Cronologia


   

Nesta cronologia você encontrará os principais eventos históricos e publicações literárias da segunda metade do século XVIII até o primeiro quartel do XIX, período conhecido como Arcadismo e no qual viveu o Sapateiro Silva.


1752

- Teresa Margarida da Silva Orta: Máximas de virtudes e formosura, 1a ed. (Lisboa) O título altera-se a partir da 2a ed. para Aventuras de Diófanes, imitando o sapientíssimo Fénélon na sua viagem de Telêmaco

1753

- Cláudio Manuel da Costa: Epicédio em momória de Fr. Gaspar da Encarnação (Coimbra)
- Cláudio Manuel da Costa: Labirinto do amor (Coimbra)
- Cláudio Manuel da Costa: Números harmônicos (Coimbra)

1754

- João Mendes da Silva: Christiados (Lisboa)1759 - Expulsão dos Jesuítas. Todos os seus bens foram confiscados, inclusive as bibliotecas
- Adam Smith: Theory of Moral Sentiments (6.a edição)

1762

-Domingos Caldas Barbosa transfere-se da Colônia do Sacramento para a Metrópole, onde vive do mecenato.

1765

- Frei Antônio de Santa Maria Jaboatão: Novo Orbe Seráfico (Lisboa)

1768

- Pombal unifica o sistema censório português criando a Real Mesa Censória. Os censores eram nomeados pelo Rei. A Mesa era composta por eclesiásticos e funcionários leigos. (Lei de 5 de abril)
- Criação da Imprensa Régia em Lisboa

1768

- Cláudio Manuel da Costa: Obras, publicadas  em Coimbra e consideradas marco inicial do Arcadismo no Brasil.

1769

- Frei Manuel de Santa Rita Itaparica: Eustáquidos, poema sacro e tragicômico em que se contém a vida de Santo Eustáquio Mártir (Lisboa)
- Basílio da Gama: O Uraguai
- Pombal obriga todas as entidades ou pessoas que possuíssem livros a enviar à Real Mesa Censória uma lista, indicando todos os títulos, autor e data de publicação. (Edital de 10 de julho)

1772

- Criação do Subsídio Literário, imposto destinado a custear as despesas com a instrução pública.

1773

-Cláudio Manuel da Costa: Vila Rica, publicação póstuma

1775

-Domingos Caldas Barbosa: Coleção de poesias (Lisboa)

-Nasce, provavelmente neste ano, Joaquim José da Silva, o Sapateiro Silva, no Rio de Janeiro.

1776

-D. Fr. Manuel da Ressurreição escreve ao Marquês de Pombal sobre a ineficiência da censura no Brasil 

1777

-Domingos Caldas Barbosa: Epitalâmio (Lisboa)
-Decretos franceses de 1777 e 1778 reconhecem a propriedade literária para os autores

1781

-Frei José de Santa Rita Durão: Caramuru (Lisboa)

 1783

-Padre Antônio Pereira de Sousa Caldas: Ode ao Homem Selvagem

1785

-Alvará de 5 de janeiro proíbe a instalação de fábricas e manufaturas no Brasil

1787

- D. Maria I reforma o sistema censório português, criando a Comissão Geral para o Exame e a Censura dos Livros. (Decreto de 21 de junho)

1789

- Inconfidência Mineira 
- Prisão de Tomás Antonio Gonzaga

1791

- Basílio da Gama: Quitúbia (Lisboa)

1792

- Domingos Caldas Barbosa: Recompilação dos sucessos principais da Escritura Sagrada  (Lisboa)
- Tomás Antônio Gonzaga: Marília – 1ª parte -  23 liras (Lisboa). Parte para desterro em Moçambique.
- Morre Inácio José de Alvarenga Peixoto: somente três de suas poesias foram publicadas em vida 
- Almanaque do Rio de Janeiro, organizado por Antônio Duarte Nunes,  indica a existência de uma livraria na cidade

1793

- Domingos Caldas Barbosa: A viola de Lereno, "Coleção de suas cantigas" (Lisboa)
- A Convention francesa estabelece medidas que garantem a propriedade literária para os autores (decreto-lei de 19 - 24 de julho de 1793)
- Lord Macartney, em relato sobre viagem ao Brasil, indica a existência de uma livraria no Rio de Janeiro
- O governo português restaura o sistema censório, voltando ao princípio dos três poderes: a Inquisição, o Ordinário e o Desembargo do Paço

