Busca no Clipping

Terra

 

Em entrevista à DW Brasil, o cientista político e pesquisador do Núcleo de Pesquisa em Participação, Movimentos Sociais e Ação Coletiva (Nepac), da Unicamp, Wagner de Melo Romão criticou o "ativismo político" do Judiciário e a figura de "justiceiro", muito defendida nos protestos de domingo.

Para Romão, a crise na relação entre Legislativo e Judiciário só enfraquece a democracia brasileira. "O ativismo político do Judiciário, apoiado pelas manifestações das ruas, pode agravar o cenário já ruim de instabilidade do Brasil."

 

Revista Amazônia

 

Estimativas de crescimento demográfico indicam que, em 2050, a população mundial chegará a 9,2 bilhões de pessoas. Para abastecer o planeta seria preciso aumentar a oferta de alimentos em cerca de 50% ou 60%. “Não há condições ambientais para se produzir tanto, o planeta está no limite. A solução então é trabalhar para combater perdas e desperdícios de alimentos, por meio da sinergia, cooperação e comunicação, como pretende a Save Food Brasil”, aponta o professor Walter Belik, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

 

Nexo Jornal

“Eu diria que a fase em que ele mais teve impacto cultural e político foi esse tempo”, disse ao Nexo Marcelo Ridenti, professor do departamento de sociologia da Unicamp e autor de “Brasilidade revolucionária - um século de cultura e política”. “O trabalho dele foi muito impactante. E, no CPC e no Opinião, era um trabalho em grande parte coletivo.”

Diário Popular

A proposta foi defendida pela cientista política e professora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Andréa Marcondes de Freitas, durante audiência pública realizada na Câmara dos Deputados na última semana. Para a docente, é muito complexo ao eleitor se posicionar entre tantas agremiações, e isso ajuda a afastá-lo do sistema político.

Mundo Amazônia

Estimativas de crescimento demográfico indicam que, em 2050, a população mundial chegará a 9,2 bilhões de pessoas. Para abastecer o planeta seria preciso aumentar a oferta de alimentos em cerca de 50% ou 60%. “Não há condições ambientais para se produzir tanto, o planeta está no limite. A solução então é trabalhar para combater perdas e desperdícios de alimentos, por meio da sinergia, cooperação e comunicação, como pretende a Save Food Brasil”, aponta o professor Walter Belik, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Página Rural

Estimativas de crescimento demográfico indicam que, em 2050, a população mundial chegará a 9,2 bilhões de pessoas. Para abastecer o planeta seria preciso aumentar a oferta de alimentos em cerca de 50% ou 60%. "Não há condições ambientais para se produzir tanto, o planeta está no limite. A solução então é trabalhar para combater perdas e desperdícios de alimentos, por meio da sinergia, cooperação e comunicação, como pretende a Save Food Brasil", aponta o professor Walter Belik, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Carta Capital

Os 18,5 milhões de trabalhadores sem carteira de trabalho assinada no Brasil são 18,5 milhões de contribuintes a menos para a Previdência Social, já que recebem o seu salário informalmente. O rombo para 2013 foi estimado em pelo menos 41,6 bilhões de reais anuais por José Dari Krein e Vitor Araújo Filgueiras, pesquisadores do Centro de Estudos Sindicais e de Economia do Trabalho da Unicamp.

SP Bancários

Os 18,5 milhões de trabalhadores sem carteira de trabalho assinada no Brasil são 18,5 milhões de contribuintes a menos para a Previdência Social, já que recebem o seu salário informalmente. O rombo para 2013 foi estimado em pelo menos R$ 41,6 bilhões anuais por José Dari Krein e Vitor Araújo Filgueiras, pesquisadores do Centro de Estudos Sindicais e de Economia do Trabalho da Unicamp. O número sobe para R$ 47 bilhões quando também são considerados os trabalhadores domésticos, que não recebem desconto na folha de pagamento para a Previdência Social.

Correio do Estado

Dormir menos que oito horas diárias pode ser um fator de risco para doenças cardiovasculares futuras. Tudo começa com o desenvolvimento de resistência à insulina, depois vem o ganho de peso, a diabete e outros fatores. O alerta feito especialmente aos adolescentes é de Bruno Geloneze, professor e endocrinologista da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) que atua no Gastrocentro e que lidera o grupo de pesquisa multicêntrico Brazilian Metabolic Syndrome Study (Brams).

