Busca no Clipping

Jornal GGN

A proposta de privatizações e concessões de equipamentos e serviços públicos, anunciada pelo prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), é considerada uma demonstração de incapacidade de gestão pelo economista da Unicamp Guilherme Mello e pelo diretor do Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (Ibase), Cândido Grzybowski. Para ambos, o projeto pode levar à exclusão da população mais pobre e ao sucateamento dos projetos menos rentáveis na cidade, além de ser uma forma de desobrigar o poder público a garantir acesso, estrutura e manutenção de serviços e equipamentos públicos para toda a população.

Correio Popular

Cinco candidatos disputam nesta quarta e quinta-feira, em primeiro turno de votação, a eleição para reitor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Os professores Marcelo Knobel, Luís Alberto Magna, Léo Pini Magalhães, Antonio Fonseca e Rachel Meneguello são os candidatos.

Cenário MT

A Comissão Especial da Reforma Trabalhista (PL 6787/16) promoveu hoje (14) um debate entre especialistas que avaliaram os impactos das mudanças propostas pelo governo. Na avaliação da desembargadora e pós-doutora em economia do trabalho e pesquisadora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Magda Barros Biavaschi, o texto da reforma como está irá precarizar o mercado e provocar a redução de salários, com danos à economia brasileira.

Para Magda Biavaschi, que foi uma das sete especialistas ouvidas na tarde de hoje, a medida vai acentuar a atual crise no mercado de trabalho. "A reforma trabalhista, longe de resolver os problemas econômicos de um país, tende a gerar mais distorções salariais e reduzir a atividade econômica. Essas ideias precisam ser debatidas porque são falaciosas".

A Gazeta/Vitória

O chefe da disciplina de Infectologia da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp, Plínio Trabasso, diz que essas bactérias podem causar diarréias e outras infecções intestinais. ‘Agentes ambientais podem, também, desencadear reações alérgicas tanto de pele quanto de vias respiratórias. Neste caso, bebês e crianças que brincam no chão da casa são os mais suscetíveis a contaminação.”

Diário de Santa Bárbara

A chegada de uma frente fria deve trazer mais chuva para Santa Bárbara d'Oeste nessa semana. De acordo com Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), há possibilidade de pancadas de chuva e temporais localizados até domingo.

Sul 21

Mas para economistas ouvidos pela RBA, a queda da inflação e das projeções em relação a ela, assim como no caso da taxa Selic, decorrem de fatores que estão muito longe de indicar qualquer motivo para otimismo. Pelo contrário. “O fator mais óbvio é que o Brasil atravessa uma grande depressão. A maior depressão da história econômica, maior que nos anos pós-1929”, diz o professor titular do Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Fernando Nogueira da Costa.

Notícias de Mato Grosso

A desembargadora Magda Barros Biavaschi, pós-doutora em Economia do Trabalho e pesquisadora da UNICAMP, por sua vez, argumentou que não está na redução de direitos o caminho para conquistar competitividade e aumentar a oferta de postos de trabalho. Ela criticou, por exemplo, a tentativa de trazer a terceirização “ampla e irrestrita” para a reforma trabalhista por meio de emendas.

Biavaschi avaliou que a reforma trabalhista vai precarizar o mercado de trabalho. “Reduz ainda mais os salários com danos à economia brasileira”, afirmou, lembrando que os terceirizados chegam a receber metade que um trabalhador não terceirizado na mesma função.

Notícia Já

Segundo o professor Jurandir Zullo, do Cepagri da Unicamp, além da queda na temperatura também tem previsão de chuvas localizadas pros dois dias. Pena que a alegria vai durar pouco: a partir de sexta-feira, as temperaturas começam a subir de novo e o calorão dá as caras outra vez em toda a região, com as temperaturas chegando facinho aos 30 graus.

Universia Brasil

Unicamp divulgou nesta terça-feira (14) a lista de aprovados na segunda chamada do vestibular 2017. Os candidatos devem acessar o portal da Comvest para verificar se foram classificados.

Jornal Preliminar

A Comissão Especial da Reforma Trabalhista (PL 6787/16) promoveu nessa terça (14) um debate entre especialistas que avaliaram os impactos das mudanças propostas pelo governo. Na avaliação da desembargadora e pós-doutora em economia do trabalho e pesquisadora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Magda Barros Biavaschi, o texto da reforma como está irá precarizar o mercado e provocar a redução de salários, com danos à economia brasileira. Para Magda Biavaschi, que foi uma das sete especialistas ouvidas na tarde de hoje, a medida vai acentuar a atual crise no mercado de trabalho.

"A reforma trabalhista, longe de resolver os problemas econômicos de um país, tende a gerar mais distorções salariais e reduzir a atividade econômica. Essas ideias precisam ser debatidas porque são falaciosas".

Viver sem Chefe

Unicamp divulgou nesta terça-feira (14) a lista de aprovados na segunda chamada do vestibular 2017. Os candidatos devem acessar o portal da Comvest para verificar se foram classificados.

Jornal de Piracicaba

A chegada de uma frente fria deverá derrubar as temperaturas em Piracicaba. De acordo com o Cepagri da Unicamp, a mudança no clima trará áreas de instabilidade que farão com que o tempo varie entre parcialmente nublado e nublado. Pancadas de chuva de forte intensidade poderão ser observadas principalmente no fim da tarde. Ontem, uma massa de ar frio se instalou sobre a cidade derrubando a temperatura em 10°C. 