1794

- Francisco Vilela Barbosa: Poemas (Coimbra)
- Almanaque do Rio de Janeiro, organizado por Antônio Duarte Nunes,  indica a existência de uma livraria na cidade
 
1795

-Luiz Figueira: Arte da Lingua Brasilica (Lisboa). 3a edição
-Silva Avarenga é submetido a interrogatório sob suspeita de especular contra às monarquias e a favor do governo republicano.
-Apreensão de livros considerados "subversivos", em posse de Cipriano Barata e Hermógenes de Aguiar Pantoja.
-Basílio da Gama morre em Lisboa. Deixa inédito o poema didascálico latino: Brasilienses Aurifodinae

1796

- Criação de uma biblioteca pública, com a denominação de Real Bibliotheca Pública da Corte, em Lisboa (futura biblioteca Nacional)  

1797

- Manuel Antonio da Silva Serva abre loja em Salvador para vender "lustres para sala, de diferentes qualidades, encerados e alcatifas de muito bons gostos, e vidros da Boêmia de diversos tamanhos, sacras de todas qualidades, móveis e livros."
- Tradução e circulação manuscrita de Julia e Nova Heloísa, de Rousseau; Revolução do tempo passado eRuínas, de Volney, e os discursos de Boissy d'Anglas.  

1798

- Conspiração dos Alfaiates (Bahia)
- Domingos Caldas Barbosa: Viola de Lereno.  

1799

- Duas livrarias instaladas no Rio de Janeiro
- Silva Avarenga: Glaura, "Madrigal VIII" (Oficina Nunesiana de Lisboa)
-  Manoel Inácio da Silva Alvarenga: Glaura   - (Lisboa)
-  Tomás Antônio Gonzaga: Marília – 2ª parte - 32 liras (Lisboa)
-  Francisco Vilela Barbosa: À Primavera (Lisboa)

1800

- Instala-se a Tipografia calcográfica, tipolástica e literária do Arco do Cego, em Lisboa. Chefiada pelo botânico brasileiro Frei Zé Mariano da Conceição Veloso.  O estabelecimento da  tipografia tinha por objetivo divulgar obras científicas sobre o Brasil 

- Chateaubriand: Atala

- Novalis: Heinrich de Ofterdingen
- Schiller: Maria Stuart
-José Francisco Cardoso: De rebus a Lusit. ad Tripolim  
-Bocage: tradução da obra de Francisco Cardoso, De Rebus a Lusit. Ad Tripolim, sob o título de Canto Heróico Sobre as Façanhas dos Portugueses na Expedição de Trípoli.

1801

- Decreto de 27 de julho proibe a circulação em Portugal do Ensaio sobre o homem, de Pope, das Viagens de Gulliver, de Swift e da Viagem Sentimental de Sterne. Sua posse e leitura depende de autorização da Censura
- Decreto de 7 de dezembro manda incorporar o acervo da Tipografia do Arco do Cego à Impressão Régia de Lisboa
- Pigault Lebrun: La folie espagnole
-  José Elói Ottoni: Poesia dedicada à Condessa Oeynhausen
-  José Elói Otôni: Anália de Josino

1802

-Mme. Stael: De la Litterature considerée dans les rapports avec les institutions sociales
- Joseph Lancaster: Improvements in Education as it respects the industrial classes
- Pigault Lebrun: Monsieurs Blotte
- Schiller: Poesias
- Chateaubriand: Le genie du Christianisme
- Mme. Stael: Delphine
- Byron: Hours of idleness
- José Elói Ottoni: Anália de Josino (Rio de Janeiro)
- Joaquim José Lisboa: Joquino e Tamira
- Tomás Antônio Gonzaga: Marília – 3ª parte apócrifa - 37 liras (Lisboa)

1803

- Shelling: Filosofia da Arte

1804

- Bouterwek: 3º tomo (no qual aparecem Portugal e Brasil) de Geschichte der Portugiesischen Poesie und Beredsamkeit
- Schelling: Filosofia e religião
- Joaquim José Lisboa: Descrição curiosa dos principais produtos, rios e animais do Brasil
- José da Silva Lisboa (Visc. de Cairu) Princípios de economia política

