presença do historiador Sébastien Ledoux, professor do Sciences Po (Instituto de Estudos Políticos de Paris) e pesquisador do Centro de História Social do Século XX, da Universidade Paris I Panthéon-Sorbonne. Ledoux teve sua tese de doutorado premiada, em 2015, pelo Instituto Nacional do Audiovisual francês (INA), em reconhecimento ao meticuloso trabalho de pesquisa que envolveu a análise de um grande corpus de materiais históricos audiovisuais e seu cruzamento com outras fontes documentais. O objetivo da empreitada foi rastrear e compreender o uso da expressão “dever de memória”, forjado na década de 1970 e símbolo, segundo o autor, da relação da França com seu passado, em especial a partir da década de 1990. Explorando a memória em seus vários aspectos, Sébastien Ledoux vem se dedicando à epistemologia da história da memória, às políticas memoriais na França, aos processos de memorialização e seus agentes, assim como ao ensino da memória nos espaços escolares. Sua conferência acontece no dia 2 de maio, às 19h30, no Centro de Convenções da Unicamp, e contará com tradução simultânea.

Já a conferência de encerramento do XIV ENHO, que acontece no dia 4 de maio, às 19h30, marca o final do mandato de Ana Carolina Maciel à frente da ABHO, com a apresentação "Oralidade e visualidade: o registro memorial no limiar do século XXI", a partir de uma trajetória de pesquisa voltada a reflexões que envolvem historiografia e audiovisual, memória, biografia e cultura material. Autora de "Yes, nós temos bananas" (2011), ela também é documentarista, tendo dirigido diversos curtas e médias-metragens.

Entre as duas conferências, estão programadas ainda três mesas-redondas, que desdobram o tema central do Encontro, oficinas e simpósios temáticos, sessão de lançamento de livros, Fórum de Coletivos de História Oral (com inscrições prorrogadas até 15 de abril), apresentações culturais, além da Mostra Audiovisual Testemunhar por Imagens, cuja programação completa será divulgada no dia 23 de abril, mas já tem confirmada a exibição de três longas-metragens convidados: Soldados do Araguaia e Menino 23, ambos dirigidos por Belisário Franca, que participa do debate de abertura da mostra, além de O Homem que Matou John Wayne, com a presença da biógrafa de Ruy Guerra, Vavy Pacheco Borges.

A décima quarta edição do Encontro também tem como destaque a realização do 1º Prêmio ABHO de Teses Ecléa Bosi, que reconhecerá trabalhos de doutorado que contribuem para o debate teórico acerca da História Oral e seu uso como recurso metodológico. A iniciativa é uma homenagem à professora emérita da USP, Ecléa Bosi, referência na área de Psicologia Social, que faleceu em julho de 2017. O resultado da premiação será divulgado antes da conferência de encerramento do evento, na noite do dia 4 de maio.

A ABHO espera reunir nesta edição do Encontro Nacional, que conta com o apoio do Centro de Memória, ao menos 700 participantes já inscritos, provenientes de todas as regiões do país e de diferentes campos acadêmicos em que a História Oral é praticada como captação de fontes e como um modo diferenciado de acesso ao conhecimento histórico. Além de pesquisadores, docentes e estudantes, o evento é voltado a profissionais que atuam em escolas, centros de documentação e memória, museus, arquivos, entre outros. Até o dia 2 de maio, ainda é possível realizar inscrição como participante na modalidade de ouvinte.

Mais informações e inscrições na página do evento.