A Crítica

A Comissão Especial da Reforma Trabalhista (PL 6787/16) promoveu hoje (14) um debate entre especialistas que avaliaram os impactos das mudanças propostas pelo governo. Na avaliação da desembargadora e pós-doutora em economia do trabalho e pesquisadora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Magda Barros Biavaschi, o texto da reforma como está irá precarizar o mercado e provocar a redução de salários, com danos à economia brasileira.

Para Magda Biavaschi, que foi uma das sete especialistas ouvidas na tarde de hoje, a medida vai acentuar a atual crise no mercado de trabalho. “A reforma trabalhista, longe de resolver os problemas econômicos de um país, tende a gerar mais distorções salariais e reduzir a atividade econômica. Essas ideias precisam ser debatidas porque são falaciosas”.

O Nortão

Os impactos negativos do exagero não ficam restritos aos aspectos comportamentais e emocionais. Tem também a ameaça do sedentarismo. Uma pesquisa da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) avaliou os hábitos de 21 voluntários com idade entre 8 e 12 anos e constatou que 14 deles não praticavam nenhuma atividade física.

“Quando perguntamos o que gostavam de fazer no final de semana, a maioria respondeu brincar com jogos eletrônicos, o que já acontecia nos outros dias”, revela a pedagoga Ana Lúcia Meneghel, autora do trabalho. E você sabe: essa moleza é um convite à obesidade.

Câmara dos Deputados

A desembargadora Magda Barros Biavaschi, pós-doutora em Economia do Trabalho e pesquisadora da UNICAMP, por sua vez, argumentou que não está na redução de direitos o caminho para conquistar competitividade e aumentar a oferta de postos de trabalho. Ela criticou, por exemplo, a tentativa de trazer a terceirização “ampla e irrestrita” para a reforma trabalhista por meio de emendas.

Biavaschi avaliou que a reforma trabalhista vai precarizar o mercado de trabalho. “Reduz ainda mais os salários com danos à economia brasileira”, afirmou, lembrando que os terceirizados chegam a receber metade que um trabalhador não terceirizado na mesma função. 

Jornal Floripa

Uma pesquisa desenvolvida na Unicamp, em Campinas (SP), com o grafeno, um nanomaterial da família do carbono, abriu novas possibilidades no tratamento de doenças neurodegenerativas como Alzheimer e Parkinson. O estudo foi realizado pela farmacêutica bioquímica Monique Culturato Padilha Mendonça, no Instituto de Biologia da universidade, durante o doutorado.

BOL

A Comissão Especial da Reforma Trabalhista (PL 6787/16) promoveu hoje (14) um debate entre especialistas que avaliaram os impactos das mudanças propostas pelo governo. Na avaliação da desembargadora e pós-doutora em economia do trabalho e pesquisadora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Magda Barros Biavaschi, o texto da reforma como está irá precarizar o mercado e provocar a redução de salários, com danos à economia brasileira.

Para Magda Biavaschi, que foi uma das sete especialistas ouvidas na tarde de hoje, a medida vai acentuar a atual crise no mercado de trabalho. "A reforma trabalhista, longe de resolver os problemas econômicos de um país, tende a gerar mais distorções salariais e reduzir a atividade econômica. Essas ideias precisam ser debatidas porque são falaciosas".

Brasil de Fato

A proposta de privatizações e concessões de equipamentos e serviços públicos, anunciada pelo prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), é considerada uma demonstração de incapacidade de gestão pelo economista da Unicamp Guilherme Mello e pelo diretor do Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (Ibase), Cândido Grzybowski. Para ambos, o projeto pode levar à exclusão da população mais pobre e ao sucateamento dos projetos menos rentáveis na cidade, além de ser uma forma de desobrigar o poder público a garantir acesso, estrutura e manutenção de serviços e equipamentos públicos para toda a população.

Jornal Floripa

A Comissão Especial da Reforma Trabalhista (PL 6787/16) promoveu hoje (14) um debate entre especialistas que avaliaram os impactos das mudanças propostas pelo governo. Na avaliação da desembargadora e pós-doutora em economia do trabalho e pesquisadora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Magda Barros Biavaschi, o texto da reforma como está irá precarizar o mercado e provocar a redução de salários, com danos à economia brasileira.

Para Magda Biavaschi, que foi uma das sete especialistas ouvidas na tarde de hoje, a medida vai acentuar a atual crise no mercado de trabalho. "A reforma trabalhista, longe de resolver os problemas econômicos de um país, tende a gerar mais distorções salariais e reduzir a atividade econômica. Essas ideias precisam ser debatidas porque são falaciosas".

Metro/RJ

O dilema e as dificuldades encontradas pela lia se aplicam a muitas outras crianças. E a alternativa adotada ainda não é a ideal e nem atende completamente ao que necessitaria a criança, segundo a professora Ângela Soligo, docente da Faculdade de Educação da Unicamp. “Ainda há um conceito muito presente nas escolas que é o do “aluno ideal”. Que a criança tem que se adaptar aos moldes da escola. Não é por falta de vontade dos docentes. Muitos querem ajudar, mas esbarram na cultura que funciona a partir do “aluno modelo”, comenta.