1805

- Batalha de Austerlitz (Vitória de Napoleão sobre as forças austro - russas)Dona Maria I ordena que de todos os papéis impressos nas oficinas tipográficas do Reino, um exemplar seja remetido à Real Biblioteca de Lisboa (alvará de 12 de setembro
- Walter Scott: O último dos menestréis
- Manuel Joaquim Ribeiro Obras poéticas (vol. 1)
- Manuel Ferreira de Araújo Guimarães: Epitalâmio
- Domingos Caldas Barbosa: Viola de Lereno (2a edição, por Antônio de Morais e Silva)
- Antônio de Morais e Silva: Epítome da Gramática da Língua Portuguesa

1806

- Primeira condenação da Inglaterra do tráfico de escravos
- Manuel Joaquim Ribeiro Obras poéticas (vol. 2)
- Antonio bersane Leite Quadras glosadas
- José Elói Ottoni: Drama alusivo ao caráter e talentos de Manuel Maria Barbosa du Bocage (peça em um ato)
- Antonio de Morais e Silva: Gramática da língua portuguesa

1807

- O Príncipe Regente de Portugal decide transferir a Corte para o Brasil (24 de novembro)
- Invasão de Portugal por tropas napoleônicas
- Hegel: Fenomenologia do Espírito
- Joaquim José Lisboa: Liras de Jonino, pastor da Serra
- Antonio Joaquim de Abreu: Obras inéditas
- José Cortes Solposto: Flores celestes (colhidas entre os espinhos da sagrada ...)
- Bento Figueiredo Tenreiro Aranha: Oração, "Breve discurso feito por ocasião do felicíssimo nascimento da sereníssima senhora D. Maria Isabel, Infanta de Portugal". - Domingos Caldas Barbosa: tradução (publicada anonimamente) da Henriade, de Voltaire, sob o título de Henrique IV.

1808

- Saint Simon: Sobre a Ciência do Homem
- Goethe: Fausto (1ª parte)
- Joaquim José Lisboa: A proteção dos ingleses
- Luis Rafael Soyé: Napoleão o grande
- Ovídio Saraiva de Carvalho e Silva: Poemas
- Joaquim José Lisboa: - Jonino de Aônia e Ode oferecida a Francisco da Silva Pinto da Fonseca
- Chegada de D. João VI ao Brasil (março)
- Instalação da Biblioteca Real no Hospital da Ordem Terceira do Carmo, Rio de Janeiro
- Fundação da Impressão Régia do Rio de  Janeiro (13 de maio) 
- Nomeação de Junta de Administração da Impressão Régia do Rio de  Janeiro (26 de junho)
- Nomeação de Junta de Censores da Impressão Régia do Rio de  Janeiro (27 de setembro)
- Nomeação de pessoal burocrático da Impressão Régia do Rio de  Janeiro (19 de outubro)
- Fundação do Arquivo Nacional
- Inicio da publicação da Gazeta do Rio de Janeiro (10 de setembro)
- Alvará de 1 de abril permite a instalação de fábricas e manufaturas no Brasil.
- Alvará de 28 de abril concede subvenções a estabelecimentos fabris que se fundassem no Brasil.

1809

- Edital de 30 de maio  submete os anúncios de venda de livros à fiscalização da Polícia. (Paulo Fernandes Viana, Intendente Geral da Polícia - Rio de Janeiro)
- Goethe: As afinidades eletivas
- Andrew Grant: História do Brasil
- Manuel Ferreira de Araújo Guimarães: Ode pela restauração do Porto
- Bernardo Avelino Ferreira de Souza: Congratulações
- José de Góis: Sonetos a vários assuntos ; Vozes do Patriotismo
- Manuel Ferreira de Araújo Guimarães: Testemunho pela Lamentável Morte (Impressão Régia), dedicado ao Conde da Ponte.
- Frei Bento da Trindade: Sermão em Ação de Graças Pela Vinda do Príncipe Regente Nosso Senhor Para os Estados do Brasil.
- Joaquim José Lisboa: Elogio dedicado a Francisco da Silveira Pinto da Fonseca.

