Exposição "África: memória e identidade"

BC

O Projeto Espaço de Arte, da Coordenadoria de Desenvolvimento Cultural (CDC) da Unicamp, traz à universidade a exposição África: memória e identidade, com esculturas, máscaras e utensílios africanos do Instituto Cultural Babá Toloji. Exposição acontecerá no saguão da Biblioteca Central "Cesar Lattes" de 22 de março a 19 de abril.

Luiz Antonio Castro de Jesus, mais conhecido como Toloji, é um baiano que tornou-se campineiro. No dia 20 de junho de 1999, ao receber o título de cidadão campineiro em seção solene da Câmara dos Vereadores do Município de Campinas, Luiz concretizou um sonho: inaugurou o Instituto Cultural Babá Toloji, que leva seu nome de babalorixá. Um babalorixá é responsável pela casa de candomblé, e no caso de Toloji ela é a "Comunidade da Tradição do Culto Afro Ilesin Ogun LaKayie Osinmole".

O acervo do Instituto conta atualmente com mais de 11.500 peças, entre esculturas de divindades do Candomblé, máscaras, tecidos, pinturas e objetos de uso cotidiano, além de outras tantas obras artísticas ou utilitárias. Em sua grande maioria, as peças vieram diretamente da África, de países como Senegal, Angola, Cabo Verde, Nigéria e Costa Marfim. Destas, 30 peças serão expostas na Biblioteca Central.

A ideia de se criar um Instituto Cultural, com exposição museológica, foi acompanhada da preocupação em promover a divulgação para o público, tornando o Instituto parte da rota cultural de Campinas e Região. A mensagem que deve chegar ao público visitante é de que o acervo é rico em patrimônio histórico e cultural africano e influências afro na cultura brasileira.
Serviço:

A Biblioteca Central "Cesar Lattes" está localizada na Rua Sérgio Buarque de Holanda, 421, Campus de Barão Geraldo, e a visitação pode ser feita de segunda a sexta-feira, das 08h às 22h.