Mundo Amazônia

Há poucos meses, pesquisadores da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) apresentaram os primeiros protótipos de células solares de perovskitas feitas no Brasil, um dos materiais mais promissores e mais pesquisados atualmente em todo o mundo.

Roraima em Tempo/Boa Vista

Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) é segunda instituição brasileira mais bem colocada. Aparece na 28a colocação, mas no ano anterior era 24a.

ABCD Maior/São Bernardo do Campo

 

Os 18,5 milhões de trabalhadores sem carteira de trabalho assinada no Brasil são 18,5 milhões de contribuintes a menos para a Previdência Social, já que recebem o seu salário informalmente. O rombo para 2013 foi estimado em pelo menos R$ 41,6 bilhões anuais por José Dari Krein e Vitor Araújo Filgueiras, pesquisadores do Centro de Estudos Sindicais e de Economia do Trabalho da Unicamp. O número sobe para R$ 47 bilhões quando também são considerados os trabalhadores domésticos, que não recebem desconto na folha de pagamento para a Previdência Social.

 

Diário da Manhã

Experimentos desenvolvidos na Unicamp, em parceria com a Embrapa de Sete Lagoas (MG) e a Texas A&M University, nos Estados Unidos, demonstraram que o sorgo pode ser um importante alimento capaz prevenir doenças crônicas não transmissíveis, como o diabetes, a obesidade e o câncer.

O Tempo

“Pelas próximas duas décadas, o eleitorado perderá a capacidade de escolher o plano econômico que quer para o governo seguinte. A medida incorrerá em sérias consequências à população que depende dos serviços públicos, principalmente nas áreas de saúde e educação”, alertou o professor da Unicamp Fernando Nogueira da Costa, especialista em macroeconomia e teorias monetária e financeira.

Plantão News

“Todo esse conjunto de ambientes envolve relações físicas, biológicas, geológicas e antrópicas que se estabelecem entre o continente e o oceano e que vêm sofrendo pressões de diferentes origens, comprometendo serviços ambientais e prejudicando a qualidade de vida da população que depende direta ou indiretamente de seus recursos. O gerenciamento costeiro tem como meta integrar interesses econômicos, sociais e ambientais de forma sustentável para a região”, explicou Antonia Cecília Zacagnini Amaral, do Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (IB-Unicamp) e pesquisadora principal do Temático.

R7

Em um estudo realizado pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) o caldo de cana foi utilizado pelos atletas do time da Ponte Preta. Um copo após os treinos intensos promoveu uma menor perda muscular – medida pela quantidade de ureia eliminada na urina.

Portal Vermelho

José Roberto Zan é do departamento de música do Instituto de Artes da Universidade de Campinas (Unicamp), a primeira observação dele é a mudança na dinâmica do samba quando é incorporado pela indústria fonográfica. O marco é o samba Pelo Telefone (Donga e Mauro de Almeida), registrado em novembro de 2016, o que originou as comemorações do centenário. A indústria do disco cria e reforça a ideia de autoria, continuou Zan. Segundo ele, esse é um aspecto importante que se revela na história de "Pelo telefone”.

Portal TodoDia

 

O professor de economia da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), Márcio Pochmann, também ex-presidente do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), considera que a crise atual tem um perfil diferente dos períodos de recessão anteriores.

"Tinha-se a ideia de que bastava se ter um diploma no currículo para não perder o emprego. É uma tese que cai por terra, vemos que muitas pessoas com cargos altos perderam suas funções e estão batalhando para se reinserir no mercado", analisou.

 

Correio Popular

 

Já pensou em rechear o sanduíche, a pizza ou a tapioca com tucumã-do-Amazonas, como fazem os brasileiros lá do Norte? Pois é isso o que propõe o biólogo manauara Alisson dos Reis Canto, de 29 anos, em sua dissertação de doutorado pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). O estudo consistiu em desenvolver um processo de industrialização para permitir que o fruto passe a frequentar as mesas de todo o Brasil.

 

O Tempo

 

“Pelas próximas duas décadas, o eleitorado perderá a capacidade de escolher o plano econômico que quer para o governo seguinte. A medida incorrerá em sérias consequências à população que depende dos serviços públicos, principalmente nas áreas de saúde e educação”, alertou o professor da Unicamp Fernando Nogueira da Costa, especialista em macroeconomia e teorias monetária e financeira.