1810

- Fundação da Real Academia Militar (Rio de Janeiro) através da Carta, porque Vossa Alteza Real Ha por bem Estabelecer na Sua Corte e Cidade do Rio de Janeiro huma Academia Real Militar Erigindo nella hum Curso completo de Mathematica e Sciencias de Physuca, Chimica e História Natural, datada de 9 de dezembro
- Manuel Antonio da Silva Serva pede ao Capitão Geral, conde dos Arcos, sua intervenção junto ao governo do Rio de Janeiro para instalação de sua tipografia em Salvador
- D. João VI baixa decreto para a organização do teatro no Brasil.
- Pope: Ensaio sobre a Crítica (Imprensa Régia , RJ)
- Walter Scott: A dama do lago
- Tomás Antonio Gonzaga: Marília de Dirceu, reeditado pela Imprensa Régia do Rio de Janeiro
- Joaquim José Lisboa: Ode à chegada de Sua Alteza
- Robert Southey: História do Brasil
- Tomás Antônio Gonzaga: Marília. Primeira edição brasileira - Rio de Janeiro,  Impressão Régia, 3 vol.
- Alexandre Pope: Ensaio sobre a Crítica, traduzido em português pelo Conde de Aguiar (Impressão Régia)

1811

- Paulo Martin manda imprimir na Imprensa Régia o primeiro romance no Brasil
-Inauguração da Biblioteca Real no Rio de Janeiro (13 de maio). A consulta era facultada aos estudiosos mediante pedido
- D. João VI ordena que, de todos os papéis impressos na Impressão Régia do Rio de Janeiro, um exemplar seja remetido à Biblioteca Real instalada no Rio de Janeiro
- Fábrica de Cartas de Jogar anexada à Impressão Régia do Rio de Janeiro como forma de aumentar sua arrecadação
- Príncipe Regente assina uma Carta Régia autorizando o funcionamento da tipografia de Manuel Antonio da Silva Serva em Salvador
- Fundação da Biblioteca Pública de Salvador
- Goethe: Poesia e verdade
- Lamb: Sobre as tragédias de Shakespeare
- Pierre Louis Ginguené: Histoire litteraire d' Italie (até 1924)
- Hipólito José da Costa: Narrativa da Perseguição
- José de Góis: Cantigas em louvor do Santíssimo Coração de Jesus
- Joaquim José Lisboa: Obras poéticas
- Gregório Gonçalves da Costa: Presuntonomalia Luzeiral
- Basílio da Gama: Uruguai (1a edição brasileira, pela Impressão Régia)
- É impresso em Paris, Hymne à l'Etre Suprême, em português e francês.
- Encenação das peças teatrais, musicais e alegóricas A Verdade Triunfante e A União Venturosa, no Real Teatro do Rio de Janeiro. A primeira, "no grande e plausível dia natalício da Rainha, Nossa Senhora", a segunda, "no faustosíssimo dia dos anos de Sua Alteza Real, o Príncipe Regente, Nosso Senhor."
 
1812

- Tradução de Boutewerck (Geschichte der Neueren Poesie und Beredsamkeit) para o francês.
- Mme Stael: De l'Allemagne
- As Variedades ou Ensaios de Literatura, publicação periódica impressa pela Tipografia de Manuel Antonio da silva Serva (Salvador)
- Domingos Borges de Barros (Visconde da Pedra Branca): Dicionário Francês-Português e Portugês-Francês
- Byron: Childe Harold
- Reedição no Rio de Janeiro da tradução portuguesa de Henriqueda, de Voltaire. Tradução feita por Tomás de Aquino Bello Freitas
- Testamento que fez Manoel Braz, sapateiro (folheto de cordel português reeditado no Brasil pela Impressão Régia)
- Tomas Antonio Gonzaga: Marilia de Dirceu. Edição popular em papel barato feita por Manuel Antonio da Silva Serva (Bahia)
- Tomás Antônio Gonzaga: Marília – 3ª edição autêntica, formada sobretudo por dispersos da juventude, Lisboa, Impressão Régia
- Ovídio Saraiva de Carvalho e Silva: O Pranto Americano, diálogo em verso oferecido ao Príncipe Regente.
- Joaquim José Lisboa: Liras, oferecidas a João Anastácio de Cravalhosa Henriques.
- José Elói Otôni: soneto dedicado "a suas Altezas Reais, o Sereníssimo Príncipe Regente e Princesa do Brasil, por ocasião do nascimento de seu augusto neto", e poemas dedicados "à Sereníssima Princesa da Beira, por ocasião do seu consórcio com o Sereníssimo Sr. Infante D. Pedro Carlos".
- Francisco de Paula de Santa Gertrudes Magna: Encômio poético, oferecido ao Conde dos Arcos.
- John Mawe: Travels in the Interior of Brazil (Oficina londrina de Longman, Hurst, Rees, Orme, and Brown).

1813

- Inauguração do Real Teatro de São João. (12 de outubro)
- Manuel Ferreira de Araujo: O Patriota, jornal literario, político, mercantil
- Sismondi: Histoire des Litteratures du Midi de l'Europe (referência ao Brasil)
- Silvestre Pinheiro Ferreira: Preleções filosóficas sobre a teoria do discurso
- Antônio de Morais Silva: Dicionário da Língua Portuguesa (2a edição)
- D. Gastão Fausto da Câmara Coutinho: Juramento dos Numes. Peça teatral escrita para ser representada na noite de abertura do Real Teatro de São João
- Caldas Barbosa: Viola de Lereno, reedição em 8 folhetos de 32 páginas feita por Manuel Antonio da Silva Serva (Salvador)
- Bernardo Avelino ferreira de Souza: Rimas
- Mariano José Pereira da Fonseca, marquês de Maricá: “Máximas, pensamentos e reflexões”, publicadas em O Patriota durante os anos de 1813 e 1814
- José Bonifácio: "Discurso contendo a história da Academia Real das Ciências, desde 25 de junho de 1812 até 24 de junho de 1813."

1814

- Publica-se o Catálogo de livros defesos neste Reino, desde o dia da Criação da Real Mesa Censória athé (sic) ao prezente. Para servir no expediente da Caza da Revizão
-  Despacho do Desembargo do Paço de 23 de março proíbe a posse e leitura das Fábulas de La Fontaine, traduzidas por Francisco Manuel do Nascimento
- A Biblioteca Real do Rio de Janeiro é franqueada ao público
- Funda-se o Seminário de Jacuecanga (destinado a educação de meninos pobres).
- Coleridge: Principles of Genial Criticism
- Wordsworth: A excursão
- Silvestre Pinheiro Ferreira: tradução das Categorias de Aristóteles (Impressão Régia).
- José Elói Otôni: Elogio à Sereníssima Princesa da Beira
 
1815

- Biblioteca de Manuel Inácio da Silva Alvarenga comprada pelo governo português e incorporada à Biblioteca Real (Rio de Janeiro)
- Schlegel: História da literatura antiga e moderna
- Lamarck: História Natural dos Animais sem Vértebras
- Mme. Cottin: Mathilda
- Pigault Lebrun: Adelaide de Meran
- Antonio Joaquim de Abreu: Sonetos sobre diversos assuntos
- José Bonifácio de Andrada e Silva: Sobre a necessidade e utilidade do plantio de novos bosques em Portugal ; Provérbios de Salomão
- Tomás Antonio dos Santos e Silva: A Brasilíada ou Portugal imune e salvo
- História da Donzela Teodora (folheto de cordel português reeditado no Brasil pela Impressão Régia)
- História verdadeira da princeza Magalona (folheto de cordel português reeditado no Brasil pela Impressão Régia)
- José Elói Ottoni: Paráfrase dos provérbios de Salomão (Bahia)
- Bernardo Avelino Ferreira de Sousa: Elogio ao Sempre Fausto Aniversário de Sua Majestade Fidelíssima, a Senhora Rainha D. Maria I.

1816

- Fundação da Academia de Belas Artes.
- Inácio Felizardo Fortes: Grammatica Portuguesa, publicada pela Impressão Régia do Rio de Janeiro.
- Hegel: A Ciência da Lógica
- Laplace: a Teoria analítica das probabilidades
- Shelley: Poesias; A rainha Mab
- Joaqum José Lisboa: Liras
- Basílio da Gama: O Uraguay (2ª edição Impr. Nac.)
- Ovídio Saraiva de Carvalho e Silva: O pranto americano
- O Preto e o bugio, ambos no mato, discorrendo sobre a arte de ter dinheiro sem ir ao Brasil. Dialogos, em que o bugio com evidentes razões convence ao preto sobre a verdade desta proposição. (folheto de cordel português reeditado no Brasil pela Impressão Régia)
- Coleridge: Cristabel
- Couvier: O reino animal
- Hoffmann: O elixir do demônio
- Leopardi: Poesias
- Rossini: O barbeiro de Sevilha (ópera)
- José Bonifácio: tradução de idílio grego sob o título de A Primavera (Impressão Régia de Lisboa).
- Antônio José de Lima Leitão: tradução e publicação das cantatas de João Batista Rousseau (Impressão Régia do Rio de Janeiro).
- João da Costa Ferreira: Poesias de Dois Amigos
- Salvador das Neves: Hinos Sacros
- Franciso de Paula de Santa Gertrudes Magna: Sermão "em memória do faustíssimo dia em que S. A. Real desembarcou nesta cidade da Bahia" (Impressão Régia).
- Frei Francisco de São Carlos: recital da oração fúnebre nas exéquias de D. Maria I.

1817 

- Revolução Republicana em Pernambuco
- Quatro livrarias instaladas no Rio de Janeiro, segundo Ferdinand Denis
- Portaria de 17 de junho proibe a circulação em Portugal e seus Domínios do jornal Correio Braziliense, de HipólitoZé da Costa e do Investigador Portuguez em Inglaterra, conhecido como Portuguez, ou Mercurio literário
- Fundação da primeira tipografia em Pernambuco: Officina Typographica da Republica de Pernambuco da 2a Restauração de Pernambuco
- Coleridge: Biographia Literária
- Byron: Manfredo
- Henry Koster: Travels in Brazil
- Carta de Pero Vaz Caminha (1a impressão)
 
1818

- Biblioteca do arquiteto Zé da Costa e Silva comprada pelo governo português e incorporada à Biblioteca Real (Rio de Janeiro)
- O governo real baixa alvará com força de lei contra instituições maçônicas
- Coleridge: On poesy (sic)or art
- Pe.
Feijó: Cadernos de Filosofia (até 1821)
- Walter Scott: Ivanhoé
- Schopenhauer: O mundo como vontade e como representação
- Byron: D. Juan
- Francisco de Melo Franco: O Reino da Estupidez
- Diogo Duarte e Silva: Elogio de D. João VI
- Bernardo Avelino Ferreira de Sousa: Elogio Dramático e Ode a Paulo Fernandes Viana (Chefe de Polícia)
- Antônio José Osório de Pina Leitão: Alfonsíada (poema heróico em doze cantos, Bahia)

1819

- Senefelder: Complete course of lithography
- Fr. Francisco de São Carlos: A Assunção, Poema composto em honra da Santa Virgem
- Pope: Ensaio sobre o Homem (trad. Francisco Vilela Barbosa Targini (Marquês e Paranaguá)
- FranciscoVilela Barbosa: A Primavera (ode)
- Francisco de Melo Franco e José Bonifácio (co-autor): O Reino da Estupidez (Londres)
- Tomás Antônio Gonzaga: Marília de Dirceu (reedição pela Tipografia Lacerdina)
- Domingos Caldas Barbosa: Viola de Lereno (4a edição, 2 volumes com 2000 versos, pelo texto ampliado de 1793).

1820

- Revolução do Porto
- Manuel Zé de Freitas: Compendio da grammatica inglesa e portuguesa para uso da mocidade adiantada nas primeiras letras. - Vitor Ducange: Agathe ou Le petite vieillard de Calais
-  Comte: Opúsculos
- Shelley: Prometeu libertado
- Lamartine: Meditações poéticas
- Antônio Pereira de Souza Caldas: Obras poéticas, 2 vol.(I- Salmos de David vertidos em ritmo português; II - Poesias sacras e profanas  (Paris).
- John Luccock: Notes on Rio de Janeiro ans the Southern parts of Brazil
- Tomás Antônio Gonzaga: Marília de Dirceu (reedição pela Rolandiana) 1821 - Regresso de D. João a Portugal  
- Francisco Zé Nunes Corte Real anuncia, no Conciliador do Maranhão, livros à venda 
- Abolida a Inquisição portuguesa (Decreto de 31 de março). Mantém-se a censura de livros e papéis. O Ordinário passou a encarregar das questões religiosas e o Desembargo do Paço, das questões políticas
- D. João VI, pela lei de 4 de julho, dá certa liberdade à imprensa, regulando os delitos e entregando-os à Justiça regular
- D. Pedro I, pela lei de 28 de agosto, regulamanta a liberdade de imprensa no Brasil.
- D. João VI regulamenta o funcionamento da Biblioteca Real (Rio de Janeiro) através dos Estatutos da Real Biblioteca mandados ordenar por Sua Magestade, Rio de Janeiro, Na Regia Typografia

1821

- Abertura de duas tipografias no Rio de Janeiro: a Tipografia de Moreira Garcez e a Nova Oficina Tipográfica. Antes delas somente a Impressão Régia publicava livros e papéis no Brasil
- Início da publicação no Rio de Janeiro de jornais políticos: O Bem da Ordem, O Espelho, O Reverbero Constitucional, O Constitucional, O Compilador Constitucional
- Revolta popular no Rio de Janeiro, para obrigar D. João VI a jurar por antecipação a carta constitucional que estava sendo discutida nas cortes de Lisboa.
- Shelley: Defence of Poetry
- Ferdinand Denis e H.Taunay: Le Brésil

- Heine: Poesias
- Vitor Ducange: Valentina
- Ferdinand Denis (+ Hypollite Taunay): Le Brésil (até 1822)
- Bernardo Avelino Ferreira de Souza: Versos constitucionais
- James Henderson: A history of the Brazil comprising its Geography, commerce, colonization (...)

1822

- Independência do Brasil
- Invenção da Heliography por Niépce
- Biblioteca do Conde da Barca comprada pelo governo português e incorporada à Biblioteca Real (Rio de Janeiro)
- Abertura de quatro tipografias no Rio de Janeiro: a Tipografia do Diário, a Oficina de Silva Porto & Cia, a Tipografia dos Anaes Fluminenses e a  Tipografia de Torres & Costa
-
José Bonifácio escreve a Felisberto Caldeira Brant, que se encontrava em Londres, para negociar o reconhecimento do novo Império.
- De Quincey: Lembranças dos poetas dos lagos
- Hegel: Lições sobre a filosofia da história
- Heine: O livro das canções
- Puchkin: O prisioneiro do Cáucaso
- José da Natividade Saldanha: Poesias dedicadas aos amigos e amantes do Brasil (Coimbra)
- Evaristo da Veiga: Hino constitucional brasileiro
- Bernardo Avelino Fereira de Souza: A fidelidade do Brasil

1823

- Convocação e fechamento da Constituinte
- Expulsão das tropas portuguesas do General Madeira
- Projeto de criação de uma Universidade em São Paulo apresentado à Assembléia Constituinte. O projeto não foi aprovado
- Tradução de Bouterweck (Geschichte der Neueren Poesie und Beredsamkeit) para o Inglês

1824

- Reconhecimento da Independência do Brasil pelos Estados Unidos da América
- Promulgação da Constituição Imperial
- Confederação do Equador

1825

- José Bonifácio de Andrada e Silva publica em volume sua obra poética.
- Domingos Borges de Barros publica Poesias Oferecidas às Senhoras Brasileiras, em Paris

1826

- Domingos Caldas Barbosa: Viola de Lereno (2º. vol.)
- Daniel Gavet: Zaccaria, anecdote brésilienne ;
- Lucas José de Alvarenga: Statira e Zoroastes ;
- José da Natividade Saldanha: Discurso sobre a tolerância (Caracas)
- Domingos Borges de Barros: Os Túmulos (poema)
- Almeida Garret publica Bosquejo da História da Poesia e Língua Portuguesa, em Parnaso Lusitano 

1827

- Hugo: Prefácio a Cromwell
- Manzoni: Os noivos
- Vitor Ducange: L'artiste et le soldat

1828

- Criação do Supremo Tribunal
- Almeida Garrett : Tratado de educação
- Saint Beuve: Tableau Historique et Critique de la Poesie Française et du Theatre Français au XVI Siecle
- Almeida Garrett: Tratado de educação
- Januário da Cunha Barbosa: Parnaso brasileiro, antologia de poetas, 8 vol. Publicada entre 1828 e 1832

1829

- Invenção da máquina de escrever por Willian Austin Burst
- Januário da Cunha Barbosa: Parnaso Brasileiro ou coleção das melhores poesias dos poetas do Brasil, tanto inéditas como já impresas (1º vol.) 
- Schlichthorst: O Rio de Janeiro como é
- Victor Hugo: Orientais

Página Inicial